NOTÍCIAS

Cultivares da Embrapa estarão em avaliação no Uruguai

Foto: Genei Dalmago

Nesta quinta-feira, dia 17/12, a Embrapa e a empresa Procampo estabeleceram um contrato de cooperação técnica para viabilizar a adaptação de cultivares BRS no Uruguai. O contrato prevê a introdução de cereais com genética brasileira para as culturas de inverno de trigo e aveia.

O acordo visa o desenvolvimento de mercado para produtos da genética Embrapa no Uruguai, por meio da avaliação do comportamento das cultivares, produção de sementes e transferência de tecnologia. A Procampo poderá também explorar comercialmente as cultivares da Embrapa protegidas e registradas no Uruguai por meio da cooperação firmada.

Segundo o gerente-adjunto de Mercado da Embrapa Produtos e Mercado (Brasília, DF), Rafael Vivian, o contrato permitirá à Embrapa maior inserção no segmento internacional de genética vegetal, podendo conquistar consumidores de um país com tradição na produção de cereais de inverno. De acordo com ele, "em período de dificuldades para o trigo e demais cereais de inverno no sul do País, como o que passamos no momento, o acordo abre portas para novas oportunidades conjuntas e integração de esforços entre as empresas para o desenvolvimento de cultivares de alto valor agregado para o produtor", finaliza.

Trigo, cultura alvo na América do Sul

O Brasil produz aproximadamente 6 milhões de toneladas de trigo a cada safra, com consumo interno estimado em 11 milhões de toneladas. Assim, as importações de trigo correspondem a 60% do consumo nacional. O Uruguai tem suprido parte das necessidades brasileiras de importação do cereal e pode corresponder a até 25% das necessidades de compra do Brasil.

“É nesse contexto que a Procampo buscou a Embrapa Trigo, que já vinha recebendo demandas de outras empresas para testar cultivares de trigo e cevada no Uruguai, visando indicação e licenciamento”, conta o Chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Trigo (Passo Fundo/RS), Adão Acosta. Segundo ele, o Uruguai apresenta ambiente similar ao do Rio Grande do Sul e com histórico de sucesso no uso de cultivares de trigo de outros obtentores brasileiros. Alguns experimentos desenvolvidos pela Embrapa no Uruguai mostraram média de rendimentos de 4 mil kg/ha para cultivares de trigo como BRS Guamirim, BRS Marcante, BRS Parrudo e BRS Tarumã.

A assinatura aconteceu na manhã do dia 17/12, em Brasília/DF, na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, e contou com a presença do Chefe-Geral da Embrapa Trigo, Sergio Roberto Dotto, do gerente-geral da Embrapa Produtos e Mercado, Frederico Ozanan Machado Durães, da Diretora de Administração e Finanças da Embrapa, Vânia Castiglioni e do Diretor da Procampo, German Verdier.

ver mais notícias