Nutrição equilibrada

Muda cítrica produzida com tecnologia moderna é o inicio de uma nova citricultura, mais eficiente e capaz de garantir a continuidade, competitividade e o crescimento do agronegócio citrícola brasileiro. O atual programa de produção de mudas cítricas no Estado de São Paulo determina que esta produção seja em ambiente protegido de insetos afídeos e com substrato livre de patógenos de solo. Este sistema de produção de mudas também foi adotado pelo Programa de Revitalização da Citricultura no Estado de Sergipe, abrangendo 31 municípios daquele Estado.

A produção de mudas nestas condições difere bastante do sistema tradicional de mudas a campo. A eficiência deste sistema é alta, principalmente quando se considera o número de plantas por área. No viveiro tradicional, o stand varia de 80 a 160 mil plantas por hectare, enquanto que no sistema de vasos tem-se em torno de 400 mil plantas por hectare. Torna-se importante também, lembrar que no sistema atual de produção de mudas cítricas, o volume de substrato a ser explorado pelas raízes na absorção de água e nutrientes é bastante reduzido.

Como na produção de mudas cítricas em substratos, tem-se o rápido crescimento das plantas, utilizando para isso quantidades de nutrientes bastante superiores àquelas empregadas a mudas de campo, torna o sistema muito sensível ao desequilíbrio nutricional. Isso exige um monitoramento constante e dinâmico da concentração de nutrientes na solução do substrato que está disponível às raízes, pois, este sistema de produção é menos tolerante a erros.

Diferentes substratos demandam distintos manejos de irrigação e adubação, uma vez que estes produtos, nas suas conformações originais, diferem em suas matérias-primas básicas, variando desta forma também nas suas características físicas e químicas. Com a profissionalização do setor, torna-se necessário por parte das empresas fornecedoras de substrato, o desenvolvimento de um serviço pós-venda, permitindo desse modo que os viveiristas tenham informações que auxiliem na determinação do manejo mais adequado a ser adotado.

Diferentes métodos de fornecimento de nutrientes vêm sendo empregados por produtores de mudas cítricas, desenvolvidos, em sua maioria, através de tentativas e erros, sem conhecimento científico dos métodos mais adequados de adubação. O uso de fertilizante de liberação controlada é uma técnica alternativa que vem sendo bastante empregada por alguns produtores de mudas cítricas no Brasil. Entretanto é importante considerar que a taxa de liberação gradual de elementos pelos grânulos é proporcional à temperatura e umidade do meio em que este se encontra. Assim, quando as condições ambientais dentro da estufa não permitem manter as características de liberação lenta dos nutrientes que estão no interior das cápsulas destes fertilizantes, os mesmos podem ser rapidamente disponibilizados às plantas, frustrando as expectativas do produtor em ter uma liberação de nutrientes contínua e uniforme por um período determinado. Por outro lado, o manejo de irrigação está diretamente ligado às perdas de nutrientes por lixiviação.

O manejo de água para otimizar a qualidade da muda cítrica deve ser feito para repor 125% da água necessária para saturar o substrato do recipiente, garantindo deste modo a lavagem de sais formados devido à transpiração das plantas e à evaporação. Como conseqüência, neste sistema de manejo ocorre constante perda de nutrientes, o que resulta em queda no valor do pH do substrato, o que aumenta a solubilidade e disponibilidade de íons metálicos presentes, podendo estes atingir níveis tóxicos para as plantas. Como o período necessário para a produção da muda cítrica é relativamente longo quando comparado a outras culturas, mesmo utilizando fertilizantes de liberação controlada, torna- se necessária à realização de adubações suplementares. É importante lembrar que a fase crítica para a produção da muda cítrica ocorre após a enxertia.

ADUBAÇÃO POR FERTIRRIGAÇÃO

O manejo de adubação por fertirrigação consiste no fornecimento dos nutrientes via água de irrigação. Este método vem apresentando maior eficiência no fornecimento de nutrientes às plantas, isso por ser um método versátil, permitindo mudanças nas quantidades e freqüências de aplicações de nutrientes, oferecendo deste modo condições para o melhor monitoramento da disponibilidade dos nutrientes no ambiente radicular. Diferentes porta-enxertos têm demanda distinta para o consumo de água e nutrientes durante o ciclo de formação da muda cítrica. As plantas têm capacidade de se adaptar em diferentes soluções nutritivas, no entanto é fundamental a utilização de soluções completas (macro e micronutrientes) e equilibradas em cátions e anions, que possuam condutividade elétrica adequada e pH em torno de 5,5. A utilização de solução nutritiva com pH constante é a forma mais eficaz de manter as características químicas do meio de crescimento das plantas.

É fundamental para o manejo da irrigação e fertirrigação que o viveiro seja equipado com um pH-metro e um condutivímetro. O monitoramento constante do pH e da condutividade elétrica da solução que percola o substrato, torna-se de extrema importância, pois, são parâmetros qualitativos de fácil determinação no viveiro, que refletem condições quantitativas dos íons presentes na solução disponível às raízes das plantas. Estas informações são importantes para a tomada de decisão entre irrigar ou fertirrigar.

Devido à recente implantação deste sistema de produção de mudas e o rápido aumento no número de viveiros, torna-se necessária a orientação aos produtores para o uso correto e racional destas ferramentas, permitindo dessa forma o monitoramento adequado e a melhoria na qualidade das mudas cítricas.

Paulo Sérgio R. Boaventura,
IAC

* Este artigo foi publicado na edição número 24 da revista Cultivar Hortaliças e Frutas, de fevereiro/março de 2004. ver mais artigos
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura