NOTÍCIAS

​Arrozeiros consideram positiva liberação de pré-custeio

  • 02/02/2016 |
  • Nestor Tipa Júnior

O recurso de R$ 10 bilhões anunciado pelo Banco do Brasil e que já está à disposição dos produtores rurais desde segunda-feira (01/02) foi considerado positivo pelo setor arrozeiro do Rio Grande do Sul.

Para o presidente da Federação das Associações de Arrozeiros do Rio Grande do Sul (Federarroz), Henrique Dornelles, a medida vem em um bom momento, pois o produtor, mesmo que ainda não tenha dado início à colheita da atual safra, já precisa planejar o próximo período. "O pré-custeio é importante porque já estamos preparando a terra e planejando a próxima safra, onde teremos gastos com óleo diesel e defensivos. Ficamos muito contentes porque as promessas feitas começam a se concretizar", salienta.

O dirigente reforça também que o recurso vai contribuir com a comercialização do grão. A expectativa do presidente da Federarroz é que o ano de 2016, com esta medida anunciada, não seja turbulento como foi o período de 2015 quando os preços tiveram queda no momento após a colheita. "Não precisaremos vender arroz para custear a próxima safra. Isso nos dá uma certeza de que teremos uma bela comercialização, muito diferente do que foi o ano passado. Estou esperançoso e creio em sucesso no próximo período comercial", avalia Dornelles

Os recursos estão disponíveis com taxas de 7,75% ao ano até o teto de R$ 710 mil. Já no teto de R$ 1,2 milhão por beneficiário, os encargos serão de 8,75% ao ano. Segundo comunicado do Banco do Brasil, a disponibilidade de recursos resulta de uma combinação de fatores relacionados, principalmente, à elevação da exigibilidade da poupança rural de 72% para 74%, na safra 2015/2016.

ver mais notícias