NOTÍCIAS

Pesquisadores criam planilha que calcula sombreamento em sistemas de integração

  • 11/03/2016 |
  • Renata Silva

Foto: Divulgação

Uma planilha eletrônica auxilia produtores e técnicos a planejar e dimensionar adequadamente a implantação de sistemas de Integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), ou mesmo a plantar árvores isoladamente para sombreamento, garantindo o conforto térmico dos animais. A planilha desenvolvida pela equipe de pesquisadores da Embrapa Rondônia pode ser utilizada em inúmeros locais e situações, com algumas adaptações explicadas em comentários escritos dentro da própria planilha.

Muitos estudos buscaram determinar a quantidade de sombra adequada na pastagem para garantir o conforto dos animais. Os resultados são variáveis, segundo o pesquisador da Embrapa Henrique Cipriani, vai de menos de 2 m² a mais de 5 m² de sombra por animal. "Provavelmente, características do local, dos animais e das próprias árvores influenciem os resultados. O fato é que o sombreamento, bem dimensionado, é desejável, senão necessário ao bem-estar animal", complementa.

O acesso à ferramenta é gratuito e o usuário pode editá-la. "Espera-se que essa planilha possa contribuir para estudos e projetos de ILPF, auxiliando no planejamento e análise de experimentos e de sistemas produtivos", comenta o Cipriani. Ela está disponível no portal da Embrapa Rondônia, ou diretamente no link:http://bit.ly/1WTY3R8.

Em geral, os agricultores e pecuaristas que desejam diversificar sua produção e aumentar a lucratividade, investindo no comércio de produtos florestais, especialmente os madeireiros, que é bastante atrativo. Além do ganho direto com a venda da madeira e outros produtos florestais, as árvores beneficiam indiretamente a produção leiteira ou de carne. Essa vegetação influencia no aumento da produtividade animal e fornece sombra para os rebanhos, o que é particularmente interessante para as regiões tropicais, onde o calor é mais intenso e os animais tendem a sofrer estresse térmico.

O pesquisador explica que a área de sombra projetada por uma árvore depende da altura e do tamanho da sua copa, e da posição do Sol, que é determinada pelo local, pela época do ano e pelo horário do dia. Desconsiderando-se o relevo, em geral, tem-se mais sombra nos horários próximos do nascer e do pôr do Sol e na época do ano em que os dias são mais curtos, quando o Sol está mais próximo do horizonte. Ao meio-dia, quando o Sol está "a pino", tem-se menos sombra. Além disso, deve-se considerar que próximo da linha do Equador há menor variação ao longo do ano. A posição do Sol também determinará a direção da sombra.

Veja como utilizar a planilha


A planilha utiliza fórmulas que levam em consideração a altura e o diâmetro da copa das árvores, o local (latitude e longitude) de plantio, o dia do ano e o horário. No caso de renques – faixas de vegetação compostas por uma ou mais fileiras de árvores –, é necessário informar a largura, o comprimento e a orientação (azimute) do renque. Com estas informações, que podem ser facilmente obtidas pelo usuário, a planilha retornará os seguintes parâmetros: comprimento, largura, área e direção da sombra, além do deslocamento da sombra em relação ao tronco da árvore.

A planilha permite que sejam calculados os parâmetros para mais de uma árvore, local ou horário simultaneamente, bastando-se digitar as informações necessárias e arrastar as fórmulas com movimentos do mouse. Para uma visão geral das mudanças no sombreamento ao longo do ano, há uma aba na planilha que calcula a área de sombra para todos os dias do ano, das 6 h às 19 h. Isso permite localizar, facilmente, os períodos de maior e menor sombreamento.

Como exemplo, o pesquisador faz uma suposição. Em um sistema ILPF no município de Porto Velho (RO), (8,801428° de latitude sul e 63,845950° de longitude oeste), com eucaliptos plantados em um renque de 96 m de comprimento e 9 m de largura. Considerando árvores com média de 15 m de altura total e copa com 5 m de altura e 3 m de diâmetro, tendo como orientação (azimute) do renque 31,00° (nordeste-sudoeste), e data e horário o dia 21/08/2015 às 15 h.

Nessa situação, tem-se: 16,32 m² de sombra por árvore, ou 1.001,27 m² por renque. A sombra estará 0,27 m das árvores, com comprimento de 105,34 m e largura de 9,54 m (por renque). A orientação é de 116,14°.

Considerando-se uma necessidade de sombra de 5 m² por animal, nessas condições, a área poderia fornecer sombra para até 200 animais. Para mais animais, seria necessário plantar mais renques. Os períodos com menos sombra seriam de 28/02 a 02/03, e de 13 a 16/10, com apenas 7,48 m² de sombra por árvore, ao meio-dia. Já o período com mais sombra seria de 21 a 25/06, com 12,20 m² de sombra. Cipriani ressalta que, no caso de Porto Velho, o período de geração de maior sombra coincide com uma época de alta insolação e calor, quando os animais estão sujeitos à maior estresse térmico e há maior necessidade de sombra e ambiente fresco. A variação anual nesse exemplo, para um mesmo horário, foi superior a 60%.

O pesquisador Henrique Cipriani explica que há limitações na planilha, pois os cálculos consideram o relevo plano (declividade de 0°) e, no caso de renques, devem ser retilíneos, ou seja, as fórmulas não se aplicam aos renques plantados em curva de nível, neste caso são necessárias correções nos resultados para aplicação em terrenos montanhosos. A planilha também não realiza modelagem ou predição do crescimento das árvores.

ver mais notícias