NOTÍCIAS

Defensivos agrícolas ganham registro definitivo para o combate à broca do café

Foto: Paulo Rebelles

O combate à broca-do-café, uma das principais pragas da cafeicultura, se tornou um grande desafio para os produtores, indústrias e exportadores do produto, desde a proibição do defensivo agrícola endossulfan, em 2013. O banimento do ingrediente ativo, reconhecido pelo baixo custo de aplicação e pela eficiência no campo, provocou o aumento da incidência da broca nas plantações de café. Para mudar esse quadro, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Instituto Brasileiro de Meio Ambiente (IBAMA) aprovaram o registro definitivo dos defensivos Benevia e Voliam Targo.

A autorização dos produtos representa uma vitória para o setor, já que os prejuízos causados pela praga, tanto na quantidade produzida, quanto na qualidade dos grãos, enfim, serão reduzidos. O registro definitivo também possibilita a rotatividade dos produtos disponíveis no mercado e evita a resistência da praga aos princípios ativos.

As informações técnicas básicas sobre os dois defensivos já disponíveis aos cafeicultores brasileiros estão contempladas logo abaixo:

Tabela 1: Informações técnicas dos inseticidas Benevia e Voliam Targo

Produto

Empresa

Praga

Modalidade de Uso

Doses

Número, Época e Intervalo da Aplicação

Benevia1

DuPont

Broca-do-café (Hypothenemus hampei)

Foliar

1500 mL/ha* (150 g i.a/ha)

Iniciar as aplicações para o controle da broca-do-cafeeiro no início da formação dos grãos e no momento da migração dos adultos. Intervalo mínimo entre aplicações: 30 dias. Em épocas de menor ocorrência da praga, usar a menor dose.

*Número máximo de aplicações por ciclo da cultura: 2. Não aplique um total de mais de 300 g i.a/há de ciantraniliprole por ciclo de cultura. Não aplicar durante período de floração. Utilizar um volume de 400 a 500 L calda/ha, variando de acordo com o estádio de desenvolvimento da cultura e praga.

Voliam Targo2

Syngenta

Broca-do-café (Hypothenemus hampei)

Foliar

1000 mL/ha

Aplicar quando foi constatada 1% de infestação. Realizar levantamento nos frutos da primeira florada. Realizar no máximo duas aplicações sendo a primeira em novembro/dezembro e a segunda em janeiro/fevereiro, com intervalo de 60 dias.

ver mais notícias