NOTÍCIAS

Projeto UAI ajuda a alavancar em 30% a produtividade de soja em Goiás

  • 19/06/2017 |
  • Mariana Grilli
O projeto UAI – União dos Agrônomos Independentes, coordenado pela Bayer em parceria com o Comitê Estratégico Soja Brasil (Cesb), está completando dois anos de execução e pela primeira vez apresenta o resultado das atividades realizadas em Goiás, estado que já conta com 100 agricultores participantes. O objetivo principal do UAI é propor um novo modo de fazer agricultura aos produtores com foco em um manejo diferenciado.

“Esta iniciativa surgiu a partir da necessidade dos agricultores saberem se prevenir dos veranicos que ocorrem na época do plantio da soja. Por isso, estabelecemos este programa de assistência para instruir produtores a respeito de novas formas de manejo de solo e fomentar uma rede de informação, em que eles podem se sentir à vontade para contribuir com suas vivências e compartilhar as experiências do campo”, explica Marcelo Junqueira, gerente de Marketing Operacional da Bayer.

A ideia está sendo desenvolvida desde a safra 15/16 e fomenta boa formação de solo e cuidados fitossanitários, além da apresentação de assuntos técnicos mais profundos que ajudem o produtor a buscar alta rentabilidade, com investimentos e o uso de novas tecnologias. Apenas nestes dois anos de atividades, a produtividade da soja em Goiás aumentou em 30% nas áreas em que as recomendações do UAI foram aplicadas.

No escopo do UAI GO estão incluídas três regiões: Goiânia (que engloba Brasília), Rio Verde (GO) e Campo Grande (MS). “Esta é a prova de que investir em capacitação e tecnologia pode aumentar a produtividade e alavancar a agricultura brasileira. Por isso, além de Goiás, a Bayer já leva o UAI para Tocantins, Pará e Mato Grosso do Sul e pretende expandir o projeto para outros estados como Piauí e Bahia, fomentando sabedoria aos agricultores interessados”, acrescenta Marcelo Junqueira.

Produtores participantes da iniciativa recebem três visitas dos consultores ao longo do ciclo da soja, em momentos estratégicos da cultura. A primeira acontece na fase pré-plantio, para avaliação e correção do solo, antes da semeadura; depois, são orientados novamente ao longo do plantio da cultura para o manejo fitossanitário; e a terceira visita sucede o início do estágio reprodutivo da soja, para os últimos ajustes da safra.

De acordo com a Associação dos Produtores de Soja e Milho de Goiás (Aprosoja-GO), o Estado produziu 10,819 milhões de toneladas de soja na safra 16/17 e o crescimento da produtividade das lavouras foi o principal fator para a elevação da produção neste ano, já que o aumento da área plantada foi pouco expressivo (apenas 0,3% em relação à passada). Goiás está entre os quatro maiores produtores de soja do País, grupo que também é composto por Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul.

ver mais notícias