NOTÍCIAS

​Bayer Crop Science anuncia mudanças na estratégia de negócios

Para quem acompanha o agronegócio nas últimas décadas muito mudou. Há mais ou menos 10 anos, na cidade de Monheim, sede da Bayer Crop Science na Alemanha, numa das tradicionais conferências anuais para a imprensa, foram anunciadas diversas novas moléculas. A partir delas, vários produtos fitossanitários seriam oferecidos nos anos seguintes. Viu-se os laboratórios e as máquinas que auxiliavam os cientistas no desenvolvimento da tecnologia. Foi impressionante.

Hoje a conferência para a imprensa ocorreu na cidade de Leverkusen, sede da Bayer AG, a holding. E, embora no material distribuído para a imprensa constassem 21 lançamentos previstos até o ano de 2020, esse foi um assunto apenas rapidamente mencionado por Liam Condon, presidente da divisão Crop Science da empresa.

O pensamento da Bayer Crop Science para os próximos anos está claramente ligado ao oferecimento de serviços. A ambição da empresa parece ser a venda de uma lavoura livre de pragas. Ao invés de um contrato de compra e venda de produtos, o agricultor passaria a contratar um serviço! Trata-se de uma mudança no setor.

Tudo começa pela implantação de fazendas modelo, chamadas "Bayer Forward Farming", onde a empresa coloca em prática seus conceitos. Assim pode avaliar o procedimento em cada região. Há algumas poucas na Europa. No Brasil, o projeto deve começar em 2017, conforme informa o Diretor Mundial de Operações Comerciais da Bayer Crop Science, Marc Reichardt.

Inicialmente, deve ser realizado acordo com algum produtor da região de Brasília. Num segundo momento, São Paulo e Paraná.

Da Bayer

A Bayer continua fazendo importantes investimentos em sua divisão Crop Science para entregar novas soluções para a agricultura sustentável, apesar do atual ambiente desafiador de negócios. "Estamos muito confiantes com relação ao potencial de crescimento de longo prazo dos mercados agrícolas. Não apenas continuamos investindo em inovação, mas também destinamos 2,5 bilhões de euros para investimentos em capital (infraestrutura) entre 2017 e 2020", disse hoje Liam Condon, membro do Conselho de Administração da Bayer e presidente global da divisão Crop Science. "A combinação de mais de 1 bilhão de euros em investimentos anuais em P&D com outros investimentos em infraestrutura ajudará a garantir um 'pipeline' contínuo de produtos inovadores, que pode atender as necessidades desafiadoras de produtores de todo o mundo".

Na Future Farming Dialog 2016, o futuro da agricultura foi discutido a partir de todos os ângulos com diversos especialistas, cobrindo uma ampla gama de temas que abrangem desde a utilização de tecnologias por satélite para prover apoio a pequenos agricultores até soluções integradas para solucionar os principais desafios agrícolas. “A colaboração é a chave. Nossos esforços devem ser integrados em todo um sistema de inovação que apoie a agricultura sustentável”, ponderou Condon. Em diversos fóruns diferentes, especialistas estão discutindo os principais desafios agrícolas a partir de um ponto de vista agronômico, ambiental, regulatório e social.

Pipeline de P&D 2015-2020 com um pico combinado de faturamento superior a cinco bilhões de euros

Condon também descreveu o atual “pipeline” de P&D da Crop Science, com produtos a serem lançados entre 2015 e 2020, destacando um potencial de pico de faturamento combinado superior a 5 bilhões de euros. Para além de 2020, a Bayer está trabalhando com mais de 20 alvos de P&D em proteção de cultivos química, seis alvos para produtos de proteção de cultivos biológicos e oito alvos para traits. Além disso, os programas de melhoramento abrangem nove alvos de cultura de campo em fase final de desenvolvimento e pesquisa e 27 alvos vegetais.

