Estocagem adequada

Os lubrificantes estão entre os mais importantes insumos agrícolas, pois do seu uso adequado e da sua qualidade dependem a durabilidade, o desempenho e a disponibilidade dos tratores, máquinas e implementos agrícolas.

Um lubrificante pode perder a sua qualidade durante o transporte, armazenamento e manuseio, que podem provocar a sua contaminação ou deterioração. O caminho que ele percorre desde a refinaria até a sua utilização em máquinas agrícolas é grande, e para manter a sua qualidade no momento de sua utilização, o mesmo geralmente é acondicionado em recipientes projetados para resistirem aos choques que ocorrem neste período. Porém alguns cuidados devem ser tomados durante o transporte, tais como evitar quedas bruscas ou rolar tambores em terreno irregular para garantir que estas embalagens mantenham seu estado original

O QUE PREJUDICA OS LUBRIFICANTES

Os lubrificantes quando estocados ou manuseados de maneira inadequada nas propriedades agrícolas podem sofrer contaminação por diversos tipos de materiais. Dependendo do tipo de contaminante, pequenas quantidades são suficientes para deteriorar os aditivos contidos nos lubrificantes.

Os tipos mais comuns de contaminações são por água, por outros lubrificantes, impurezas e por outros produtos.

A Contaminação com água provoca a deterioração dos lubrificantes, principalmente alguns tipos de graxas e óleos aditivados. Este tipo de contaminação pode ocorrer através de vasilhames danificados, ou mesmo através do bujão dos tambores e baldes. Com o resfriamento do lubrificante durante à noite, este diminui o seu volume, favorecendo a entrada de ar mesmo com os bujões bem apertados. Este ar contém umidade, que se condensa, formando gotas de água no interior do recipiente que irão contaminar os lubrificantes. Esta situação é piorada quando os tambores de lubrificantes são armazenados no tempo, permitindo juntar água de chuva na sua tampa, que pode ser aspirada para dentro do tambor.

Embora seja rara, é possível de acontecer a contaminação dos lubrificantes por outros tipos de lubrificantes. Pode ocorrer por exemplo a contaminação de um óleo de alta viscosidade por outro de baixa viscosidade, o que poderia aumentar o desgaste dos equipamentos, uma vez que não serão lubrificados adequadamente. Por isso é importante a perfeita identificação das embalagens, mantendo-as limpas de modo a facilitar a sua leitura.

Impurezas como poeira, areia, fiapos etc.também podem contaminar os lubrificantes. Além de deteriorarem os lubrificantes, podem ainda causar obstrução de tubulações de lubrificação, grimpamento de válvulas de sistemas hidráulicos, e ainda desgaste excessivo das peças, por causa de materiais abrasivos. Para evitar este tipo de contaminação, armazenados em locais extremamente limpos, sem poeira ou outro tipo de contaminante tais como adubos, ou outros insumos agrícolas, os baldes e funis devem ser bem limpos e evitado o uso de estopa para limpeza dos recipientes e bocais de abastecimento.

É importante que os lubrificantes sejam armazenados em locais diferentes daqueles usados para armazenar produtos como tintas, solventes, detergentes etc., pois estes também podem contaminar os lubrificantes.

Os lubrificantes podem ainda deteriorar-se devido a extremos de temperatura ou à armazenagem prolongada.

Alguns tipos de óleo e, principalmente, as graxas são muito sensíveis a extremos de temperatura, e podem sofrer deterioração quando sujeitas as tais condições. Por isso, algumas graxas não podem ser armazenadas em locais muito quentes, porque o calor poderá fazer com que o óleo se separe do sabão.

A maior parte dos aditivos usados nas graxas ou óleos pode sofrer decomposição quando armazenados por tempo prolongado. Para evitar que isto ocorra, deve-se organizar um plano de circulação dos produtos , de maneira que os lubrificantes sejam usados conforme a ordem de chegada.

O LOCAL DE ARMAZENAMENTO

O local adequado para o armazenamento para lubrificantes deve ser amplo, permitindo fácil acesso, manobras e circulação de pessoas; bem ventilado, e longe de fontes de contaminação tais como poeira, adubos e produtos químicos. Deve também estar distante de fontes de excesso de frio ou calor.

O piso deve ser firme e resistente a choques e não absorvente. Deve ser de fácil limpeza, que não solte poeira e ainda ter proteção contra escorregamento, principalmente em rampas de acesso para evitar acidentes.

É importante que neste local exista um sistema de proteção contra incêndio, uma vez que este tipo de material é altamente inflamável. E também que o local seja mantido limpo sem lubrificantes derramados no chão, estopa ou pano sujos de óleo ou graxa.

CUIDADOS NA ARMAZENAGEM

Caso os óleos lubrificantes sejam armazenados em tambores, estes devem ser colocados sobre estrados de madeira, evitando-se assim o contato direto com o chão, que poderia causar danos às embalagens no caso de um armazenamento prolongado. Para se armazenar elevado número de tambores pode-se usá-los tambores deitados sobre ripas de madeira, bem calçados para impedir seu movimento e com os bujões em posição horizontal abaixo do nível do lubrificante, para impedir a entrada de ar, que poderia deteriorar o produto. Pode-se ainda usar os sistemas de “racks” ou “pallets”.

