Como produzir mais açúcar por hectare

- Foto: Wenderson Araujo/CNA

O Brasil é o maior produtor e exportador de açúcar mundial. Estima-se que 35% do açúcar consumido no mundo é de origem brasileira.

No entanto, devido à grande extensão territorial e a entrada dos canaviais em áreas de expansão agrícola, a produtividade do país não é alta, ela está por volta de 77 ton/há, ficando abaixo de países com menor tradição canavieira como a Colômbia.

Para diminuir essa competitividade com outros países e manter a liderança no mercado, o Brasil tem por tradição ampliar suas áreas plantadas através da compra de terras, levando a fama de ser um país extensionista. Segundo a União da Indústria de Cana-de-açúcar (UNICA), em 2020, o Brasil teve aproximadamente 10 milhões de hectares plantados com cana-de-açúcar, sendo que a Índia, segundo maior produtor mundial, plantou apenas 4,7 milhões de hectares. 

Mesmo possuindo áreas para expansão, o setor se depara com altos custos de produção agrícola, com o alto valor das terras e no preço dos insumos. 

Com a disparada do dólar e com os baixos estoques mundiais de açúcar, os preços dessa commodity estão em valores bem interessantes ao produtor, cerca de 30% a mais do seu preço médio. No entanto, essa valorização de mercado somente é possível quando há uma relação entre 2 fatores: oferta e demanda. 

Devido ao período de seca prolongado no ano, e o aumento da demanda  causado pela pandemia, 2020 proporcionou um cenário interessante, onde há demanda do produto, no entanto, queda na produtividade no cenário mundial e com isso, a tendência de aumento no preço.

Há no mercado um mito que diz que com o uso da irrigação, há uma baixa produção de ATR (açúcar total recuperável) e com isso, uma baixa produção de açúcar. No entanto, esse pensamento está incorreto, pois há técnicas de manejo de irrigação que possibilitam a concentração de açúcar.

A Usina Coruripe, localizada na cidade de Iturama, em Minas Gerais, possui uma área com 450 hectares com irrigação localizada por gotejamento. Com essa tecnologia, a empresa vem conseguindo aproveitar esse cenário sem se preocupar com fatores climáticos e até mesmo, tirando vantagem dele.

Por exemplo, em uma de suas propriedades, a Fazenda Nogueira (81 há), com o uso da tecnologia de irrigação por gotejamento a média, após 8 anos de cortes, está sendo de 18,18 toneladas de açúcar por hectare. Sendo que a média de produção de açúcar da unidade é de 12 toneladas/hectare no sistema sequeiro/salvação com vinhaça.

Com um valor médio de açúcar de R$72,00 por saco de 50 kg ou seja R$1,4 por quilo, produzindo 6,18 toneladas a mais. A Usina possui um acréscimo de rentabilidade de R$8.652,00 / há, levando a um payback aproximado de 1,7 anos. 

  Tabela 01. Histórico de produção de açúcar na fazenda Nogueira.

Tabela 01. Histórico de produção de açúcar na fazenda Nogueira.
Podemos concluir no exemplo acima, que é possível aumentar sua lucratividade explorando momentos positivos do mercado através de novas tecnologias.  Mais um mito foi derrubado, pois com o uso da irrigação por gotejamento é possível aumentar a quantidade de açúcar produzida por hectare, aumentar a lucratividade e produtividade da fazenda.

Daniel Pedroso, Especialista Agronômico Netafim

ver mais artigos
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura