NOTÍCIAS

Encontro alerta para combate e controle do Greening em cítricos

  • 26/10/2015 |
Um encontro sobre citricultura vai discutir, na próxima quarta-feira (28/10), em Perdões (Sul de Minas), a incidência e o controle do Greening, mais destrutiva doença dos citros no Brasil. O evento realizado pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais- EPAMIG, em parceria com a Embrapa e Prefeitura Municipal, atende a uma solicitação dos citricultores da região.

Durante o Encontro, a pesquisadora da EPAMIG Sul Ester Alice Ferreira falará sobre a situação do Greening em Minas Gerais. De acordo com Ester, há registros recentes de queda na produção e na produtividade de citros na região em função da infecção pelo Grenning. “Há casos de frutos que não se desenvolveram e não atingiram o valor comercial e também de citricultores do Sul de Minas que erradicaram todo o pomar que se tornou improdutivo após ser contaminado pela doença”, explica.

A pesquisadora destaca também três recomendações básicas para a prevenção do Grenning: uso de mudas sadias em novos plantios; monitoramento do pomar para identificação de plantas sintomáticas que deverão ser erradicadas; e controle do inseto vetor da doença (psilídeo). Recomendações para o manejo do psilídeo serão abordadas na palestra do representante do Fundo de Defesa da Citricultura (Fundecitrus) Bruno Daniel.

Foto: Eduardo Augusto Girardi
O Encontro será realizado, às 19 horas, no Auditório da Secretaria Municipal de Educação e Cultura de Perdões. As inscrições são gratuitas. Mais informações (35) 3864-7271 e (35) 3829-1190.



Identificação do Grenning

A doença conhecida como ‘Huanglongbing’, ‘HLB’, ‘Greening’ e ‘Amarelão’ ataca plantas cítricas e pode ocorrer em qualquer fase do desenvolvimento. Laranjeiras e tangerineiras estão entre as espécies mais afetadas, enquanto limeira ácida Tahiti e o trifoliata apresentam tolerância um pouco maior, mas todas as espécies cítricas são susceptíveis a esta doença.

A primeira ocorrência da doença no Brasil foi em 2004 no estado de São Paulo e espalhou-se para os estados do Paraná e Minas Gerais. A transmissão se dá por um inseto psilídeo chamado Diaphorina citri, que é o único vetor da do­ença conhecido no Brasil e já presente em vários Estados. O psilídeo adquire a bactéria ao se ali­mentar de uma planta infectada e, enquanto viver, sempre será capaz de transmitir a doença a outras plantas.

O primeiro sintoma do Grenning numa planta cí­trica é o aparecimento de um ramo amarelo que se destaca dos demais ainda verdes. À medi­da que a doença evolui, outros ramos amarelos vão surgindo até que todas as folhas da copa da planta tornem-se amarelas. Numa fase seguinte as folhas caem, o que causa seca e morte dos ponteiros.

No fruto, o principal sintoma é a redu­ção acentuada do tamanho. Sintomas externos também podem ser observados durante o amadurecimento dos frutos, como coloração ver­de irregular e inversão de cor durante a maturação (em um fruto sadio, a maturação se dá da parte basal para o centro; já em um fruto de uma planta contaminada, inicia-se do pedúnculo para o centro). Outro sintoma é a assimetria. Os lados de um mes­mo fruto têm tamanhos diferentes. Os frutos perdem valor comercial por sua deformação e, por acumularem menos açúcares, estarão inadequa­dos para processamento de suco.

Mais informações sobre transmissão, infestação, sintomas e controle da doença podem ser consultadas na Circular Técnica, nº 189, Huanglongbing (HLB, ex-Greening) ou Amarelão dos citros: identificação e manejo, disponível para download no site da EPAMIG: http://goo.gl/9q67Zh. ver mais notícias