NOTÍCIAS

Preços de hortaliças apresentam queda no atacado

  • 24/09/2015 |
  • Conab
Após registrarem alta no mês de julho, os preços das principais hortaliças comercializadas no país no atacado apresentam tendência de queda. É o que aponta o 6º Boletim Prohort de Comercialização de Hortigranjeiros nas Centrais de Abastecimento (Ceasas), divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

A estabilidade da oferta e a qualidade da alface ofertada impulsionam a diminuição dos preços comercializados no mercado atacadista. Os entrepostos de Belo Horizonte, Goiânia e Rio de Janeiro, no entanto, registraram comportamento diferente dos demais no mês de agosto. Nesses locais a hortaliça registrou alta nos valores devido a problemas pontuais de abastecimento.

Outra hortaliça que oferece boa oferta e qualidade é a cenoura. O produto apresenta queda em todos os entrepostos pesquisados, impulsionada pela produção de inverno principalmente de Minas Gerais. O comportamento de queda também pode ser verificado para a cebola, embora os preços continuem mais altos do que no mesmo período em 2014. Isso se deve a uma menor oferta da safra nacional uma vez que, com os baixos preços registrados no ano passado, os produtores se sentiram desestimulados e reduziram a área plantada.

A batata e o tomate também registrara, queda nos preços de agosto. Enquanto a batata apresenta tendência de alta para setembro, o tomate mostra quadro indefinido. A crise hídrica tem afetado os custos de produção e a área de plantio, o que pode pressionar os preços.

Frutas - Assim como as hortaliças, as frutas também apresentam, em sua maioria, queda nos preços. Diferenciam desta tendência banana e melancia.

A banana não registrou comportamento uniforme, com baixas registradas nos entrepostos de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Vitório e alta em São Paulo, Goiânia, Brasília e Curitiba. Para setembro, a variedade nanica deverá apresentar boa oferta, no entanto a prata tende a ter problema de qualidade do produto, uma vez que a produção foi afetada pelas condições climáticas.

Já a melancia, mesmo com a alta apresentada, registra valores comercializados menores do que em 2014. A fruta tende a registrar arrefecimento nos preços nos próximos meses, a partir da intensificação da colheita. Maçã, laranja e mamão tiveram comportamento de queda. Destaque para laranja que nos próximos meses deve apresentar aumento na oferta, mas os preços devem ser pressionados pela maior procurar do setor industrial.

O levantamento de preços nos mercados atacadistas é feito por meio do Programa Brasileiro de Modernização do Mercado Hortigranjeiro (Prohort), executado pela Conab, e considera a maioria dos entrepostos localizados nos estados de Distrito Federal, São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Paraná. ver mais notícias