NOTÍCIAS

Com incertezas na safra 2015/16, Circuito Tecnológico Etapa Soja chega a 7ª edição

  • 14/10/2015 |
  • Aprosoja
A partir do dia 19 de outubro tem início a sétima edição do Circuito Tecnológico - Etapa Soja. Serão 9.500 quilômetros percorridos até o dia 30 de outubro, por oito equipes da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) pelas quatro maiores regiões produtoras do grão no Estado.

Com o objetivo de realizar um raio X da produção durante o plantio e entender as expectativas dos produtores, segundo o presidente da entidade, Ricardo Tomczyk, o momento é de incertezas. “Temos dois pontos de cautela: o clima e a liberação de crédito. O problema de crédito é real, está sendo muito difícil a compra de insumos, que neste ano deve ser, inclusive, reduzido. Quanto ao clima, se compararmos com o mesmo período de 2014, está pior. Estamos mais atrasados com o plantio e as chuvas seguem sendo uma incógnita”, avalia.

Para o diretor técnico da Aprosoja, Luiz Nery Ribas, pelo momento delicado que vive o produtor rural atualmente e também para entender e comparar com outras safras que o Circuito Tecnológico é fundamental. “Todas as edições do Circuito nos mostraram os anseios dos produtores. Até então, não tínhamos ideia do que eles pensavam sobre a própria safra. Hoje temos indicadores significativos para comparar a evolução das propriedades e das regiões. Só assim, como entidade representativa de classe, podemos levar ao governo sugestões de políticas públicas para atender nossas dificuldades”, explica.

De acordo com Nery, a expectativa da sétima edição é encontrar o plantio a todo vapor. “Esperamos encontrar o produtor plantando. O grande problema neste momento é a questão climática, também existe sim a questão cambial e o alto custo de produção, mas o clima é o que mais preocupa o produtor neste momento. Será que eu vou ter chuva, umidade suficiente, ele se questiona. Mas esperamos encontrar cenário favorável”.

Roteiro - O Circuito Tecnológico – Etapa Soja será dividido em duas partes. Na primeira, de 19 a 23 de outubro, passa pelas regiões Norte e Oeste. Na segunda semana, de 26 a 30, será a vez das regiões Sul, Leste e Norte novamente.

Nesta primeira parte o roteiro inclui Brasnorte, Campo Novo do Parecis, Campos de Júlio, Claúdia, Comodoro, Diamantino, Deciolândia, Feliz Natal, Ipiranga do Norte, Itanhangá, Itaúba, Juína, Lucas do Rio Verde, Marcelândia, Matupá, Nova Maringá, Nova Mutum, Nova Ubiratã, Santa Carmem, Santa Rita do Trivelato, São José do Rio Claro, Sapezal, Sinop, Sorriso, Tangará da Serra, Tapurah e Vera.

Na última semana as equipes passam por Água Boa, Alto Araguaia, Alto Garças, Alto Taquari, Barra do Garças, Bom Jesus do Araguaia, Campo Verde, Canarana, Carazinho, Confresa, Espigão do Leste, Gaúcha do Norte, Guiratinga, Itiquira, Jaciara, Juara, Nova Brasilândia, Nova Xavantina, Novo Horizonte do Norte, Ouro Branco, Paranatinga, Porto Alegre do Norte, Porto dos Gaúchos, Primavera do Leste, Querência, Ribeirão Cascalheira, Rondonópolis, Santo Antônio do Leste, São José do Xingu, Sinop, Tabaporã, Vila dos Baianos.

As equipes serão formadas por universitários cursando os últimos semestres de Agronomia, pesquisadores da Embrapa Soja de Londrina, no Paraná, Embrapa Agrosilvipastoril de Sinop, técnicos do Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea), representantes das empresas Dimicron, Kleffmann, Sicredi e Agroconsult. O PhD em Fitopatologia José Tadashi e o doutor Franscisco Cunha, da Tect-Fétil, também participarão, como consultores. ver mais notícias