É importante fazer inspeções periódicas, para verificar se há qualquer tipo de vazamento e se as marcas dos tambores estão legíveis. Os lubrificantes devem ser usados de acordo com a ordem de entrada no local de armazenamento, evitando que fiquem velhos e venham a deteriorar-se.

É importante colocar os lubrificantes separados por tipos, como por exemplo, óleos para motor, para transmissão e hidráulico, e também em ordem crescente de viscosidade (óleos) e consistência (graxas). Esta medida facilita o controle e a identificação dos lubrificantes.

É fundamental fazer um controle dos produtos armazenados, afim de evitar confusões, trocas e garantir a reposição adequada dos estoques.

Deve-se evitar a armazenagem de lubrificantes ao ar livre, caso isto não seja possível, deve-se armazenar os tambores deitados. Se eles precisarem ficar em pé, deve-se cobri-los com um encerado ou colocá-los numa posição inclinada, sendo que os bujões não devem ficar no lado mais baixo da tampa onde pode haver acúmulo de água.

CUIDADOS NO MANUSEIO

O transporte dos lubrificantes deve ser feito de maneira segura, evitando quedas bruscas, que poderão provocar dano nas embalagens e até mesmo o derramamento do produto. Pelo mesmo motivo, não role os tambores em terrenos irregulares.

É comum, ao fazer a lubrificação, trocar os lubrificantes por outro de tipo ou viscosidade diferente. Este tipo de confusão pode causar sérios problemas aos equipamentos que serão lubrificados. Portanto, certifique-se de estar utilizando o tipo de graxa ou óleo corretos. É importante manter bem legíveis os rótulos ou marcas das embalagens e reservar um recipiente de distribuição exclusivo para cada tipo de lubrificante, também devidamente marcado, para evitar este tipo de problema.

Quando o tambor de lubrificante estiver em uso, deve-se colocar o mesmo na horizontal sobre cavaletes ou suportes próprios, ligeiramente inclinados para trás, para que, caso haja sujeira no tambor, esta fique no fundo.

Além disso, deve-se adaptar torneiras que facilitem despejar o conteúdo nos recipientes de distribuição, que devem permanecer perfeitamente fechadas quando não estiverem sendo usadas, com pequenos recipientes que evitem qualquer gotejamento no chão.

No caso dos tambores em uso precisarem permanecer em pé, deve-se usar bombas elétricas ou mecânicas para retirar o lubrificante. Porém, como é impossível eliminá-los completamente, deve usar uma bomba para cada tipo de lubrificante, evitando assim a sua contaminação.

Quando for levantar um tambor cheio de lubrificante, deve-se faze-lo com duas pessoa para se evitar esforço excessivo e acidentes. Para deita-lo, deve-se forrar o chão com uma almofada, que protegerá tanto o tambor quanto o piso.

Os recipientes, usados na distribuição e os funis, bombas de graxa e almotolias, usados na aplicação, devem ser mantidos limpos e protegidos contra a entrada de impurezas que poderiam contaminar os lubrificantes na momento da lubrificação. Para a limpeza desses equipamentos e dos locais a serem lubrificados recomenda-se o uso de panos limpos, e não de estopa, para não deixar fiapos, que possam vir a contaminar os lubrificantes.

Outra coisa importante é não deixar os recipientes, principalmente de graxas, abertos para que estas não sofram contaminações. Ao encher as engraxadeiras manuais, utilize espátulas apropriadas, e não pedaços de madeira, que possam deixar resíduos e contaminar a graxa.

Caso haja derramamento de lubrificantes deve-se limpar o local, a fim de evitar acidentes. Não se deve usar serragem ou outro tipo de material para absorver o excesso de óleo, pois este tipo de material pode contaminar os lubrificantes.

Para evitar a deterioração dos lubrificantes devido à sua permanência no depósito, deve-se utilizar os lubrificantes pela ordem de chegada, isto é, primeiro os mais antigos. Por isso, é importante organizar um plano de circulação dos produtos estocados.

Tão importante quanto a qualidade e o uso adequado de lubrificantes é fazer um bom plano lubrificação dos equipamentos, para que todos eles sejam adequadamente lubrificados. Para isso, deve-se ter o nome ou código do equipamento, local a ser lubrificado, tipo de lubrificante e período de lubrificação.

SEGURANÇA

A prevenção de acidentes e a segurança do pessoal envolvido na armazenagem e aplicação dos lubrificantes deve ser uma preocupação de todos.

As roupas umedecidas com óleo e graxa são altamente inflamáveis, por isso a localização dos extintores deve ser de fácil acesso, e os mesmos devem estar sempre em perfeitas condições de uso e pessoal treinado para utiliza-los corretamente. Também não se deve armazenar lubrificantes ou manuseá-los próximo a chamas ou soldas, pois poderia causar incêndios.

Também deve-se ter cuidado com degraus e plataformas, no local de armazenamento e com equipamentos a serem lubrificados, pois podem estar cobertos de óleo graxa que são escorregadios. Por isso, devem ser removidos o quanto antes para evitar acidentes.

Não se deve fazer a lubrificação de equipamentos com componentes tais como eixos ou correias em movimento, nem usar roupas folgadas que podem se prender e causar acidentes.

Antonio Carlos Loureiro Lino,
IAC

* Este artigo foi publicado na edição número 18 da revista Cultivar Máquinas, de março/abril de 2003.
ver mais artigos
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura