NOTÍCIAS

UPL propõe soluções para manejo de percevejos na soja

  • 06/12/2017 |
  • Amanda Pimentel

Com o aparecimento das flores da soja, o alerta para a presença iminente dos primeiros percevejos pode levar grande preocupação a maioria dos sojicultores no Brasil. Durante a entressafra, populações de percevejos sobrevivem em plantas hospedeiras em busca de alimentos até que um novo ciclo de plantio se estabeleça, podendo atacar as lavouras cada vez mais cedo (estádio vegetativo), causando danos na formação das vagens e enchimento dos grãos, período extremamente crítico de definição da produtividade do cultivo no campo.

Qual é o desejo dos os produtores quando o assunto é o manejo dos percevejos? Em algumas pesquisas realizadas no campo, produtores disseram que dentro das alternativas de proteção da planta, as preferências são para um produto que tivesse boa ação de choque, com eficiência prologada; e, se possível, que ajude a controlar outras pragas.

O inseticida Sperto com seus dois modos de ação permite retardar o fechamento dos canais de sódio e ao mesmo tempo age como agonista dos receptores nicotínicos de acetilcolina, o que faz com que o combate ao percevejo seja mais eficiente e também que ajude o agricultor a um melhor de manejo de resistência de pragas na sua propriedade. Com essa tecnologia de ação ele possibilita um melhor efeito de choque, além de ter um amplo espectro de controle também atuando no combate da mosca branca.

Porque é importante realizar as boas práticas do manejo de resistência? Pois, os danos que sugadores podem causar na soja podem levar a uma perda na produtividade de 30 a 35% em regiões que tem grande população da praga. Para um manejo de resistência ideal deve ser feita a primeira aplicação de Perito, como uma ação de ‘limpeza inicial’ e nas 2ª e 3ª aplicações com Sperto que tem uma ação com efeito prolongado, oferecendo a sua soja maior eficiência contra percevejos da flor ao grão. 

 

ver mais notícias