NOTÍCIAS

Produtores do Paraná participam do projeto Centro-Sul de Feijão e Milho

Foto: Divulgação

A 17ª Semana de Campo do Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho será realizada no próximo dia 8 de março, na Estação Experimental da Fundação ABC, em Ponta Grossa (PR). Cerca de 1.400 agricultores familiares da região Centro-Sul do estado devem participar das atividades que se estendem até o dia 11 de março.

A promoção desta edição da Semana de Campo do Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho é do Instituto Emater do Paraná, da Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento, Syngenta, Iapar, Embrapa Arroz e Feijão e tem o apoio da Fundação ABC e outras instituições do setor agropecuário.

Serão apresentados aos participantes os temas: segurança do produtor e meio ambiente; híbridos e controle de pragas e plantas invasoras do milho; agricultura sustentável – plantio direto/plantas de cobertura; boas práticas agrícolas – Campanha Plante seu Futuro; cultivares de feijão e, controle de plantas invasoras, pragas e doenças do feijoeiro.

O Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho foi criado em 1999 pelo Instituto Emater para atender os agricultores familiares que vêm enfrentando a redução de renda com essas culturas em função da baixa produtividade.

Desde que foi implantado, o projeto trouxe resultados significativos em sete regiões do estado e 61 municípios. Segundo Germano Kusdra, implementador do projeto, na safra 2014/2015 o projeto atuou em 43 municípios e a produtividade média das áreas demonstrativas foi 1,4 vezes superior à média do estado para a cultura do feijão, e 1,7 vez superior no caso do milho.

Além disso, a divulgação de novas tecnologias entre os agricultores tem levado à melhoria da qualidade dos produtos, ao melhor uso da mão de obra familiar e à maior adoção do sistema de plantio direto na palha, resultando no aumento da fertilidade das áreas e conservação dos recursos naturais.

Nesta safra 2015/16, os técnicos do Instituto Emater implantaram 87 UDs para feijão e 76 de milho, em 41 municípios do estado do Paraná que, ao longo de sua existência, tem trabalhado mais especificamente com os produtores de feijão e milho.

Apesar do rendimento das culturas ter melhorado nos últimos anos, ainda há vários desafios e problemas a superar. Os conhecimentos e as novas tecnologias evoluem constantemente e, a aproximação entre os geradores do conhecimento, a assistência técnica e o setor produtivo é fundamental para o aumento de produtividade das culturas e renda para as famílias rurais de forma sustentável, ou seja, com visão de futuro, preocupado com a preservação ambiental e a segurança alimentar, o Projeto Centro-Sul de Feijão e Milho deverá continuar com os objetivos e as ações tratadas em parceria.

ver mais notícias