Como saber dimensão ideal na escolha de máquinas agrícolas

A dúvida sobre a dimensão correta das máquinas sempre ocorre na hora da aquisição e, em muitos casos, com um complicador que é encontrar uma no tamanho desejado pelo produtor. 

Os sistemas de produção de agricultura familiar são responsáveis por grande parte da produção de alimentos do país como também pela movimentação econômica e social do meio rural. Com o passar dos anos, o avanço da tecnologia vem possibilitando a implantação de sistemas mecanizados em propriedades familiares, notadamente aquelas que ocupam menores áreas de produção. A necessidade do agricultor em aumentar sua eficiência durante o trabalho acaba fazendo com que a sua criatividade desperte, e dentro de seus limites muitos acabam desenvolvendo os próprios meios de facilitar seu trabalho criando ferramentas ou até mesmo máquinas para auxiliar a execução de tarefas dentro da propriedade. Com programas de financiamento criados pelo Governo Federal como o PRONAF (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), se tornou mais fácil o investimento em tecnologias nas pequenas propriedades agrícolas.

Um dos principais investimentos a se fazer para que haja um aumento de produtividade é definitivamente a mecanização das atividades do campo. O incentivo dado ao agricultor com tais investimentos gera também o desenvolvimento do setor de máquinas e implementos agrícolas que ampliam seu mercado e a oferta de produtos. Desta forma o agricultor passa a contar com máquinas mais adequadas as suas necessidades de possibilitando o aumento de sua capacidade produtiva associada a menor esforço físico, obtendo melhor qualidade de vida. Infelizmente ainda existe carência no mercado nacional de máquinas com estas características, ou seja, adequadas a agricultura familiar e pequena propriedade, o que gera insegurança no agricultor quando de sua aquisição, pois não sabe com certeza qual será o custo de manutenção e operação.

Os aspectos mais importantes que devem ser analisados no momento da aquisição de um trator agrícola são o seu custo, o desempenho técnico, a ergonomia e a segurança.
Os aspectos mais importantes que devem ser analisados no momento da aquisição de um trator agrícola são o seu custo, o desempenho técnico, a ergonomia e a segurança.
Os aspectos mais importantes que devem ser analisados no momento da aquisição de um trator agrícola são o seu custo, o desempenho técnico, a ergonomia e a segurança.
Os aspectos mais importantes que devem ser analisados no momento da aquisição de um trator agrícola são o seu custo, o desempenho técnico, a ergonomia e a segurança.

É de fundamental importância ao agricultor contar com informações para escolher o tipo de máquina mais adequada a sua lavoura, ou seja, com tamanho e capacidade adequados a suprir suas necessidades. Desta forma busca-se que o mesmo não tenha prejuízos, seja por adquirir um parque de máquinas com capacidade maior que a sua necessidade de trabalho ou por comprar um trator com potência no motor incompatível com as máquinas que tem ou que vai comprar. Muitas vezes a máquina adquirida pode não ser a mais adequada ao trabalho, visto que muitas vezes o agricultor compra o trator através de recomendações de vizinhos, conhecidos ou por indicação do vendedor, sem ter o conhecimento necessário sobre o que realmente precisa.

Outra fator importante que deve ser considerado é se o agricultor está preparado para utilizar essas novas tecnologias. Máquinas mais sofisticadas vêm acompanhadas de alguns tipos de sensores e computadores de bordo (eletrônica embarcada), o que para pessoas acostumadas com equipamentos mais simples ou que nunca tiveram a possibilidade de trabalhar com uma máquina, pode gerar dificuldades na operação. É importante que os fabricantes ofereçam as informações e treinamentos necessários e adequados para a utilização de suas máquinas. A falta de informação e instruções para operar os tratores pode gerar uma perda econômica grande para o produtor, uma vez que a má utilização deste tipo de máquina pode possibilitar um custo maior de operação e manutenção, com  baixa eficiência, tal fato pode colocar em risco a segurança do operador. Também a manutenção feita de forma inadequada pode causar impactos ambientais nos locais onde as máquinas serão utilizadas como: compactação do solo, possibilidade de acelerar os processos erosivos e contaminação química do solo e da água.

Para sistemas agrícolas familiares, são recomendados tratores de duas e quatro rodas. Tratores de duas rodas executam as mesmas tarefas que os tratores de quatro rodas, porém com potência e estabilidade menores e são adequados para áreas de até 30 hectares. Para áreas maiores podem ser utilizados tratores de quatro rodas, os quais dividem-se em com tração em duas e quatro rodas, os com tração em quatro rodas são chamados de TDA (tração dianteira auxiliar).

