NOTÍCIAS

Núcleo de Apoio à Pesquisa em Microscopia Eletrônica da ESALQ celebra 20 anos de atividades

  • 09/10/2015 |
  • Alessandra Postali
O Núcleo de Apoio à Pesquisa em Microscopia Eletrônica Aplicada à Agropecuária (NAP/MEPA), da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (USP/ESALQ), tem como objetivo atender a demanda de uso dos microscópios eletrônicos de transmissão (MET) e de varredura (MEV) e de instrumentação periférica a docentes da Escola, de outras instituições e a empresas que necessitem dos equipamentos para projetos de pesquisa. O laboratório comemorou 20 anos de atividades em cerimônia que aconteceu no anfiteatro Salim Simão, no Pavilhão de Horticultura da ESALQ.

Raul Machado Neto, professor do Departamento de Zootecnia, responsável por parte da criação do Núcleo e contou como as atividades foram iniciadas. “Tudo começou em 1987, quando recebemos uma verba do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e pudemos investir na criação de um laboratório de microscopia eletrônica que atendesse multiusuários”, contou. Segundo Machado Neto a consolidação se deu entre 1994 e 1995, e envolveu o apoio de diversas pessoas. “É muito bom celebrar esses 20 anos, porque chegamos a um resultado muito positivo de uma atividade extremamente útil ao nosso Campus e à USP”.

Elliot Watanabe Kitajima, coordenador do NAP/MEPA de 1995 a 2006, hoje aposentado, continua como pesquisador do Núcleo. Ele explicou que a microscopia eletrônica é uma técnica que permite examinar detalhes pequenos e mais profundos que o microscópio de luz. “São equipamentos que exigem treinamento, por isso oferecemos, constantemente, cursos às pessoas interessadas em usar nosso laboratório. A essência é que qualquer pessoa que tenha interesse possa usá-los devidamente”. Em relação aos comemorativos, ele ressalta: “é uma satisfação ver que o trabalho foi reconhecido. Ficamos com o sentimento de missão cumprida”. Cerca de 700 pessoas fizeram o treinamento, nos últimos cinco anos.

O atual coordenador, Francisco Tanaka, contou dos usuários do laboratório. “Recebemos estudantes de vários cursos como agronomia, biologia, alimentos, engenharia química, odontologia, medicina e medicina veterinária”. De acordo com Tanaka, são poucos os laboratórios no Brasil que possuem multiusuários. As linhas de pesquisa são variadas, conforme o público. “Atualmente, o principal é um projeto temático da Fapesp que tem estudado a interação vírus-ácaro e vírus-plantas”, complementou.

O diretor da ESALQ, professor Luiz Gustavo Nussio, compareceu à atividade comemorativa e agradeceu os serviços prestados pelo Núcleo. “Devemos reverenciar a energia empenhada para que a iniciativa se concretizasse. Isso não acontece espontaneamente, depende de pessoas que estão olhando para frente e que podem trazer um pouco de luz aos demais. Esse tipo de ação deve ser valorizada por nós”, afirmou.
ver mais notícias