NOTÍCIAS

Randon anuncia resultados de 2015

  • 23/03/2016 |
  • Gladis Berlato

As reduções de vendas de caminhões de 47,7% e de 47,5% no segmento de semirreboques em 2015 levaram a Randon S.A Implementos e Participações a quedas em seus indicadores de resultado. “A crise de confiança instalada no País tem sido determinante para que a economia continue em recessão e reforce os fracos volumes de vendas e produção”, analisa o Diretor Financeiro e de Relações com Investidores, Geraldo Santa Catharina. Segundo ele, a já fragilizada demanda por veículos comerciais foi ainda mais prejudicada com a decisão do governo de antecipar a suspensão do FINAME PSI no fim de outubro. “A busca das montadoras pelo ajuste nos níveis dos estoques de seus pátios e dos seus concessionários derrubou os volumes de produção”, reforça Geraldo.

A ampliação de vendas para o mercado externo é uma das prioridades da Companhia, e diversas ações estão sendo implementadas visando à recuperação de mercados. Os resultados foram divulgados nesta quarta-feira, 23 de março, e amanhã, quinta-feira, os diretores Daniel Raul Randon, vice-presidente de Administração e Finanças, e Geraldo Santa Catharina, apresentarão a Teleconferência de Resultados.

A receita bruta total, com impostos e antes da consolidação atingiu R$ 1,1 bilhão no quarto trimestre de 2015 ou 16,5% inferior ao mesmo período do ano anterior (R$ 1,3 bilhão). No comparativo dos doze meses de 2015, houve redução na receita bruta de 22,4% em relação ao mesmo período de 2014, totalizando R$ 4,2 bilhões em 2015. A receita líquida consolidada somou no quarto trimestre de 2015, R$ 814,9 milhões, 10,6% menor do que o mesmo trimestre de 2014. Em 2015, a receita líquida teve redução de 18,0% quando comparada com 2014, passando de R$ 3,8 bilhões (2014) para R$ 3,1 bilhões (2015).

O lucro bruto totalizou R$ 159,1 milhões no quarto trimestre de 2015 e representou 19,5% da receita líquida consolidada, tendo redução de 26,2%, em relação ao quarto trimestre de 2014, quando o lucro bruto atingiu R$ 215,6 milhões ou 23,6% da receita líquida consolidada. No comparativo anual, o lucro bruto diminuiu 32,0%, passando de R$ 943,0 milhões (25,0% sobre a Receita Líquida em 2014) para R$ 640,9 milhões (20,7% sobre a Receita Líquida em 2015).

O EBITDA do 4T2015 encerrou com redução de 79,3% em relação ao total obtido no mesmo trimestre de 2014, atingindo R$ 21,4 milhões (2,6% sobre a receita líquida consolidada) ante os R$ 103,4 milhões do mesmo trimestre de 2014 ou 11,3% sobre a receita líquida consolidada. No ano totalizou R$ 161,9 milhões ou 5,2% sobre a receita líquida do período, enquanto em 2014 havia registrado R$ 490,5 milhões ou 13,0% sobre a receita líquida.

As vendas consolidadas para o mercado externo, no 4T2015, totalizaram US$ 36,8 milhões ou queda de 8,0% em relação ao mesmo trimestre de 2014. Em 2015, as exportações caíram 17,4%, atingindo 158,2 milhões de dólares. Embora a taxa do dólar esteja atrativa para exportações, as crises econômicas nos países dependentes de petróleo e demais commodities, têm dificultado o aumento das vendas para mercado externo. Nas operações instaladas no exterior a receita bruta total, sem eliminações das vendas entre as empresas em 2015, totalizou US$ 142,8 milhões ante os US$ 117,4 milhões em 2014. O total entre a soma das exportações e das receitas geradas no exterior foi de US$ 301,0 milhões em 2015, 2,6% menor do que em 2014 (US$ 309,0 milhões). Para o exercício atual, a Companhia retrata as expectativas conforme segue:

Guidance 2016

Receita Bruta Total – R$ 4,2 bilhões

Receita Líquida Consolidada – R$ 3,2 bilhões

Receitas no exterior – US$ 290 milhões

Importações – US$ 55 milhões

Investimentos – R$ 60 milhões

Desempenho por setor de atuação:

Veículos e Implementos - O segmento de veículos rebocados acompanhou o fraco desempenho de vendas de caminhões, registrando queda de 36,3% nos volumes de vendas de 2015 se comparado a 2014. A participação de mercado da Randon em 2015 foi de 26,2% (26,9% em 2014) em um mercado representado por 29.620 unidades (56.453 unidades em 2014). Descartada a possibilidade de renovação do Finame PSI para 2016, o setor terá que se adaptar aos juros da modalidade TJLP e a não ser mais subsidiado pelo Governo.

Vagões Ferroviários - A similaridade existente no processo de fabricação entre semirreboques e vagões ferroviários permite um melhor aproveitamento da capacidade instalada da Unidade para garantir o fornecimento de vagões ferroviários, mercado que se encontra demandante. O 4T2015 encerrou com a entrega de 602 vagões, totalizando desta forma 1.999 produtos no acumulado do ano (com crescimento de 47,4% em relação a 2014). Este foi isoladamente o melhor desempenho histórico da Companhia neste setor.

Autopeças - A controlada Fras-le encerrou o ano acumulando alta de 14,4% em sua receita líquida, por ter a maior parte de suas vendas nos mercados de reposição e exportação, favorecido pelo câmbio. As demais empresas de autopeças passam por estudos de internacionalização e reposição. A retração do mercado interno e a desvalorização do real consolidam novas oportunidades.

PRINCIPAIS NÚMEROS (R$ Mil)

4T2015

4T2014

Δ%

2015

2014

Δ%

Receita Bruta Total (*)

1.091.579

1.308.061

-16,5%

4.236.905

5.457.304

-22,4%

Mercado Interno

951.623

1.207.546

-21,2%

3.714.039

5.007.057

-25,8%

Mercado Externo

139.956

100.514

39,2%

522.866

450.247

16,1%

Mercado Externo em US$

36.802

40.006

-8,0%

158.198

191.579

-17,4%

Receita Líquida Consolidada

814.872

911.467

-10,6%

3.099.401

3.778.753

-18,0%

Lucro Bruto Consolidado

159.087

215.559

-26,2%

640.927

943.007

-32,0%

Margem Bruta (%)

19,5%

23,6%

-4,1 p.p.

20,7%

25,0%

-4,3 p.p.

Resultado Líquido Consolidado

-20.999

39.558

-153,1%

-24.628

201.956

-112,2%

Margem Líquida (%)

-2,6%

4,3%

-6,9 p.p.

-0,8%

5,3%

-6,1 p.p.

EBITDA Consolidado

21.430

103.410

-79,3%

161.879

490.463

-67,0%

Margem EBITDA (%)

2,6%

11,3%

-8,7 p.p.

5,2%

13,0%

-7,8 p.p.

EBITDA Ajustado

44.162

103.410

-57,3%

258.167

490.463

-47,4%

Margem EBITDA Ajustado (%)

5,4%

11,3%

-5,9 p.p.

8,3%

13,0%

-4,7 p.p.

(*) Sem eliminação das vendas entre empresas.

Valores em R$ Mil

ver mais notícias