Identificação de percevejo em girassol

A área cultivada com girassol (Helianthus annuus) tem expandido no no Brasil, sendo os grãos utilizados na produção de óleo comestível, biodiesel, ornamentação, ração para animais, entres outras (SOUZA et al., 2015). A ocorrência em plantas de girassol do percevejo Xyonysius spp. é registrada por pesquisadores desde os anos 1980, embora considerado como praga de menor importância mas com grande potencial em ocasionar prejuízos à produtividade de grãos de girassol. Pouco sabe-se sobre a biologia e ecologia de Xyonysius spp. Aguiar (2002), constataram que o número de aquênios/capítulo e a porcentagem de aquênios danificados foram significativamente afetados pelos diferentes níveis populacionais de X. major.

Em agosto de 2019, sob pivô central cultivou-se girassol em área do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília – campus Planaltina (IFB – campus Planaltina), com a finalidade de ensino. Quando o girassol encontrava-se no estágio fenológico v5 foram observadas folhas com sintomas característicos do “ataque” de percevejo, notando-se presença de insetos do gênero Xyonysius spp. sobre folhas e ponteiro das plantas. Na pré florada constatou-se, novamente, presença dos referidos percevejos em população elevada nos capítulos florais ainda não abertos (Figura 1). Frente aos surtos dessa praga na cultura do girassol estudos de identificação da espécies por meio de algumas características estruturais são de grande valia.

Figura 1. Xyonysius major em plantas de girassol cultivado no IFB – campus Planaltina. Foto: Autores
Figura 1. Xyonysius major em plantas de girassol cultivado no IFB – campus Planaltina. Foto: Autores

 Metodologia

Os percevejos do gênero Xyonysius spp. foram coletados no girassol cultivado no IFB – campus Planaltina, acondicionados em frascos contendo álcool 70% e levados ao laboratório de Biologia do curso Tecnologia em Agroecologia.

Os insetos foram comparados por meio de características estruturais descritas na tabela 1, com as espécies X. californicus e X. major. Fez –se uso de microscópio estereoscópio acoplado a micro computador para captação das imagens.

Tabela 1. Características estruturais de X. californicus e X. californicus coletados em girassol.

Características estruturais

            X. californicus           

X. major

Compr. (mm)

3,8 ≤ 5,0

5,0 ≤ 5,6

Cor

Castanho

Escura

Rostro

atrás coxa no metaesterno

atrás coxa no metaesterno

Margem costal externa do córion

ligeiramente curvada

Direta

Compr. antena (mm)

1<4

1<4

Borda ventral da

cápsula genital do macho

Menos

Arredondado

amplamente

arredondado

Lâmina de parâmero

Levemente

Alongada

levemente

encurtada

FONTE: Adaptado de Schaefer (1998)

 

Resultados e Discussão

Constatou-se que o comprimento médio dos insetos foi de 5,0 mm, têm cor do ventre toráxico e abdominal pretos, rostro terminado atrás das coxas no metaesterno, margem costal externa do córion ligeiramente curvada, comprimento médio da antena 1<4 mm, borda ventral da cápsula genital masculina arredondda e lâmina do parâmero encurtada. Na figura 2 podem ser observados características estruturais dos insetos coletados na área do IFB – campus Planaltina, utilizadas na identificação da espécie de Xyonysius spp. 

Características estruturais utilizadas na identificação da espécie de Xyonysius spp. ocorrentes no girassol do IFB – campus Planaltina-DF.
Características estruturais utilizadas na identificação da espécie de Xyonysius spp. ocorrentes no girassol do IFB – campus Planaltina-DF.

Conclusão

De acordo com a metodologia utilizada, constatou-se que a espécie Xyonysius major esteve presente nas plantas de girassol do IFB – campus Planaltina.

ver mais artigos

Raphael Maia Aveiro Cessa, Nilton Nélio Cometti, Dirceu Macagnan e Uirá do Amaral

CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura