NOTÍCIAS

Aminoagro e Dimicron lançam o Certificado Sementes de Verdade para produtores de sementes de soja

Aminoagro e Dimicron, que uniram-se em uma empresa que hoje está entre as três maiores do mercado de fertilizantes, anunciam o lançamento do certificado Sementes de Verdade para os sementeiros que fornecem aos produtores de soja do Brasil. Para obter o selo de qualidade, os sementeiros precisam alcançar o mínimo de 70% de sementes classificadas como mais alto vigor e alto vigor, que são aquelas que possuem o maior potencial produtivo. Com essa iniciativa, a empresa quer elevar o padrão de sementes cultivadas, e em conseqüência,contribuir para o aumento da produtividade de soja.

"A tecnologia GMOtrouxe inúmeros ganhos em variedade e resistência, mas para que o produtor tenha os melhores resultados é preciso olhar também para outros aspectos, como os níveis de vigor da semente da soja e os níveis de concentração de nutrientes na semente", explica José Ovídio Bessa, presidente da Aminoagro e Dimicron.

Em seu Laboratório de Análise de Sementes (LAS), a empresa analisa grãos de diversas culturas e de todas as regiões onde atua.Do total de amostras analisadas em 2015, observou-se que elas alcançaram 75% de germinação e 66% de vigor, um padrão considerado muito baixo. O fator mais crítico é que o percentual de sementes de mais alto vigor encontrado foi de apenas 3,29%, e apenas 33% foram classificadas como alto vigor.

A análise das sementes é uma etapa do Programa Construindo Plantas (PCP), que visa uma análise detalhada da semente e correção nutricional em cada fase de crescimento.Quanto maior for o nível de vigor da semente antes do plantio, maior será seu desenvolvimento e os resultados de safra certamente serão maiores.Assim, as plantas de uma lavoura que forem provenientes das sementes de mais alto vigor serão mais produtivas do que as provenientes de baixo vigor dentro do mesmo lote de sementes.

Sementes de Verdade - Para receber o certificado, o sementeiro deverá alcançar o índice de 95% de germinação e 90% de vigor, sendo desses 70% de sementes classificadas como mais alto vigor e alto vigor, e para alcançar esse padrão de qualidade ele poderá contar com um conjunto de práticas de manejo e de produtos desenvolvidos pela Aminoagro e Dimicron que visam atingir o grau de excelência da semente. Os grãos serão analisados pelo Laboratório de Análise de Sementes (LAS) e se atingirem os índices, o sementeiro receberá o certificado.

O agricultor se sentirá mais seguro em investir na compra pois poderá ter mais confiança no resultado da safra. A queda de qualidade das sementes vem sendo percebida, principalmente diante das mudanças climáticas que afetam a cultura de soja. As alternativas que tem surgido, como o cultivo caseiro ou a produção de sementes selecionadas, tem um custo alto para o produtor e não favorecem uma melhoria geral do padrão de sementes. "Acreditamos que a certificação é positiva tanto para os sementeiros, que dessa forma conseguirão atender melhor o mercado, como também para o agricultor, que poderá manter o foco em seu negócio que é a lavoura", comenta Bessa.

A certificação está disponível para os sementeiros em 2016, o que significa que eles terão condição de fornecer aos agricultores em nova condição na safra de 2017, que tem início em outubro. Além disso, na próxima safra a empresa vai ampliar o seu atendimento aos produtores de soja na região Centro Oeste, com a abertura do seu segundo Laboratório de Análise de Sementes (LAS) que iniciará operação no segundo semestre de 2016, em Cuiabá, com investimentos de R$ 1 milhão.

A empresa tem sede em Indaiatuba (SP) e fábricas em Cidade Ocidental (GO), Cuiabá (MT) e Cruz Alta (RS), onde já funciona seu primeiro laboratório.

ver mais notícias