NOTÍCIAS

Chefe-geral investe em parcerias multi-institucionais para inovação

  • 29/09/2015 |
  • Joana Silva
Ao tomar posse nesta sexta-feira, 02 de outubro, João de Mendonça Naime já sinaliza para o ritmo que deseja imprimir às atividades de pesquisa e desenvolvimento durante os próximos três anos em que estará à frente da Embrapa Instrumentação (São Carlos – SP).

A cerimônia, com início previsto para às 9 horas da manhã, será marcada por ações que envolvem assinaturas de convênios com empresas privadas, apresentação de tecnologias na área de nanotecnologia, lançamento de soluções simples para irrigação e demonstrações de resultados de pesquisas, alguns já consolidados, como o sistema de saneamento básico rural.

As ações vão ao encontro de uma de suas propostas, que é o desafio de ampliar o número de tecnologias disponíveis para a sociedade explorando parcerias com empresas, principalmente no modelo de inovação aberta multi-institucional. “Esse é um ponto crítico no processo de produção da Embrapa, transformar em ativos tecnológicos, à disposição da sociedade, o que é desenvolvido nos laboratórios e campos experimentais, dentro do menor prazo possível”, afirma o novo gestor.

Com a inciativa privada serão formalizados convênios para a transferência de know-how e de pesquisa e desenvolvimento. O primeiro vai permitir analisar, com mais eficiência e segurança, os riscos da ocorrência do mal-da-sigatoka-negra em bananais, enquanto o outro trata de um projeto para desenvolvimento de solução essencial ao crescimento das plantas.

Nesse ritmo, o novo chefe-geral pretende compartilhar a infraestrutura e recursos humanos com universidades, demais institutos de ciência e tecnologia e empresas, por meio de arranjos institucionais. Um dos objetivos é a criação de uma Unidade Mista de Pesquisa com a Universidade de São Paulo (USP) e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), para reunir competências e compartilhar infraestrutura de pesquisa em automação agropecuária e agricultura de precisão.

De acordo com Naime, os desafios são muitos, mas ampliar a inserção da Embrapa Instrumentação no cenário internacional, fortalecendo a integração com os Laboratórios Virtuais (Labex) e projetos da Embrapa no exterior – atualmente, um pesquisador atua como cientista visitante nos Estados Unidos e outro está em Julich, na Alemanha – é um dos pontos que também vão merecer atenção.

Entre as ações, destaca-se também o estímulo para a realização de eventos de Pesquisa, Desenvolvimento & Inovação (P,D&I) em parceria com institutos de ciência e tecnologia e empresas estrangeiras.

Perfil

Na Embrapa há 26 anos, Naime é engenheiro eletricista de formação e doutor em Ciências da Engenharia Ambiental pela Universidade de São Paulo. Durante sua trajetória na Embrapa Instrumentação, atuou no desenvolvimento de pesquisa, como o Tomógrafo Portátil para estudos de solos e plantas em campo, conciliando atividades de gestão em laboratório, de P&D e em diversos comitês internos. Nos últimos nove anos, o pesquisador esteve à frente do Comitê Técnico Interno – responsável pela aprovação de projetos – e pela chefia-adjunta de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D).

É responsável pela edição de dois livros, 17 capítulos, 18 artigos em periódicos indexados e quatro pedidos de patente no Brasil. Durante o período em que esteve à frente da chefia-adjunta de P&D, a Embrapa Instrumentação licenciou 13 tecnologias para 7 empresas do Brasil e dos Estados Unidos e assinou 66 contratos que envolveram 30 empresas e instituições públicas e privadas.

Naime, que poderá ser reconduzido para outro mandato de 3 anos em 2018, após passar por avaliação, vai substituir o pesquisador Luiz Henrique Capparelli Mattoso, que ocupou o cargo de chefe-geral de setembro de 2010 até o início do mês de julho.

Foto: Amanda Mazzini ver mais notícias