NOTÍCIAS

Netafim realiza dia de campo e prevê recorde de produtividade de café conilon

A Netafim, empresa de irrigação por gotejamento, realiza na próxima semana, dia 22 de março, o Dia de Campo de Café Conilon, na cidade de Guaratinga/BA. Será a primeira colheita da A4 Agrícola e Pecuária após adotar a irrigação por gotejamento em 150 hectares de café conilon e a expectativa é de recorde de produtividade na primeira safra da lavoura.

“O objetivo inicial era irrigar a área de forma racional e consciente. Por isso, procurei a tecnologia do gotejamento. Ao longo da safra a planta começou a crescer mais e cada dia mais bonita e saudável. A expectativa agora é de recorde de produtividade para a colheita prevista para o início de abril”, explica o produtor.

Segundo Carlos Sanches, gerente agronômico da Netafim, a tecnologia conhecida como “gota a gota”, além de irrigar de forma precisa (95%), auxilia no expressivo aumento de produtividade – podendo chegar até 200%. “O gotejador permite que o produtor também realize a técnica de nutrirrigação em que os nutrientes são aplicados direto na raiz através das gotas de água. Dessa forma, a planta se alimenta mais vezes e em menores quantidades, o que é ideal para que absorva os fertilizantes de forma saudável”, explica. Além disso, o produtor reduz custos na produção (mão-de-obra, energia e insumos), garante homogeneidade das lavouras, facilidade de manejo com a implantação da nutrirrigação, entre outros, que podem representar até 20% de economia na fazenda.

Se comparada com o tradicional método de irrigação, como os aspersores, é ainda mais visível os benefícios. “A planta do café em determinada fase de sua vida precisa de 12 litros de água por dia. Na irrigação convencional é preciso aplicar quase 20 litros para que a planta possa absorver os 12 litros, um desperdício de 30a 40%. Já no gotejamento é preciso colocar apenas os 12 litros necessários, pois a água cai direto na raiz da planta”, detalha Sanches.

Estamos também trabalhando junto ao produtor o desenvolvimento de uma nova tecnologia, o gotejamento subterrâneo, que poderá contribuir de forma expressiva com a mecanização do cafezal que vem caminhando muito rápido, além de facilitar práticas de manejo como capinas, controle de roedores, roubos etc. “Estamos trabalhando em caráter experimental e esperamos em breve apresentar a solução completa de irrigação subterrânea para o conilon”, finaliza o gerente.

A tecnologia revolucionou as plantações do mundo. Em Israel, onde foi criada, transformou o deserto em áreas produtivas e irrigadas. Já é usada também em outros países com escassez de água como Índia e Sudoeste dos Estados Unidos. Atualmente no Brasil, a área de cultivo é de 65 milhões de hectares, mas apenas cinco milhões são irrigados.

ver mais notícias