NOTÍCIAS

Fundação Bill Clinton será parceira para AgroAceleradora

  • 17/02/2016 |
  • FAMATO

Foto: Divulgação

A Fundação Bill Clinton será parceira do Sistema Famato/Senar na execução do projeto da “AgroAceleradora”, que visa incentivar a formação de empresas do modelo startups voltadas à produção de soluções tecnológicas para o agronegócio de Mato Grosso. A intenção foi anunciada na manhã desta quarta-feira (17/02), em Abu Dhabi, pelos representantes da entidade ao presidente do Sistema, Rui Prado. Eles participam do Fórum Global para Inovações na Agricultura, evento que reúne as maiores empresas da atividade no mundo e segue até quinta-feira.

Em uma mesa redonda formada pela Fundação e pela comitiva do Estado, encabeçada pelo governador Pedro Taques, o presidente da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) explicou o projeto de formação da AgroAceleradora, elogiado pelos representantes da entidade criada pelo ex-presidente norte-americano.

“Estivemos agora numa reunião com representantes da fundação Bill Clinton e nós falamos a respeito do nosso projeto de fazer a empresa que vai acelerar as startups, a AgroAceleradora. A Fundação Bill Clinton gostou muito desse projeto, dizendo que tudo que tem a ver com inovação, e ainda mais na agricultura, é muito importante para o mundo, que precisa muito de alimentos”, disse Rui Prado.

A ideia da AgroAceleradora vai justamente ao encontro das bandeiras de atuação da Fundação Bill Clinton, especialmente quanto ao desenvolvimento econômico. Sua atuação acontece na América Latina e Caribe, além de África, Ásia e Estados Unidos. No evento nos Emirados Árabes, Prado se disse certo da parceria.

“Eu tenho certeza que teremos a Fundação Bill Clinton como uma das parceiras desse novo projeto de 'agrointeligência', de aceleração de startups. Essa foi uma reunião muito proveitosa, quando discutimos, e o governador colocou muito bem, sobre a criação de um novo parque tecnológico em Cuiabá. Para isso, é necessária essa inteligência, e é isso que estamos buscando aqui nesse fórum de inovação na agricultura”, ponderou.

A AgroAceleradora será composta por entes do Sistema Famato/Senar, além de pesquisadores de universidades locais que têm cursos voltados à agropecuária. O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) é um desses atores. Seu superintendente, Daniel Latorraca, também participou da mesa redonda com a Fundação Bill Clinton. Ele contou que a ideia da AgroAceleradora vem sendo debatida com diversos participantes do evento que já têm iniciativas semelhantes mundo afora.

“Nosso presidente Rui Prado falou do nosso projeto da AgroAceleradora, que consiste em acelerar pequenas empresas com grande potencial de inovação em produtos para agronegócio em Mato Grosso e no Brasil. Além da Fundação, a gente vem conversando com outras pessoas no próprio evento que já têm essa mesma iniciativa tanto nos Estados Unidos quanto em países da Europa para que a gente faça o melhor modelo em Mato Grosso”, informou.

O superintendente também explicou que as startups serão voltadas aos diversos elos das cadeias produtivas dos principais produtos de Mato Grosso. “Nosso foco é empresas que tragam soluções tecnológicas para o campo, para o produtor, para distribuição, ou seja, para todos os elos da cadeia do agronegócio dos nossos principais produtos”.

A expectativa de implantação e funcionamento da AgroAceleradora é até o segundo semestre deste ano. “Esse projeto deve acontecer até o final deste ano e esse evento está sendo muito proveitoso para que a gente defina e, também, trace parcerias tanto nacionais quanto internacionais para que o nosso projeto rode com sucesso quanto à inovação nesse setor da agricultura. Quando chegarmos no Brasil, devemos estar fechando esse processo para a consolidação da AgroAceleradora até o final do segundo semestre”, finalizou Latorraca.

ver mais notícias