NOTÍCIAS

Projeto De Primeira, Sem Dúvida expande ação para cultura do trigo

  • 08/09/2015 |
  • Carlos Nascimento
A repercussão positiva sobre os resultados apresentados em sua primeira fase viabilizou a expansão do ‘De Primeira, Sem Dúvida’ para áreas de cultivo de trigo no Rio Grande do Sul, já na safra 2015. A Bayer está realizando o monitoramento em tempo real das áreas em Passo Fundo e Itaara, por meio de câmeras em lavouras, com o acompanhamento direto de pesquisadores do Instituto Phytus e da Universidade de Passo Fundo (UPF). O Estado é um dos maiores produtores do cereal no País.

Segundo Everson Zin, gerente de Estratégia de Marketing FOX da Bayer CropScience, a escolha foi motivada pelo fato da cultura do trigo exigir ainda mais cuidado, uma vez que está mais suscetível a adversidades com as condições climáticas e proliferação de doenças. “Assim como realizamos com os sojicultores, o objetivo é possibilitar que o triticultor consiga atingir as melhores práticas de manejo e, consequentemente, alcançar melhores níveis de produtividade. Na batalha travada a cada safra pelos agricultores brasileiros, contar com tecnologia, previsibilidade, monitoramento e correto posicionamento das aplicações de fungicidas é fundamental para se alcançar bons resultados’’, conclui Zin.

Em Itaara (RS), a estrutura do De Primeira, Sem Dúvida está instalado dentro do Instituto Phytus, com supervisão do engenheiro agrônomo Ricardo Balardin. “O projeto é de extrema importância para o agricultor, pois com observações em tempo real é possível que ele veja a importância do correto manejo fúngico da lavoura do trigo”, explicou. Balardin lembra, ainda, que o objetivo principal do projeto é a indicação de um posicionamento do controle de doenças no cultivo, provando a importância fundamental da primeira aplicação no plano de controle químico das doenças na cultura do trigo.

Na Universidade de Passo Fundo (UPF), uma das coordenadoras do projeto é Carolina Deuner, pesquisadora do laboratório de Fitopatologia/Nematologia e professora no curso de Agronomia e Medicina Veterinária. “Junto com meu parceiro, o pesquisador Carlos Alberto Forcelini, acreditamos que esta parceria com a Bayer é fundamental para a produtividade do triticultor. Somos fonte de pesquisa para estes produtores e nossos estudos influenciam seu modus operandi. Queremos provar que se ele realizar um correto manejo de fungicida no trigo terá mais produtividade”.

Como funciona?
Everson Zin explica que cada área de trigo está dividida em dois talhões iguais. No alto de uma estrutura fixada em frente às duas áreas há uma câmera captando todo o perímetro do campo, abaixo há duas outras direcionadas para cada talhão. Enquanto uma das partes da lavoura está recebendo o tratamento adequado com o FOX para o manejo de doenças, a outra serve de testemunha, onde a aplicação é feita com atraso.

“Os produtores rurais podem acompanhar tudo, em tempo real, e em qualquer lugar do mundo, o avanço da lavoura e as projeções de manejo de doenças sob a ótica técnica dos pesquisadores envolvidos. Cada campo fica sob a responsabilidade de um pesquisador, que faz reporte diário das atividades, com apontamentos pertinentes ao correto manejo do fungicida”.

Para acompanhar toda movimentação do projeto acesse o site http://deprimeirasemduvida.com.br. ver mais notícias