NOTÍCIAS

Embrapa Cerrados recebe visita de casal imperial

  • 06/11/2015 |
  • Juliana Caldas
O príncipe japonês Akishino e sua esposa, a princesa Kiko, visitaram a Embrapa Cerrados. Os membros da família imperial japonesa chegaram ao Brasil no dia 28 de outubro e vão percorrer 10 cidades em 11 dias. A visita faz parte das comemorações dos 120 anos de Amizade Japão-Brasil. A Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) localizada em Planaltina (DF) entrou na programação da comitiva, pois o príncipe japonês demonstrou interesse em conhecer a unidade de pesquisa que desenvolveu trabalhos científicos no âmbito do Programa de Cooperação Nipo-Brasileira para o Desenvolvimento Agrícola dos Cerrados (Prodecer).

O casal imperial foi recepcionado pelo presidente da Embrapa, Maurício Lopes, pelos diretores da empresa, Ladislau Martim e Vania Castiglioni, pelo ex-ministro da agricultura Alysson Paulinelli, pelo fundador e ex-presidente da Embrapa, Eliseu Alves, e pelo chefe geral da Embrapa Cerrados, José Roberto Peres. O presidente da Embrapa apresentou para o casal imperial e sua comitiva informações sobre a cooperação firmada entre o Brasil e a agência de cooperação do Japão, a Japan International Cooperation Agency (Jica) no âmbito do Prodecer – primeiro grande convênio firmado entre os dois países, em 1977, e que se tornou uma referência para o desenvolvimento agrícola do Cerrado. De acordo com Lopes, a importância do Programa foi além do bioma e acabou impactando positivamente também toda a rede de pesquisa da Embrapa.

O presidente apresentou informações sobre a agricultura desenvolvida no Brasil desde a década de 70, relatou os principais desafios que o país teve de enfrentar para transformá-lo numa fronteira agrícola e, ainda, apresentou as principais tecnologias desenvolvidas desde a criação da empresa. "Essa cooperação Brasil/Japão foi o ponto de partida para a grande revolução agrícola que aconteceu no Cerrado, nossa savana brasileira", enfatizou. Lopes fez um breve relato a respeito da estruturação do Prodecer e citou as principais áreas de cooperação entre as duas instituições. "O apoio era técnico e científico e centrado na doação de equipamentos, treinamento e consultorias", informou.

Os príncipes e sua comitiva visitaram os campos experimentais da Unidade de pesquisa. No local, a pesquisadora Ieda Mendes repassou informações sobre as tecnologias que contribuíram para o desenvolvimento agrícola do Cerrado nessas quatro décadas de história, como as relacionadas à fertilidade de seus solos e ao desenvolvimento de variedades de soja adaptadas à região. Em seguida, o grupo visitou o jardim japonês Masato Kobayashi, construído pela Embrapa Cerrados em 2008 em homenagem ao ex-coordenador administrativo da Jica. Ele pediu que, após sua morte, ocorrida em 1981, parte de suas cinzas fossem depositadas na Unidade. O pedido dele foi atendido e hoje há no local um jardim japonês dedicado a ele. "Masato Kobayashi simboliza essa importante cooperação Brasil/Japão", afirmou o presidente da Embrapa Maurício Lopes. ver mais notícias