NOTÍCIAS

Cup of Excellence – Pulped Naturals 2015 tem 45 finalistas

  • 13/10/2015 |
  • Paulo A. C. Kawasaki
A partir desta terça-feira (13/10), 45 produtores de café arábica despolpado ou cereja descascado de oito regiões produtoras do Brasil concorrerão ao prêmio de vencedores do Cup of Excellence – Pulped Naturals 2015. A definição ocorreu após a avaliação do júri nacional do concurso, que é realizado pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), a Alliance for Coffee Excellence (ACE) e com patrocínio do Sebrae.

O certame deste ano contou com 364 amostras inscritas, das quais foram selecionadas 99 na pré-seleção até se chegar à definição das 45 finalistas. Dos lotes classificados para a fase internacional do principal concurso de qualidade do Brasil destinado aos cafés cultivados por via úmida, 17 são oriundos da Indicação de Procedência da Mantiqueira de Minas; oito da Chapada Diamantina, no Planalto da Bahia; seis da Indicação de Procedência do Norte Pioneiro do Paraná; cinco do Sul de Minas Gerais; três das Montanhas do Espírito Santo; três da Denominação de Origem do Cerrado Mineiro; duas das Matas de Minas; e uma da Média Mogiana, em São Paulo.

Nesta terça, o júri internacional do Cup of Excellence – Pulped Naturals 2015, formado por profissionais dos principais países importadores do mundo, iniciou as análises dessas 45 amostras, com base em propriedades como corpo, sabor, doçura e grau de acidez, avaliando-as com notas de 0 (zero) a 100, conforme tabela oficial do concurso. Após o crivo dos jurados internacionais, os lotes que obtiverem pontuação igual ou superior a 85 pontos serão sagrados vencedores, com anúncio no dia 17 de outubro, em Poços de Caldas (MG), e ganharão o direito de serem ofertados em disputado leilão, via internet, no dia 1º de dezembro.

Sobre o Cup of Excellence

Considerado o principal concurso de qualidade do mundo, o Cup of Excellence nasceu em 1999 no Brasil com o objetivo de selecionar os melhores grãos colhidos em cada safra, que possuam alta qualidade e sejam adequados ao mercado de cafés especiais, visando a comercializá-los através de leilão internacional pela internet. Os preços alcançados nesses pregões chegam a superar em mais de 3.000% os valores de referência na Bolsa de Nova York, principal plataforma mundial de comercialização do produto.

No ano passado, o leilão dos 21 cafés vencedores do concurso registrou dois recordes: o valor de *R$ 16.646,48 por saca de 60 kg (US$ 50,20 por libra-peso) pago ao lote campeão e o preço médio de *R$ 3.863,44 (US$ 11,65/lb), que foram os maiores na história do certame no Brasil. Ao final, todos os produtos foram arrematados, gerando uma arrecadação total de *R$ 1.267.422,15 (US$ 505.553,31).

O campeão Candido Vladimir Ladeia Rosa recebeu o maior lance no pregão, exatamente o valor recorde, que foi pago pelo pool entre as empresas Maruyama Coffee, Time's Club, Kyokuto Fadie Corporation, Yamada Coffee, Bontain Coffee (Japão), Campos Coffee (Austrália), Orsir Coffee (Taiwan) e Coffee Tree Roasters (EUA). O lote de 16 sacas produzidas na Chácara Ouro Verde, em Piatã, região da Chapada Diamantina, na Bahia, gerou uma arrecadação total de *R$ 266.301,56 (US$ 106.223,20). Na comparação com o fechamento de 26 de novembro na Bolsa de Nova York – principal plataforma de comercialização de café no mundo –, que foi de R$ 644,17 (US$ 256,95) por saca, houve uma substancial alta de aproximadamente 2.500%. ver mais notícias