NOTÍCIAS

Especial Expodireto: Mais de 1,5 bilhão de negócios fechados na 17ª Expodireto Cotrijal

  • 14/03/2016 |
  • Assessoria de Imprensa Expodireto Cotrijal

O grupo diretivo da Cotrijal concedeu entrevista coletiva no final da tarde desta sexta, último dia da 17ª Expodireto, divulgando os números oficiais da feira. O presidente da entidade, Nei César Mânica, ao lado do vice-presidente, Enio Schroeder, e superintendentes, anunciou volume de negócios de R$ 1.581.768.000 concretizados pelos expositores e anunciou que a próxima feira vai ocorrer entre os dias 6 e 10 de março de 2017.

"Nós nos sentimos totalmente realizados com mais esta edição da Expodireto, pois alcançamos os nossos objetivos de mostrar as marcas, empresas, tecnologias e inovações e tivemos debates importantíssimos para o agronegócio", expôs Nei César Mânica.

Do total de negócios, o montante de R$ 1.234.900.000 foi fechado nas instituições bancárias, R$ 210,3 milhões nos bancos de fábrica, R$ 87,252 milhões da comercialização com recursos próprios, R$3 9,360 milhões no pavilhão internacional e R$ 956 mil da agricultura familiar. A queda nos negócios foi de 28% com relação ao ano passado, cujo montante havia sido de R$ 2.182.196.000,00. Mânica ponderou que a partir desta semana, muitas intenções de negociação são assinaladas e acabam se concretizando.

Ele lembrou que o Brasil vive atualmente um dos momentos mais críticos da história política. "A economia está sangrando, as empresas estão tendo quedas em todos os setores, existe a realidade do desemprego e falta de confiança. Mas nos períodos de crise temos também os momentos de oportunidades e quem pôde fez bons negócios", pontuou.

O líder da cooperativa enfatizou ainda que a cada ano o grupo trabalha para melhorar a estrutura do parque e a qualidade da feira. "A cada 14 meses, o agronegócio tem 100% de renovação ou inovação dentro do setor primário. Então, a Expodireto traz o que há de mais novo e moderno a cada ano".

Mais de 200 mil pessoas

Nos cinco dias de feira, 210.800 pessoas passaram pela 17ª Expodireto Cotrijal, sendo 23 mil no primeiro dia, 46,8 mil na terça-feira, 47 mil na quarta-feira, 65 mil na quinta-feira e 29 mil no último dia. Com relação ao ano passado, ocorreu uma queda de 8%, diminuição que o presidente atribui ao clima chuvoso que desencorajou alguns visitantes. "A chuva foi uma dádiva para a agricultura, ainda mais em final de ciclo. Além disso, tivemos uma boa qualidade de público, interessado em negócios", elucidou.

O número de expositores teve um ganho de 5%, subindo de 530 em 2015 para 554 em 2016. O total de colaboradores próprios da Cotrijal e terceirizados que trabalharam para realizar a feira foi de 914.


Público satisfeito

Uma pesquisa de satisfação realizada com o público da 17ª Expodireto Cotrijal, promovida pela ULBRA, apontou que 96% das pessoas entrevistadas consideraram a feira ótima, muito boa ou boa. Entre os pontos positivos mais citados estão a organização, limpeza, maquinário, tecnologia, agricultura familiar e atendimento.


Setor de máquinas faz balanço da participação na Expodireto

Em coletiva de imprensa na manhã de sexta-feira (11), o presidente da Câmara Setorial de Máquinas e Implementos Agrícolas – CSMIA/Abimaq, Pedro Estevão Bastos, afirmou que a Expodireto Cotrijal é uma feira de grandes oportunidades para o setor, pois proporciona bons negócios e também um contato direto com os potenciais compradores. “E esse contato inicial aqui proporciona uma relação permanente, que facilita o trabalho dos fabricantes depois”, disse.

Ao apresentar os números levantados junto aos associados da Abimaq na Expodireto, ele ressaltou serem semelhantes aos do segundo semestre de 2015, indicando que o mercado parou de cair e se estabilizou. Em relação a feira de 2015, os negócios reduziram 23% entre os associados da entidade. “O agronegócio brasileiro é muito pujante. Se não fosse assim, os números seriam piores. Nosso agricultor está bem, conseguindo manter a rentabilidade”, falou, enfático Pedro Bastos.

ver mais notícias