Logo

Facebook Twitter

NEWSLETTER

Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura


24 de Agosto a 29 de Agosto
XXIII Congresso Brasileiro de Fruticultura
26 de Agosto a 29 de Agosto
FENASUCRO 2014
Atualizacoes Phytus.gif


home > artigos técnicos > Soja na palha

ARTIGOS TÉCNICOS

Soja na palha

Plantio Direto na Palha é uma tecnologia de ponta que dá lucro, proteção ambiental, sustentabilidade à agricultura e segurança na produção de alimentos.

No Estado de São Paulo houve uma expansão do Plantio Direto de 670% no ano de 97/98 para 98/99, isto é, passando de 45 mil hectares para 348 mil hectares, sendo que nesta safra 00/01, já acreditamos que estamos por volta de mais de 600 mil hectares, isto graças ao Programa Estadual de Plantio Direto na Palha no valor de até R$ 15 mil por produtor individual, com prazo de até 4 anos, inclusive com 1 ano de carência, com juros de 4% ao ano, ainda mais, treinou 36 técnicos da CATI e mais alguns técnicos interessados no programa de outros órgãos de pesquisas e do ensino de diferentes regiões do Estado.

Nas regiões produtoras de cana-de-açúcar, como a do nosso município de Aramina, com o Decreto Estadual 41.719/97 e 42.056/97 do capítulo IV, artigo 16, em que se trata da redução gradativa do emprego de fogo na cultura da cana-de-açúcar, e ser considerada prática ilegal, a queimada dos restos de culturas. A colheita da cana crua mecanizada, em algumas usinas na região de Ribeirão Preto/SP, já passa de 50% das suas áreas de colheita. Decorrente a isso, o maior problema era como plantar soja nesta palhada (que chega em alguns lugares a até 20 cm de altura), com as plantadeiras que possuíamos no mercado.

A resposta veio em forma de erros e acertos, enfrentando riscos, e estudando os erros e acertos dos outros produtores como Paulo Rodrigues, da Fazenda Santa Isabel e Luiz Fernando, da PROTEMA, estamos conseguindo aperfeiçoar o sistema de Plantio Direto de Soja na Palha de Cana Crua em Aramina e já há três safras estamos apresentando a nova tecnologia aos nossos produtores, cada ano com novas descobertas e obtendo melhores resultados.

Colheita da cana crua

De preferência de junho até a 1º quinzena de setembro. E recomendamos que a colheita seja feita com a colhedora que direciona a esteira elevadora para os dois lados, porque deixa a palhada mais uniforme e não remonta esta.

Com isso economizamos no herbicida pré ou pós-emergente na cultura de soja, obtendo também um desenvolvimento e maturação mais uniforme da cultura da soja e posteriormente da cana.

Aplicação de calcário

Em superfície, utilizando preferencialmente meia dose um ano antes e a outra metade logo após a colheita da cana, com isso o V% (saturação de base) deve ficar por volta de 50%.

Aplicação de gesso

Em solos arenosos não recomendamos, apenas em solos muito argilosos e compactados, com finalidade de corrigir a acidez na camada mais profunda, favorecer a cultura da cana-de-açúcar, após a cultura da soja.

Em áreas de cana queimada

A aplicação de calcário deve ser logo após a colheita da cana a se optar por semear culturas para formação de palhada, pode-se fazer junto e incorporar de uma só vez, aproveitando o solo ainda com um pouco de umidade logo após a colheita da cana.

Controle de formigas

É importante que seja feito logo após o corte da cana, para não prejudicar na dessecação.

Dessecação

Recomendamos de 5 a 6 litros de Glyphosate ou Sulfosate, se a área for infestada com ervas daninhas de folha larga (trapoerba, corda de viola, etc.) acrescentar Classic ou Flumyzim, utilizar vazão de 200 I/Ha com pulverizador tratorizado normal, de 50 a 60 I/há com barra de arrasto e 40 I/Ha aplicação aérea.

Observação

Qualidade da água, pH, plantas empoeiradas, estressadas, recém-cortadas e riscos com chuva após aplicação, todos esses fatores afetam na ação dos herbicidas.

Tratamento de sementes

É importante não só o tratamento com fungicidas para proteção de doenças das sementes, como também o tratamento com micronutrientes (Co e Mo).

Variedades recomendadas

Recomendamos o plantio das variedades de soja mais rústicas e precoces com ciclo de 100 a 120 dias para não atrapalhar o plantio da cana, e que possuem altura média de inserção das primeiras vagens em torno de 13 a 14 cm, facilitando a colheita e mostrando bons resultados.

Plantio

O sucesso do Plantio Direto de Soja, na palha da cana, depende de uma boa regulagem do equipamento, ter de preferência caminhos desencontrados, disco de corte de pelo menos 20” e bem afiados (sem dentes), (no caso de palhada de cana), discos duplos desencontrados nos carrinhos do adubo e da semente. Na soqueira de cana queimada, utilizar botinhas no carrinho do adubo de preferência para a melhor penetração das raízes no solo.

Tratos Culturais

Aplicação de herbicidas

Nas áreas de cana colhida crua não há necessidade da utilização de herbicidas de pré ou pós-emergência. Já nas áreas de colheita de cana manual e queimada, e se forem áreas com alta infestação de ervas daninhas, devem ser utilizados os herbicidas de pré-emergência ou em área não muito infestada, pode-se esperar o tipo de erva daninha que vai aparecer, e utilizar um herbicida de pós-emergência, direcionado para aquele tipo de erva daninha que aparecer depois.

Adubação de cobertura

Só se a adubação de plantio foi insuficiente ou se o solo for muito arenoso, onde a lixiviação se torna rápida com excessos de chuva, daí então aconselhamos uma adubação de 150 a 200 Kg/há de 20-00-20, entre os 15 e 20 dias após a germinação da soja.

De preferência com inseticidas biológicos (Bacillus thuringiensis) ou inseticidas que não agridam o meio ambiente.

Fazer acompanhamento do ataque da praga e entrar com o combate apenas quando atingirem o nível de dano econômico, ou seja, quatro percevejos por pano de batida.

É utilizada para melhorar a qualidade de grãos ou no caso de o produtor desejar antecipar a colheita da soja ou se na lavoura não houve maturação uniforme devido a problemas causados por distúrbios fisiológicos, condições climáticas adversas, deficiência nutricional ou ainda se a lavoura estiver infestada por ervas daninhas.

Para isso a soja deve estar no estádio R 7.0, ou seja, de 80 a 90% das vagens mudando de coloração, perdendo a coloração verde intensa, apresentando-se amareladas ou amarronzadas ou com umidade entre 50 e 60%.

Colheita

Antes de plantar a lavoura o produtor deve conhecer bem o ciclo de cada cultivar de soja, para planejar o plantio e a colheita de acordo com a maior ou menor precocidade do cultivar.

O operador da máquina deve conhecer bem o funcionamento e manejo da máquina e ser capacitado.

Observar em o momento certo de se fazer a colheita (maturação, umidade, horário de iniciar e parar de colher, para que não haja perda na colheita.

Oswaldo Siroshi Tanimoto,
Cati – Aramina

* Este artigo foi publicado na edição número 37 da revista Cultivar Grandes culturas, de março de 2002.


Logo Rodapé
RSS Twitter Facebook