NOTÍCIAS

Contratos futuros de café arábica têm ganho moderado no mercado futuro

Nesta semana mais curta nos Estados Unidos, em função do feriado de Ação de Graças, os contratos futuros do café arábica registraram ganhos moderados na Bolsa de Nova York, impulsionados pela oferta global apertada, devido a uma safra menor no Brasil, aos fundos de investimentos excessivamente vendidos, sem muito espaço para adicionar novas posições, e, ainda, ao pequeno interesse de entrega no primeiro dia de notificação do contrato dezembro/15, na segunda-feira.

Outro fator que contribuiu para o suporte dos futuros do arábica na ICE Futures US foi a ausência de correlação desse mercado com o dólar, uma vez que a divisa norte-americana ascendeu frente às principais moedas, incluindo o real, o que sugere uma queda natural no mercado de commodities. No fechamento de quarta-feira (ontem a Bolsa não abriu por causa do Dia de Ação de Graças), o contrato com vencimento em março/2015 encerrou o pregão a US$ 1,2555 por libra-peso, acumulando alta de 115 pontos na comparação com o fechamento da semana passada.

No Brasil, o dólar comercial, registrou crescimento de 1,34% no acumulado desta semana, registrando a cotação de R$ 3,7465 no término dos negócios de ontem. O avanço da divisa norte-americana ocorreu em função dos sinais positivos da economia dos EUA e, internamente, devido ao cenário de turbulência política.

Os contratos futuros do café robusta, por sua vez, percorreram caminho inverso ao trilhado na Bolsa de Nova York, acumulando perdas no balanço semanal. A pressão baixista veio da elevação de estimativas de safra no Vietnã e, à medida que teve início o período de colheita no país asiático, do aumento das vendas vietnamitas. Ontem, o contrato com vencimento em janeiro/2015 fechou a US$ 1.518 por tonelada, com perdas semanais de US$ 54.

Do lado meteorológico, a Climatempo informa que, a partir de domingo (29), as chuvas deslocam-se mais para o norte do cinturão cafeeiro e, até o dia 3 de dezembro, "os maiores acumulados de chuva se concentram no norte mineiro", sendo esperados entre 70 e 100 mm, na região do Vale do Jequitinhonha. Por outro lado, no Sul de Minas Gerais, os acumulados não ultrapassarão os 10 mm.

No mercado físico, as cotações dos cafés arábica e conilon tiveram desempenhos divergentes, com o robusta alcançando seu novo recorde nominal na quinta-feira, enquanto o arábica recuou levemente. Apesar da elevação das cotações internacionais, os negócios permaneceram relativamente calmos, com algumas comercializações sendo aquecidas somente nos momentos internos de pico. Ontem, a variedade arábica foi cotada a R$ 475,69 por saca e a robusta a R$ 377,63/saca, com variações de -0,71% e 0,78%, respectivamente.

ver mais notícias