Condon também confirmou o compromisso com P&D: “com cerca de 10% do faturamento sendo revertidos em P&D, nossos investimentos em inovação permanecem em um nível líder do setor agrícola. Independente da volatilidade do ciclo agrícola devemos assumir uma abordagem de longo prazo para a inovação, porque em nosso setor, altamente regulamentado leva em média cerca de dez anos para desenvolver novos produtos”.

Iniciado o lançamento de produtos de Digital Farming
Durante seu discurso aos participantes reunidos na BayKomm, a unidade de comunicação da Bayer em Leverkusen, Condon também falou sobre os esforços da empresa no emergente campo da agricultura digital. A empresa se comprometeu a investir pelo menos 200 milhões de euros em Digital Farming entre 2015 e 2020 e, atualmente, está comercializando e testando produtos deste segmento em dez países, com o objetivo de rapidamente expandir ainda mais e desenvolver o melhor sistema de apoio digital de proteção de cultivos para os agricultores.

Além disso, a empresa está fechando parcerias com quatro fazendas, dentro do projeto Bayer ForwardFarming, para demonstrar as melhores práticas reais da agricultura sustentável, muitas das quais dependem de avanços feitos na agricultura digital. As ForwardFarms são propriedades agrícolas plenamente funcionais que utilizam as melhores soluções sustentáveis para lidar com os desafios do dia a dia em uma propriedade - e é também uma plataforma de conhecimento, que permite que propriedades agrícolas selecionadas compartilhem sua experiência e suas conquistas com todos os públicos de interesse da cadeia de valor agrícola - de agricultores, agrônomos, cadeia alimentar e acadêmicos a políticos, governo e consumidores. A Bayer planeja implementar ForwardFarms em todos os mercados-chave agrícolas até 2018.

Necessidade de um melhor entendimento sobre como os agricultores ajudam os consumidores
"O consumidor de hoje tem curiosidade de saber sobre de onde vem seus alimentos, e com razão, mas está mais distante do que nunca antes de como as culturas são produzidas em uma propriedade agrícola", disse Condon. "À medida que apoiamos nossos clientes produtores com as ferramentas necessárias para que possam produzir alimentos de forma mais sustentável, também temos de informar aos consumidores sobre o papel que a agricultura moderna desempenha em fornecer os alimentos frescos, nutritivos e abundantes que esperam ter disponíveis o ano todo. Este fórum é apenas uma das maneiras pelas quais envolvermos nesse diálogo todos aqueles que têm interesse em abordar, de forma sustentável, não apenas as questões da fome e desnutrição em todo o mundo, mas também aquelas relativas à proteção ambiental e igualdade social".

"Em geral, hoje as demandas são maiores do que eram no passado. Não é apenas uma questão de aumentar os rendimentos para alimentar mais pessoas, mas também de, ao mesmo tempo, garantirmos a proteção do meio ambiente e salvaguardarmos a biodiversidade. A inovação e a sustentabilidade precisam caminhar juntas para o benefício dos consumidores e do meio ambiente", acrescentou Condon.

E Condon concluiu: "os desafios da agricultura são grandes demais para uma só empresa, instituição ou país resolver. Precisamos colaborar com os melhores parceiros disponíveis externamente para garantir que possamos encontrar soluções ainda mais inovadoras e mais sustentáveis para os desafios que enfrentamos na agricultura. O 'Future of Farming Dialog 2016' busca estimular a discussão entre esses parceiros para ajudar a desenvolver soluções melhores e moldar, de forma positiva, o futuro da agricultura”.

Outras informações podem ser lidas na próxima edição da revista Cultivar Grandes Culturas.

Para quem ficou curioso sobre outros assuntos:

(a) Liam Condon informou no início da conferência não poder tecer comentários sobre as negociações com a Monsanto por razões contratuais.

(b) As vendas da Bayer cresceram 9,3% em 2015.

(c) Para 2016, a expectativa é de estabilidade nas vendas.

Site da Bayer Crop Science no Brasil: www.cropscience.bayer.com.br

ver mais notícias