Influência do uso de Setting BR na produtividade da soja


Área Experimental

Produtividades (sc.haˉ¹)

Diferença (sc.haˉ¹)

Cultivar

Setting BR

Testemunha

Area1

81

76,5

4,5

P 95R51 RR

Area2

90,2

82,8

7,4

NS 5445 IPRO

Area3

63,4

59,2

4,2

P 95R51 RR

Area4

73

69

4

NS 5445 IPRO

Area5

62

59,1

2,9

NS 5445 IPRO

Area6

66,9

61,4

5,5

NA 5909 RG

Area7

77,8

72,7

5,1

DM 5958 IPRO

Area8

74,3

70,2

4,1

DM 5958 IPRO

Area9

80,1

74,5

5,6

DM 5958 IPRO

Area 10

69,4

66

3,4

NA 5909 RG

Area 11

72

69,6

2,4

NS 6909 IPRO

Area 12

74,1

70

4,1

NS 6909 IPRO

Area 13

77

72

5

NS 5959 IPRO

Area 14

71,1

68,6

2,5

NS 6209 RR

Area 15

63

57,8

5,2

BMX ELITE IPRO

Area 16

67,6

62,8

4,8

DM 5958 IPRO

Area 17

74,8

71,3

3,5

FPS SOLIMÕES RR

Area 18

71,9

66,5

5,4

FPS DESAFIO RR

Area 19

67

62,5

4,5

FPS JÚPITER RR

Area 20

69,6

66,9

2,7

BMX VANGUARDA

Figura 9: Análise de variância (Anova: fator único).

RESUMO

Grupo

Contagem

Soma

Média

Variância

Setting BR

20

1446,2

72,31

46,93568

Testemunha

20

1359,4

67,97

40,22432

ANOVA

Fonte da variação

SQ

gl

MQ

F

valor-P

F crítico

Entre grupos

188,356

1

188,356

4,322074

0,044422

4,098172

Dentro dos grupos

1656,04

38

43,58

Total

1844,396

39

Figura 10: comparativo de produtividades entre parcelas com Setting BR e testemunha por área experimental.


Embora as produtividades médias em todas as parcelas com Setting BR tenham sido superiores às testemunhas, não ocorre o mesmo com o vigor das sementes, como podemos observar na figura 11.


Figura 11: comparativo de vigor por cultivar entre amostras com Setting BR e testemunha no momento da colheita.

*Teste de Vigor Envelhecimento Acelerado: 48 horas a 41°C;

** Amostra NS 5445 IPRO testemunha apresentou mais danos por umidade em relação as outras amostras, apresentando baixo vigor.

Como podemos ver no gráfico, a maioria das amostras tratadas com Setting BR apresentaram teor de vigor mais elevado do que as testemunhas, mas também em três amostras a situação se inverte, apresentando maior vigor nas parcelas de testemunha.

Em relação a cultivar NS 5445 IPRO, não devemos considerar uma diferença tão grande como o gráfico apresenta, pois a amostra de testemunha apresentou mais danos por ter umidade elevada. Quando feito o teste de tetrazólio com as mesmas duas amostras (NS 5445 IPRO Setting e testemunha), a amostra com Setting BR continuou com resultado superior, porém com menor diferença (87% Setting BR e 85% testemunha).

CONCLUSÕES

O uso de Setting Br na fase vegetativa da cultura da soja é uma excelente ferramenta para atingir elevadas produtividades. O produto Setting BR, aplicado na dose de 30 g.haˉ¹ em V3 – V4 proporcionou maior número de internódios, e consequentemente mais ramos e maior número de vagens e grãos por planta de soja, bem como aumento significativo no teor de vigor das sementes no momento da colheita.

ver mais artigos

Clóvis Albino Perin; Evandro Cezar Nogara

CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura