NOTÍCIAS

Concurso premia os melhores produtores de café da região de Muriaé, na Zona da Mata

  • 21/10/2015 |
  • Thiago Fernandes
Nesta quinta-feira, 22, serão anunciados os melhores produtores de café da região de Muriaé, na Zona da Mata, durante o encerramento do 14º Concurso Regional de Qualidade do Café das Matas de Minas. O evento acontece a partir das 8h30, no Restaurante do SESC de Muriaé (BR 356 - Km 269, 4555 - Leblon). O presidente da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais – (Emater-MG), Amarildo Kalil, participa da solenidade.

O Concurso Regional de Qualidade do Café das Matas de Minas é promovido pela Emater-MG, em parceria com a Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais e conta com o apoio de prefeituras municipais, sindicatos, Conselhos de Desenvolvimento Rural Sustentável e demais parceiros.

Nesta edição do Concurso foram analisadas 536 amostras de 16 municípios. Serão premiados seis produtores na categoria Natural Terras Altas (cafés produzidos acima de 900 metros de altitude), seis na categoria Natural Terras Baixas (produzidos abaixo dos 900 metros de altitude), e três produtores na categoria Cereja Descascado.

Segundo o coordenador Técnico Regional da Emater-MG, Ricardo Tadeu Galvão Pereira, as amostras são coletadas exclusivamente pelos técnicos da Emater-MG dos municípios participantes e preparadas para avaliação. “As amostras passaram por provas eliminatórias. Primeiro com analise de umidade e peneira. Depois a avaliação de xícara, para verificar as qualidades da bebida pronta, com classificação quanto ao sabor e aroma. As provas são realizadas por quatro provadores reconhecidos de cooperativas e associações da região”, explica.

De acordo com o Gerente Regional da Emater-MG de Muriaé, Paulo Alexandre de Carvalho, o objetivo do Concurso é identificar, promover e premiar agricultores que produzem cafés de qualidade diferenciada. “É notável a melhoria da qualidade dos cafés a cada edição do concurso. O concurso busca incentivar a constante melhoria do produto e consequente agregação de valor. Também promove o uso de tecnologias e produtos que promovam a sustentabilidade da cafeicultura”, destaca. ver mais notícias