NOTÍCIAS

Inscritos para a seleção do Curso Técnico em Agronegócio do SENAR já são mais de 10 mil

  • 04/02/2016 |
  • SENAR

O processo seletivo para o Curso Técnico em Agronegócio da Rede e-Tec Brasil no SENAR (Serviço Nacional de Aprendizagem Rural), já tem em torno de 11 mil candidatos inscritos, concorrendo às 2.603 vagas oferecidas em 58 polos de apoio da rede espalhados por 19 estados do País. As inscrições seguem até o próximo dia 15, mas em alguns polos a procura foi tão grande que não há mais disponibilidade de horários para o teste de seleção de novos candidatos.

A coordenadora de Educação Formal do Departamento de Inovação e Conhecimento do SENAR, Maria Cristina Ferreira, explica que as vagas para o exame de seleção são fixadas de acordo com a infraestrutura disponível em cada polo. Como as provas são feitas no computador e aplicadas individualmente, é preciso que o número de máquinas e que a escala de horários estejam de acordo com o número de candidatos.

O processo funciona assim: ao se inscrever, pelo site http://etec.senar.org.br/, o candidato verifica os dias e horários oferecidos para que ele faça seu teste no polo de apoio presencial onde pretende estudar. Depois de marcados, data e horário só podem ser alterados até 48 horas antes do que foi agendado. Se o candidato não faz a alteração no prazo fixado e não comparece às provas, ele é automaticamente desclassificado.

As vagas para o exame de seleção já estão esgotadas em dois polos de Goiás: Anápolis e Cristalina. Nos outros 56 polos da rede ainda existem horários disponíveis para o exame de seleção. Mas como a procura pelo Curso Técnico em Agronegócio é grande, e vem crescendo a cada dia, deixar a inscrição para a última hora é correr o risco de não encontrar mais horários disponíveis para o teste no polo de interesse.

Teoria e prática andam juntas

Lançado há um ano, por meio de parceria entre o SENAR e a Rede e-Tec Brasil, do Ministério da Educação (MEC), o Curso Técnico em Agronegócio é totalmente gratuito e oitenta por cento das suas 1.230 horas-aula são a distância, permitindo ao aluno estudar onde e quando puder. Ele só precisa ir ao polo de apoio presencial para as aulas práticas, aulas de campo e para fazer provas. “É um curso direcionado especialmente ao público do SENAR, produtores e trabalhadores rurais, seus filhos e pessoas ligadas ao meio, um diferencial que resulta em grande concorrência para as vagas oferecidas a cada semestre” – comenta Maria Cristina.

Outro fator para a grande procura pelo curso é apontado pelos próprios alunos, como Cassiano Ruver. “É um curso excelente, de grande proveito. O nível de conhecimento é tão alto que deixa todo mundo abismado. Mas o conteúdo é muito fácil de ser compreendido e o SENAR está de parabéns pelo material didático fantástico, apostilas, aulas e biblioteca virtuais, vídeos, tudo de primeira qualidade”.

Aluno do polo de Manhuaçu, na Zona da Mata mineira, Cassiano é homem da terra. Filho de lavrador, ele mesmo, quando mais jovem, trabalhou por cinco anos em lavouras de café. Agora radialista, sua paixão pelo campo o faz conservar o hábito de madrugar todos os dias para colocar no ar o programa Casa Caipira, dirigido por ele na Rádio Terra de Manhuaçu, onde vive.

“Nossa região nunca teve um curso como esse do SENAR. Então, quando surgiu a oportunidade, decidi fazer o curso para poder me comunicar melhor com meu público e também porque minhas raízes estão na roça”. Embora o curso seja em grande parte a distância, para Cassiano as aulas presenciais e práticas fazem toda a diferença. “Teoria e prática precisam andar juntas. É na prática que a gente consegue entender a teoria. Por exemplo, com uma visita técnica feita a propriedade de um dos colegas, que trabalha com gado leiteiro, vimos todo o processo de produção do leite de qualidade, da fazenda até chegar ao mercado. Foi formidável. Recomendo esse curso, com certeza”.

Iniciada com 18 polos de apoio montados em nove estados, a Rede e-Tec Brasil no SENAR ampliou rapidamente sua oferta pelo interior do Brasil, sobretudo no Norte e no Nordeste, contando hoje com 62 polos. Eles estão distribuídos entre os estados do Acre, Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraíba, Piauí, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Rondônia, Roraima, Santa Catarina, Sergipe e Tocantins, e no Distrito Federal.

ver mais notícias