Chuvas atuais ajudam cafeicultura e culturas de verão

Nos últimos meses, o calor na parte mais central do Nordeste do Brasil contribuiu para acelerar o ciclo das culturas de verão daquela região, sendo a ausência de chuva desfavorável tanto para o algodão quanto para soja, principalmente a plantada mais tardiamente. Todavia, nos últimos dias têm ocorrido eventos de chuvas para essa região, favorecendo essas culturas. Em se tratando das regiões Sul e Central do país as chuvas de verão, no geral, têm sido favoráveis para as culturas de verão, principalmente o milho safrinha e a soja. A região cafeeira do estado de Minas também tem sido beneficiada pelas ultimas chuvas.

As chuvas

As chuvas no mês de abril poderão ocorrer abaixo da média no extremo oeste baiano, sudoeste e sudeste piauiense e sul do Ceará. Chuvas acima da média poderão ocorrer no Pantanal sul-mato-grossense e sudoeste do Mato Grosso do Sul, bem como em todo o estado de São Paulo. Em abril, no estado de Minas Gerais, as chuvas poderão ocorrer acima da média para a porção oeste do Triângulo Mineiro, nas porção sul/sudeste da Zona da Mata, nas mesorregiões do oeste, no Campo das Vertentes e Sul/Sudoeste de Minas. Há possibilidade de que as chuvas fiquem abaixo da média para a mesorregião do noroeste, Jequitinhonha, Vale do Mucuri e do Rio Doce.

As temperaturas

No mês de abril há 70% de probabilidade de que as temperaturas ocorram acima da média do mês para os estados do Mato Grosso do Sul e São Paulo. Há 40% de que as temperaturas fiquem acima da média nos três estados do Sul do Brasil e em todo o estado da Bahia, com exceção do extremo oeste baiano e das demais regiões brasileiras em que há 90% de probabilidade de que as temperaturas fiquem acima da média do período em abril. Para o estado de Minas Gerais, as temperaturas poderão ficar acima da média na Zona da Mata, no Vale do Rio Doce, Mucuri e Jequitinhonha, no Norte de Minas e na porção oeste do Triângulo Mineiro, sendo que nas demais regiões do estado a probabilidade é de que fiquem dentro da normalidade nesse mês.

O Café

O atual regime de chuvas tem favorecido o ciclo natural das plantas que, este ano, apresentaram floradas precoces as quais resultarão em colheita antecipada. Dependendo da altitude de cada região, a colheita poderá ter início já no final de abril ou início de maio. Considerando o bom desenvolvimento vegetativo neste ano de safra em alta, o produtor deve estar atento para os sinais de baixos níveis de macro e micronutrientes que as plantas podem apresentar. Tal cuidado é necessário para evitar que as plantas cheguem desnutridas na próxima safra. Assim, fertilizações de solo e foliares realizadas nesse momento irão favorecer o atual nível nutricional das plantas e, consequentemente, a próxima safra do café. O produtor deve também estar atento às chuvas atuais que, quando combinadas com as altas temperaturas que têm ocorrido, criam um ambiente favorável ao desenvolvimento de ervas daninhas, sendo então o seu controle feito sempre que necessário para que estas “plantas espontâneas” não venham a competir, em nutrientes, com as plantas de café, principalmente nos plantios mais novos.

El Niño

Apesar de estar perdendo força, as características climáticas na parte centro-oriental do Oceano Pacífico tropical indicam a continuidade do fenômeno El Niño que deverá seguir perdendo forças até o início do próximo inverno (fim de junho), sendo já considerado possível o desenvolvimento de um fenômeno La Niña, ainda na próxima estação da primavera.

A análise e o prognóstico climático aqui apresentados foi elaborada com base na estatística e no histórico da ocorrência de fenômenos climáticos globais, principalmente daqueles atuantes na América do Sul. Foram consideradas ainda as informações disponibilizadas livremente pelo NOAA; Instituto Internacional de Pesquisas sobre Clima e Sociedade — IRI; Met Office Hadley Centre; Centro Europeu de Previsão de Tempo de Médio Prazo — ECMWF; Boletim Climático da Amazônia elaborado pela Divisão de Meteorologia (DIVMET) do Sistema de Proteção da Amazônia (SIPAM) e com base nos dados climáticos disponibilizados pelo INMET/CPTEC-INPE. Pelo fato do prognóstico climático fazer referência a fenômenos da natureza que apresentam características caóticas e são passíveis de mudanças drásticas, a EPAMIG e a Embrapa Café não se responsabilizam por qualquer dano e, ou, prejuízo que o usuário possa sofrer, ou vir a causar a terceiros, pelo uso indevido das informações contidas na presente matéria. Sendo de total responsabilidade do usuário (leitor) o uso das informações aqui disponibilizadas.

ver mais artigos

Williams Ferreira e Marcelo Ribeiro

Embrapa Café/EPAMIG e EPAMIG

CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura