Adequação de tratores para aumentar produção de culturas

Avaliação mostra comportamento do conjunto trator e grade, revolvimento de solo atuando com diferentes configurações de lastragem.

O uso de trator e implementos agrícolas pode contribuir no aumento da produção das culturas e melhorar o rendimento da mão de obra empregada no campo, possibilitando ao produtor rural obter melhor retorno financeiro em sua atividade. Por outro lado, quando esses equipamentos são utilizados de forma inadequada, podem causar sérios problemas econômicos e ambientais. Assim, os fatores básicos de adequação do trator ao implemento e as condições do solo a ser trabalhado devem ser considerados durante o planejamento e a execução das operações, minimizando perdas de eficiência operacional do conjunto mecanizado. Bem como a degradação dos indicadores de qualidade física do solo.

A versatilidade do trator frente às operações que o mesmo pode desempenhar no campo exige ajuste e/ou adequação para cada operação, procurando alcançar a maior eficiência em cada uma destas. Entre as principais adequações estão velocidade de trabalho, potência requerida pelo implemento, tipos, índice de patinagem, pressão de inflação nos pneus e adição de lastros à estrutura do trator.

Nas operações de revolvimento do solo é fundamental adequar o conjunto trator/implemento às condições do terreno a ser trabalhado. Sobretudo, as relacionadas às físicas do solo, como a umidade no momento do revolvimento, a declividade e a cobertura vegetal da área.

Considerando os aspectos listados anteriormente, foi realizado um trabalho de adequação de trator à atividade de revolvimento do solo na fazenda Barretense, localizada no município de Altamira, Sudoeste do estado do Pará, em uma área de 1,5 hectare formada por Latossolo Amarelo de Textura Franco-Argilo-Arenoso, de relevo suave, declividade média de 4%, que estava em pousio por cerca de cinco anos.

No experimento foi avaliado o desempenho operacional do trator agrícola sob diferentes condições de lastragem. Foi realizando revolvimento do solo, seguido de análise dos tratamentos propostos em algumas propriedades físicas do solo.

Foi utilizado um trator agrícola 4x2 TDA, com potência de 63kW @ 1.900rpm; equipado com pneus dianteiros 12.4-24 R1 e traseiros 18.4-30, inflados com 24 e 26 PSI, respectivamente. O implemento de revolvimento utilizado foi uma grade intermediária de 1,5m de largura de trabalho, equipada com discos de 26” de diâmetro, operando a 0,30m de profundidade.

Os tratamentos seguiram a seguinte configuração: L1 = trator sem lastro; L2 = 75% de lastro líquido e 100kg de lastros metálicos no eixo traseiro e 64kg de lastros metálicos no eixo dianteiro; L3 = 75% de lastro líquido e 200kg de lastros metálicos no eixo traseiro e 128kg de pesos metálicos no eixo dianteiro; L4 = 75% de lastro líquido e 300kg de pesos metálicos no eixo traseiro e 192kg de lastros metálicos no eixo dianteiro.

Foram medidos o índice de patinagem, a eficiência de operação e o consumo de combustível e determinados os indicadores de qualidade física, a densidade, a macroporosidade e a microporosidade do solo.

O parâmetro que deve ser considerado na adequação de tratores é a relação peso/potência.
O parâmetro que deve ser considerado na adequação de tratores é a relação peso/potência.

DESEMPENHO NO CAMPO

Na Tabela 1 são apresentados os resultados de desempenho operacional do conjunto trator e grade, seguidos dos resultados dos indicadores de qualidade física do solo, baseados nos arranjos de lastragens propostos.

Baseando-se nos valores de referência da literatura, os resultados de eficiência operacional foram muito abaixo do índice mínimo de 70%. Esse comportamento pode ser explicado a partir das seguintes hipóteses: pequena largura de trabalho do implemento ou formato do talhão, ambas implicando em maior quantidade de manobras de cabeceira. Ou, ainda, pela falta de planejamento prévio da operação, que está diretamente relacionada com o nível de conhecimento técnico da equipe que irá coordenar e executá-la. 

Relativo aos resultados de índice de patinagem (I.P) (Tabela 1), exceto em L1, os demais tratamentos obtiveram resultados abaixo do intervalo entre 8 e 12%, considerado como adequado para configuração do trator utilizado neste ensaio. Conforme parâmetros da Tabela 2, o comportamento do I.P nos tratamentos L2 e L3, abaixo de 8%, está relacionado diretamente ao excesso de lastro. Condição que na rotina de operação de uma propriedade poderá causar o consumo excessivo de combustível, que neste ensaio (Tabela 1), está dentro da média para operação nas condições realizadas ou ainda o desgaste prematuro dos rodados, sobrecarga e avaria em alguns rolamentos e eixos do sistema de transmissão.

Tanto a falta quanto o excesso de lastros são prejudiciais do ponto de vista mecânico, econômico e de conservação do solo. Pois, uma mesma condição de lastragem não é universal para todas as operações. Portanto, é necessário adotar parâmetros técnicos e ajustar o trator às condições da operação proposta.

Como forma de orientação, no momento da lastragem, deve ser considerada a distribuição dos lastros sobre a estrutura da máquina. Devem ser considerados o tipo de trator e a forma de atrelamento do implemento a este, obedecendo os parâmetros contidos na Tabela 3.

Na Tabela 5 estão contidos os resultados da avaliação das configurações de lastragens propostas neste trabalho, incidindo sobre alguns indicadores de qualidade física do solo. Resultado este que, de acordo com a literatura, estão próximos ao limite máximo aceitável, que garante o desenvolvimento radicular da maioria das culturas de valor econômico.

A densidade do solo é um indicador de qualidade física do solo, que indica qual a massa do solo, considerando os espaços porosos, contida em um determinado volume. Com valores máximos aceitáveis podem variar de 1,60g/cm3 a 1,80g/cm3, para argiloso e arenoso, respectivamente.

Neste trabalho, com as configurações utilizadas em apenas um ciclo agrícola, os valores obtidos não representam fator impeditivo para o desenvolvimento radicular das culturas. Entretanto, em pesquisas sob condição semelhante, conduzidas em áreas produtoras de feijão no Nordeste paraense, sob Latossolo Amarelo, textura média, constatou-se que, após cinco anos, houve o aumento na densidade do solo e a formação de uma camada compactada abaixo dos 30cm de profundidade, influenciando diretamente no desenvolvimento do sistema radicular da cultura.

Relativo à macroporosidade e à microporosidade (Tabela 5), os resultados foram semelhantes aos encontrados no solo não gradeado (testemunha), variando de 0,30m/m3 a 0,34m/m3 e 0,17m/m3 a 0,19m/m3, macroporosidade e microporosidade, respectivamente. Estes resultados estão bem acima da condição mínima de 0,10m/m3 para a macroporosidade, conforme descrito em inúmeras pesquisas que abordam assuntos inerentes à interação solo/máquina.

Por fim, para realizar as operações agrícolas mecanizadas de forma mais econômica possível, é recomendável que o produtor, em conjunto com os assistentes-técnicos da iniciativa privada ou pública, antes de realizar as operações, de forma conjunta, avalie e planeje as mesmas. Considerando, sobretudo, as questões inerentes ao controle de qualidade de operação, medição da patinagem, monitoramento e ajuste periódico da pressão de inflação dos pneus, de acordo com as recomendações dos fabricantes dos equipamentos, e faça a correta regulagem dos implementos.

Nas operaç~ões de revolvimento do solo é fundamental adequar o conjunto trator/implemento às condições do terreno a ser trabalhado, sobretudo, as relacionadas às físicas do solo.
Nas operaç~ões de revolvimento do solo é fundamental adequar o conjunto trator/implemento às condições do terreno a ser trabalhado, sobretudo, as relacionadas às físicas do solo.
Nas operaç~ões de revolvimento do solo é fundamental adequar o conjunto trator/implemento às condições do terreno a ser trabalhado, sobretudo, as relacionadas às físicas do solo.
Nas operaç~ões de revolvimento do solo é fundamental adequar o conjunto trator/implemento às condições do terreno a ser trabalhado, sobretudo, as relacionadas às físicas do solo.

Relação peso/potência

Um parâmetro que deve ser considerado na adequação de tratores é a relação peso/potência, informação esta que indica quantos quilogramas de cada unidade de potência (cavalo-vapor ou quilowatt) serão responsáveis por deslocar na atividade tratórica. Essa informação deve ser obtida após a lastragem do trator, com valores que deverão variar entre 50kg/c.v e 60kg/c.v, conforme a Tabela 4, considerando as características da operação a ser realizada.

Operação leve: (baixa exigência de tração). Por exemplo: gradagem leve, pulverização, roçadas etc. 

Operação média: (exigência intermediária de tração). Como exemplos podem-se citar gradagem intermediária, semeadura, plantio etc.

Operação pesada: (exigência pesada de tração). É aquela que exige mais do trator, como sublogem, escarificação, destoca etc.

Conjunto trator 4x4 TDA e grade intermediária, utilizados no ensaio.
Conjunto trator 4x4 TDA e grade intermediária, utilizados no ensaio.


Ronilson de Souza Santos, FEA/UFPA-Altamira; Jairo de Souza Neres, Analista Ambiental Semat-Altamira; Jefferson Sandi

Kleber Pereira Lanças, FCA-Unesp/Botucatu-SP


Artigo publicado na edição 163 da Cultivar Máquinas.

ver mais artigos
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura