Agronegócio e o Fórum Econômico Mundial

Devido ao Brasil ter um mercado gigantesco, é comum que CEOs de startups de agronegócio (Agtechs) foquem a estratégica de crescimento da empresa somente no potencial de nosso país e que esqueçam o de outros países e regiões.

No Fórum Econômico Mundial, realizado em março, em São Paulo, um dos meus grandes aprendizados foi o de ter uma visão mais ampla dos mercados e de, consequentemente, aprender a pensar globalmente, analisando de que forma a plataforma de crédito agrícola da Nagro pode contribuir para uma maior rentabilidade dos produtores rurais não só do Brasil, mas também de outros países.

Empresas localizadas em países como Uruguai e Chile já são criadas com esse olhar global de forma mais natural, uma vez que os seus mercados são menores e mais limitados. Elas já nascem, então, pensando e planejando em uma expansão internacional e são ótimos exemplos para seguirmos.

Durante o evento, que teve a participação de empresas de grande relevância no cenário do agronegócio mundial, foram abordados temas como barreiras fiscais, regulação, dificuldade de crescimento das startups e potencial do mercado latino-americano.

O Fórum criou uma comunidade e facilitou a comunicação entre seus membros, o que abre oportunidade de se conhecer mais a fundo novos mercados e novas possibilidades de crescimento. Foi muito produtivo se conectar com outras empresas, líderes e investidores de toda a América Latina para trocar experiências, esclarecer dúvidas e estreitar o relacionamento com parceiros estratégicos. 

Histórias inspiradoras foram comentadas durante todos os dias do evento para motivar ainda mais os empreendedores latino-americanos. Uma delas foi a do aplicativo 99, que vem mudando a forma como as pessoas se movimentam nas cidades e captou mais de 200 milhões de dólares de grandes fundos internacionais, como Soft Bank (China), para continuar seu desenvolvimento. 

Ao final do evento, foram sugeridas algumas soluções e definidas ações práticas para serem trabalhadas pelos líderes e formuladores de políticas, com o objetivo de dar mais apoio a startups e ao mercado do agronegócio, setor que cresce vertiginosamente na América Latina.

Avalio que a participação da Nagro no Fórum Econômico Mundial e o fato de ser selecionada como uma das startups que tem o potencial de moldar o futuro da América Latina foram de grande importância, uma vez que sinalizam que a nossa proposta de ajudar a elevar a rentabilidade e a qualidade de vida dos produtores está no caminho certo.

Gustavo Alves tem passagens pela IHARA e Marca Agro Mercantil. Formado em Agronomia pela Universidade Federal de Uberlândia e com MBA em Gestão do Agronegócio pela ESALQ/USP, tem ampla experiência em administração de fazendas, tendo administrado as fazendas Pedro Pereira e Chuva. Gustavo Alves é CEO da Nagro (www.nagro.com.br).

ver mais artigos

Por Gustavo Alves, CEO da Nagro