NA HORA DA COMPRA

Os aspectos mais importantes que devem ser analisados no momento de aquisição de um trator agrícola são, o seu custo, desempenho técnico, ergonomia e segurança, Desta forma o agricultor poderá contar com um trator adequado as suas reais necessidades. O Núcleo de Inovação em Máquinas e Equipamentos Agrícolas (NIMEq) e o Programa de Pós-Graduação em Sistemas de Produção Agrícola Familiar (PPGSPAF) da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) vêm desenvolvendo ações conjuntas no sentido de que o agricultor familiar conte com ferramentas que lhe permitam escolher adequadamente o trator a ser adquirido. Neste sentido duas dissertações de mestrado já foram defendidas e também foi desenvolvido um software que possibilita ao agricultor, por meio da inclusão de algumas características de sua lavoura definir o modelo mais adequado a sua situação de trabalho.

Esses métodos de seleção foram desenvolvidos com finalidade de, através das características do trator já citadas, dar as informações importantes e necessárias ao agricultor no momento de aquisição.

Estudos demonstram que devido às atividades e ao tamanho de áreas normalmente utilizadas na agricultura familiar, o ideal é usar tratores com potência de 50cv e 75cv.
Estudos demonstram que devido às atividades e ao tamanho de áreas normalmente utilizadas na agricultura familiar, o ideal é usar tratores com potência de 50cv e 75cv.

O custo do trator envolve o seu custo de aquisição (preço inicial) e o custo operacional que vem a ser o valor gasto por hectare trabalhado (manutenção) e o consumo de combustível. Em geral o preço dos tratores varia de acordo com a sua potência e se possui ou não TDA. O custo operacional inclui o consumo de combustível e o valor de manutenção. Com relação ao consumo de combustível estudos demonstram que para tratores destinados a agricultura familiar o mesmo deve localizar-se abaixo dos 4L/h. Já o valor de manutenção ideal para estes tratores, não incluindo-se a troca de pneus, deve ser abaixo dos R$0,60 por hora trabalhada.

O desempenho técnico diz respeito à quantidade de trabalho que o conjunto trator-implemento pode realizar por unidade de tempo (capacidade do trator) aliado a facilidade de execução da manutenção. A capacidade do trator pode ser dividida em capacidade de operação (reserva de torque, autonomia do tanque, acionamento independente da TDP, controle remoto, raio de giro, largura do trator e capacidade de levante), e capacidade de tração (potência, presença de TDA e número de marchas), tendo cada item sua respectiva importância no desempenho técnico do trator.

A reserva de torque é importante pois é através desta que o trator consegue vencer um esforço adicional ao ocorrer a redução da rotação do motor. No que tange a autonomia do tanque, considera-se necessário que o trator tenha autonomia para no mínimo 10h de trabalho. Quando questionados os agricultores consideraram como um item importante para a execução de seu trabalho o acionamento independente da TDP, em função da facilidade proporcionada as atividades a serem executadas na lavoura. Quanto ao controle remoto se faz necessário que o trator tenha este dispositivo visto que atualmente existem diferentes tipos de máquinas que o utilizam, facilitando o emprego das mesmas.

Como a área em que os tratores trabalham nas propriedades agrícolas familiares normalmente são de tamanho reduzido, o raio de giro do trator deverá ser o menor possível já que o espaço para manobras também será reduzido, sendo considerado interessante um raio de giro em torno de 2,70m. A largura do trator também deve ser adequada com o espaço entre linhas da cultura a ser implantada. Para a agricultura familiar verificou-se que a largura máxima do trator deve estar entre 1,20m e 1,46m. A capacidade de levante do sistema está ligada à necessidade dos agricultores de transportar e utilizar equipamentos que precisam ser acoplados ao sistema de engate de três pontos e deve ser suficiente para que o mesmo erga e transporte equipamentos acoplados a este sistema, tendo-se verificados que valores adequados encontram-se na faixa mínima de capacidade de levante de 2.000kgf.

Com relação a capacidade de tração do trator estudos demonstram que devido as atividades e tamanho de áreas normalmente utilizadas na agricultura familiar a necessidade de potência no motor destes tratores ficará em cerca de 37kW e 55kW, ou seja, algo em torno de 50cv e 75cv. Outro fator importante é a presença da TDA. Em relação a este item, principalmente devido ao sistema de preparo de solo utilizado no processo de cultivo na agricultura familiar, o qual vem a ser o chamado preparo convencional, faz-se imperioso que o trator a ser adquirido possua TDA. Desta forma estes produtores vão ter a possibilidade de um melhor aproveitamento da potência disponibilizada pelo motor do trator. Já com relação ao número de marchas o ideal para cumprir as necessidades deste grupo de produtores é que o trator apresente pelo menos de 6 marchas entre as velocidades de trabalho de 4km/h a 10km/h. Sendo totalmente inadequados tratores que possuam menos do que quatro marchas de trabalho entre as velocidades previamente citadas.

A reserva de torque é um item que deve ser observado na hora da compra.
A reserva de torque é um item que deve ser observado na hora da compra.

