Lama no caminho

Antes de abordar um lodaçal com seu 4x4, verifique primeiramente qual é a profundidade do solo. Existem diferentes tipos de lodaçais/atoleiros em cada canto do Brasil e do planeta, e cada um requer uma linha de ação adequada. Antes de entrar no atoleiro é necessário inspecionar a pé o que se tem pela frente. Confira até a onde vai o terreno solto e começa terra firme. Veja qual é a distância que será percorrida e as bordas da trilha, se é uma descida ou subida, procure pedaços de madeira ou pedras que possam se chocar com as partes inferiores do seu veículo. É natural que outros motoristas, que passaram por alí, tenham colocado troncos de árvore e pedras para firmar melhor o piso. Após a passagem deles é possível que essas pedras e troncos virem armadilhas contra o cárter do motor, barramento de direção, tubulação de freio e por aí afora. Retire os obstáculos que considerar perigosos e se localizar algum buraco mais profundo, que poderá atrapalhar a travessia, recoloque pedras, terra firme ou galhos de árvores secos, mas não corte árvores jamais.

Analisada a situação, volte e engate a tração 4x4, reduzida e o blocante. Tenha certeza de que os pneus dianteiros estão alinhados com a trilha escolhida. No barro não dá para perceber se o volante está esterçado para os lados. Isto dificulta o avanço, e se houver tração suficiente no momento seguinte o veículo pode sair bruscamente do trajeto, indo de encontro ao barranco, árvore, pedra ou abismo. Na dúvida, coloque o rosto para fora da janela e monitore a direção dos pneus. Entre na trilha com firmeza, moderação, e a segunda marcha engatada. Procure não acelerar com muita força, pois os pneus irão patinar e conseqüentemente perderão o pouco de tração que possuem.

Você deve ainda girar rapidamente o volante para a esquerda e para direita, pois com este movimento os pneus procuram por terreno firme e continuam a levar o veículo para frente. Entretanto, se as rodas realmente patinarem é hora de parar e tentar voltar para trás, que é o caminho mais fácil neste momento. A insistência só vai fazer com que os pneus girem inutilmente, ou que eles afundem ainda mais no barro. Se não conseguir sair, levante os pneus com o macaco ou o Hi-Lift, colocando embaixo deles pedras ou pedaços de madeira.

Trechos com lodaçais profundos podem ter o nível de água ou lodo diminuídos, cavando-se uma saída lateral para escoamento. Este procedimento evita que a parte elétrica e a entrada de ar do motor sejam atingidos pelo barro.

Certos tipos de terrenos pedem velocidade para a travessia, como terrenos encharcados e áreas pantanosas onde a flutuação será fundamental. Então, você deverá usar até a terceira reduzida, o que significa alta velocidade e riscos de choques violentos das partes inferiores em pedras escondidas, e possivelmente a perda de controle da direção. Portanto, considere os riscos de uma travessia mal sucedida e veja se não é melhor encalhar mesmo o veículo e retirá-lo com ajuda do guincho ou de outro veículo acompanhante.

João Roberto de C. Gaiotto,
Goodyear

* Este artigo foi publicado na edição número 26 da revista Cultivar Máquinas, de dezembro de 2003/janeiro de 2004. ver mais artigos
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura