NOTÍCIAS

Alta performance e eficiência em turbogeradores ganham mercado

Considerada a alternativa mais apropriada nas usinas, quando o assunto é aplicação em acionamento de médio e grande porte, a Linha SuperTurbo da TGM está consolidada no mercado e é o novo patamar de redutores de eixos paralelos disponíveis para serem utilizados em acionamento de geradores de energia por turbinas a vapor de até 60 MW de potência.

Desenvolvida pela TGM, a Linha SuperTurbo utiliza acoplamentos flexíveis que permitem aos redutores operarem em índices elevados de variação de carga garantindo uma operação sem interferência de fatores externos conferindo maior confiabilidade ao equipamento e, consequentemente, ao conjunto turbogerador.

Para o engenheiro Heinz Koch, da TGM, a eficiência do acoplamento GearFlex já é um fato comprovado, pois o acompanhamento dos níveis de vibração demonstra ótimos resultados e também mostra uniformidade de funcionamento após a instalação do acoplamento flexível. Estes monitoramentos foram comprovados em mais de 20 acoplamentos em operação.

“Os turborredutores são equipamentos muito especiais considerando-se a sua aplicação em unidades de geração de energia onde são submetidos aos esforços do conjunto, especialmente às variações de carga decorrentes das oscilações no processo de operação de outros equipamentos, por vezes imperceptíveis e pouco consideradas”, afirmou Heinz.

SuperTurbos instalados – No caminho do alto desempenho e de uma comprovada disponibilização operacional, a versão SuperTurbo já está presente no mercado com 50 unidades vendidas, das quais 30 em operação tanto no Brasil como no exterior, podendo-se citar: Adecoagro Ivinhema; Cerradinho Bioenergia; CMAA Vale do Tijuco; CPFL Bio Alvorada; CPFL Bio Coopcana; Da Mata; Ingenio La Cabana – Colômbia; Ingenio Palo Gordo - Guatemala; São João de Araras; Usina Furlan; La Cabana - El Salvador; Rio Vermelho; entre outras.

Para o ano de 2016, a Cerradinho Bioenergia, localizada em Chapadão do Céu, GO, optou por dois redutores SuperTurbo com acoplamentos flexíveis GearFlex porque confia na elevada eficiência destes equipamentos para ampliação da sua unidade de cogeração, como afirmou o diretor Fernando Tersi.

Desde a safra de 2014, a Usina São Francisco do Grupo Balbo em Sertãozinho, uma das primeiras a utilizar o acoplamento flexível GearFlex, opera com este acoplamento sem nenhum tipo de problema neste componente tendo eliminado, desde então, completamente as falhas de operação na unidade que já vinham se tornando “crônicas”, segundo o diretor Jairo Balbo.

“Pelo considerável número de usuários que já fizeram a opção pela instalação do acoplamento GearFlex em seus redutores, podemos mensurar o sucesso desta solução inédita com foco nas necessidades dos nossos clientes. Solução esta que é fruto de infindáveis levantamentos de dados e monitoramentos em campo”, apontou Heinz.

ver mais notícias