NOTÍCIAS

Novidade no mercado de café, software garante mais precisão nos estoques

  • 08/10/2015 |
  • Eliana Sonja
Na agroindústria, assim como em todas as áreas empresariais, a tecnologia tornou-se uma ferramenta essencial. Das máquinas aos implementos, mapeamento de áreas, agricultura de precisão às plantas geneticamente melhoradas, a tecnologia está presente em todos os aspectos que compõem o cenário da agroindústria. Na área do café, por exemplo, a tecnologia tem ajudado sobremaneira na gestão dos estoques em todos os seus aspectos.

A armazenagem do café exige um sistema eficaz, pois os estoques são volumosos, sejam em sacarias ou em bag’s e, para a sua comercialização e posterior transporte, a correta localização do produto é fundamental. A tecnologia utilizada pelas cooperativas para esse sistema é a identificação por radiofrequência ou RFID. Essa tecnologia é um método de identificação automática através de sinais de rádio, que recuperam e armazenam dados através de dispositivos denominados etiquetas RFID.

O RFID é uma tecnologia antiga. Em 1937, os laboratórios de pesquisas navais dos EUA (NRL), e liderados por Sir Robert Alexander Watson-Watt, inventor do radar, desenvolveu o sistema Identification Friend-or-Foe (Sistema de identificação de Amigo ou Inimigo), que permitiu distinguir com mais precisão os inimigos de guerra. Mas esse sistema, com o tempo, foi sendo adaptado para o mundo corporativo.

O diferencial, na Coopercam, é a utilização do RFID em conjunto com um software intitulado Agrocoffee. Esse programa capta as informações coletadas pelo RFID e produz dados para consultas e operações na Coopercam. Através do RFID, é possível endereçar e localizar um bag dentro de um armazém ou mais, por exemplo. O software ajuda nos filtros de buscas e relatórios para a gestão do armazém, principalmente para mudança de endereço dos bag´s e para a formação de ligas de café para embarque. Com o software é possível visualizar a posição do bag a partir de um mapa gráfico que o sistema oferece, visualizar o tipo de café, classificação e certificação.

O responsável pela área de tecnologia da informação da Cooperativa dos Cafeicultores de Campos Gerais e Campo do Meio (Coopercam), Hendrix Brasiliense, explica. “Ao associar o RFID com os serviços de TI, os projetos ganham em eficiência e agilidade, além de redução de tempo e custos operacionais, ao integrar as informações de RFID com os sistemas gerencias da empresa”. Diz mais: “as informações ficam disponíveis aos administradores, ampliam sua visão e a real situação dos estoques de um armazém de café. Dessa forma, uma correta gestão das informações é fundamental para uma tomada de decisão, pois gera negócios lucrativos com a redução de tempo e custos, potencializa o desempenho e melhora a lucratividade”.

Ainda de acordo com Brasiliense, o trabalho conjunto do RFDI e o Agrocofee ainda é uma novidade no mercado. “Parece-me que apenas a Coopercam e a Coomap (Cooperativa de Paraguaçu), ambas no sul de Minas, utilizam esse software. Para a Coopercam, o Agrocofee está fazendo uma diferença enorme. Valeu muito a pena o investimento nesse software”, completa. ver mais notícias