ERGONOMIA E SEGURANÇA

Com relação a ergonomia e segurança do operador, infelizmente estes são fatores que hoje em dia no Brasil ainda são deixados de lado. Mesmo com o avanço da tecnologia e do conforto nas cabines dos tratores, os modelos antigos ainda são muito usados e estes não apresentam todos os itens de segurança necessários ao operador. Com relação a ergonomia para possibilitar e manter uma adequada qualidade de trabalho sem prejudicar a saúde do operador existem alguns pontos que podem ser levados em conta como: posição do escapamento, isolamento térmico da transmissão, número de posições de conforto do assento, nível de ruído, presença de defletor de poeira, posição da alavanca de câmbio, o ideal é que esta seja localizada lateralmente, e a regulagem da inclinação do volante de direção. A combinação adequada destes fatores, proporcionará mais conforto, ergonomia e qualidade de operação, permitindo ao operador trabalhar por mais tempo e com maior rendimento, sem trazer prejuízos a sua saúde.

Poucos acidentes que acontecem durante a operação de máquinas agrícolas são reportados, portanto não existem muitos dados referentes a este fator, porém é de conhecimento geral que o trabalho com máquinas agrícolas deve ser feito com bastante cuidado, respeitando as normas de segurança, condições do terreno e especificações da máquina.

Um ponto negativo da mecanização dos sistemas de produção agrícolas familiares é que a falta de informação faz crescer o número de acidentes durante o trabalho assim como aconteceu quando as primeiras máquinas foram inseridas no dia a dia do trabalhador rural.

Essa adaptação da agricultura familiar à tecnologia se faz necessária no sentido de possibilitar o aumento de produtividade, a qual traz reflexos imediatos nas regiões, em seu entorno e para o país, pois maior produtividade significa maior geração de renda e consequentemente maior capacidade de consumo.

O incentivo e o investimento em pesquisas e desenvolvimento de novas máquinas e ferramentas que possam reduzir os esforços e aumentar a eficiência nos sistemas de produção, aliado a existência de linhas de crédito para aquisição das mesmas certamente estimulará as fábricas a desenvolver máquinas adequadas a este.

Para áreas maiores podem ser utilizados tratores com tração dianteira auxiliar, o que permite que ele seja usado em diversas operações.
Para áreas maiores podem ser utilizados tratores com tração dianteira auxiliar, o que permite que ele seja usado em diversas operações.

Itens de segurança importantes no trator

Para a maior segurança do operador existem alguns itens necessários no sentido de que o trator não apresente riscos, como a presença de uma estrutura de proteção na capotagem (EPC) em conjunto com um cinto de segurança. Estes itens são:

- câmbio sincronizado para evitar possíveis erros na troca de marcha, em caso de operação com troca contínua de marchas;

- proteção principal para a TDP, no sentido de evitar acidentes;

- presença de lanterna traseira para facilitar a sua visualização quando trafegar em estradas;

- existência de cantos vivos próximos aos comandos que por questões de segurança e para evitarem-se acidentes, principalmente com relação aos membros superiores dos operadores;

- por fim a existência de alertas de segurança (pictogramas de aviso de perigo dos acidentes mais comuns com tratores), o ideal é que o trator conte com todos os avisos de locais que podem de alguma forma, provocar acidentes ou que tragam risco ao operador.

Projetos para pequenas propriedades

O Núcleo de Inovação em Máquinas e Equipamentos Agrícolas (NIMEq), está desenvolvendo diversos projetos com a finalidade de facilitar o trabalho de agricultores e colaborar, consequentemente, com um aumento de produtividade do agricultor. Os protótipos ali desenvolvidos são para uso com tração humana, animal e mecânica, adequando-se a diferentes tipos de produtores e tamanho de propriedades. Neste núcleo de inovação, que tem contado com o importante apoio financeiro do CNPq, já foram desenvolvidos um debulhador de milho, três semeadoras, uma máquina para controle térmico de invasoras, um dosador de adubo de dupla saída, um chassi mais leve direcionado semeadoras de quatro linhas, possibilitando melhor utilização da potência do motor do trator nesta operação. Também encontram-se em desenvolvimento colhedora-beneficiadora de cebolas, encanteiradora-depositora de adubo, plataforma multi-função para a cultura do tabaco e uma máquina para execução de raleamento em faixas para o semiárido brasileiro que será utilizada na implantação de Sistemas Agroflorestais Pecuários, projeto desenvolvido em conjunto com a EMBRAPA Ovinos de Sobral (CE), além de outros equipamentos e sistemas dedicados a facilitar e qualificar o trabalho do agricultor familiar.

 

Antônio Lilles Tavares Machado, João Marco Barbosa de Moraes, Norberto Luiz Marques Andersson, Roberto Lilles Tavares Machado, Laurett de Brum Mackmill, NIMEq - UFPel


Artigo publicado na edição 168 da Cultivar Máquinas

ver mais artigos
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura