NOTÍCIAS

Abiove participa de Road Show na Europa sobre sustentabilidade da soja

  • 06/11/2015 |
  • Abiove
Bélgica, Holanda e Inglaterra, que concentram as sedes do Parlamento Europeu, da Comissão Europeia e de importantes empresas consumidoras da proteína da soja brasileira na forma de farelo, serão o destino, na próxima semana, de nova missão encarregada de atualizar os consumidores europeus sobre a sustentabilidade da soja no Brasil e sobre os avanços na governança ambiental do País.

A missão, integrada por dirigentes da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso (Famato) e Ministério do Meio Ambiente (MMA), é um complemento da visita do mesmo grupo à Europa em março passado.

Desta vez, o ponto alto será um seminário no Parlamento Europeu, onde estarão presentes representantes políticos dos 28 países membros da União Europeia. O convite partiu do deputado Francisco Assis, que preside a Delegação do Parlamento Europeu para o Mercosul. Em março passado, ele ficou impressionado com os esforços ambientais e sociais do Brasil e com os resultados apresentados. O parlamentar entendeu que era oportuno compartilhar informações tão relevantes com os demais eurodeputados que desconhecem as mudanças ocorridas nos últimos anos, no País. Tal percepção coincide com a do deputado Jan Huitema, jovem produtor agrícola da Holanda que também propôs a realização do seminário.

A Europa, principal mercado para o farelo de soja do Brasil, com uma participação, neste ano, de 56%, tem preocupações quanto à sustentabilidade dos produtos agrícolas que importa. Por esse motivo, interessa aos produtores e exportadores atualizar os consumidores europeus sobre os programas de sustentabilidade das empresas brasileiras e sobre os avanços na implementação do novo Código Florestal, principalmente quanto aos resultados do Cadastro Ambiental Rural (CAR). Em suma, a missão pretende demonstrar que o Brasil se transformou em um exemplo para o mundo.

A Abiove estará representada por seu presidente, Carlo Lovatelli, e pelo secretário-geral, Fabio Trigueirinho. Lovatelli falará sobre a nova agenda de trabalho da sustentabilidade da soja brasileira, com destaque para a evolução da governança ambiental no País. Nesse contexto, enfatizará que a soja não é fator relevante de desmatamento no bioma Amazônia, o que tem sido comprovado desde o início da Moratória da Soja, há quase dez anos. A Moratória é o pacto firmado em julho de 2006 entre a Abiove, a Anec (exportadores de cereais), o MMA e a sociedade civil. Desde então, a Abiove e a Anec se comprometeram a não comercializar nem financiar a soja produzida em áreas desmatadas no bioma Amazônia a partir de julho de 2008.

A missão da Abiove é contribuir para que os produtores de soja estejam em conformidade com o novo Código Florestal e, dessa forma, conciliem a produção de alimentos com a conservação dos recursos naturais do País. O Código Florestal tem o CAR como importante ferramenta para sua efetiva implementação. Por meio do CAR estão sendo mapeadas as Áreas de Preservação Permanente (APP) e Reserva Legal para a proteção de áreas de alto valor de conservação (HCVAs) e para a garantia de conectividade das áreas naturais na paisagem, tema sensível aos europeus.

O representante do Ministério do Meio Ambiente apresentará a visão do governo sobre os avanços das políticas de combate ao desmatamento e o fortalecimento da governança. Ele também falará sobre os desafios para implementar uma economia de baixo carbono no Brasil.

Carlo Lovatelli e Fabio Trigueirinho, da Abiove, e os diretores da Aprosoja-MT e da Famato, Ricardo Arioli e Nelson Piccoli, falarão sobre o Programa Soja Plus, de gestão econômica, social e ambiental da sojicultura brasileira, e sobre a contribuição das entidades que representam à produção de soja sustentável.

O Soja Plus, que nasceu em 2011 da parceria entre a Abiove e a Aprosoja-MT, centra seu objetivo na capacitação de sojicultores e na melhoria contínua da gestão das propriedades, por meio de incentivo às melhores práticas agrícolas. O programa é desenvolvido, atualmente, no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em Minas Gerais e na Bahia. Já capacitou 1.579 produtores rurais em cursos teóricos e ofereceu assistência técnica em 937 propriedades rurais que produzem 6,5 milhões de toneladas de soja.

Em nível nacional, a coordenação do Soja Plus está a cargo da Abiove. Os parceiros da Abiove no Soja Plus são: Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado de Mato Grosso (Aprosoja-MT) e Sistema Famato (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Mato Grosso); Federação da Agricultura e Pecuária do Mato Grosso do Sul (Famasul) e Senar-MS; Sistema Faemg (Federação da Agricultura e Pecuária do Estado de Minas Gerais) e Universidade Federal de Viçosa (UFV); Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba).

Ricardo Arioli apresentará os resultados de uma análise em que foram comparados indicadores socioambientais do Soja Plus com os requisitos de verificação da federação europeia de rações (Fefac Guidelines). O objetivo do estudo comparativo é buscar a harmonização desses indicadores para a valorização da soja brasileira no mercado europeu.

As entidades interlocutoras da missão brasileira são: Fefac, Fediol (federação europeia das indústrias de óleos vegetais), Nevedi (associação das indústrias de ração da Holanda), Defra (departamento de meio ambiente, alimentos e assuntos rurais do governo britânico), Ministério das Relações Exteriores da Holanda, AIC (confederação das indústrias agrícolas do Reino Unido), sociedade civil e empresas consumidoras. ver mais notícias