Palmo a palmo contra a soja

Por exemplo, no sul do Rio Grande do Sul, ela costuma ser encontrada com freqüência, em quase todas as safras. Já no norte do Paraná, apenas há mais de 20 anos houve um surto grande desta lagarta. Um dos motivos principais para sua população ser normalmente tão baixa é a alta eficiência de seus inimigos naturais, especialmente parasitóides, que têm uma grande capacidade de manter a população sob controle.

Apresentação da lagarta

O nome científico da lagarta falsa medideira é Pseudoplusia includens, pertence à família Noctuidae, que é uma das famílias da ordem Lepidoptera, onde se encaixam todas as espécies de mariposas e borboletas. Quem tem a minha idade, ou for procurar nos alfarrábios dos anos 70 para trás, vai encontrar diversos nomes científicos para esta lagarta: Plusia oo, Plusia nu, às vezes Plusia spp, até o gênero Trichoplusia era referido. Na realidade, ou se tratava de sinonímia científica, ou de identificação incorreta, e hoje todos os pesquisadores da área concordam com a denominação P. includens.

O amigo aí está curioso do porque ela se chama falsa medideira, não é? Então vamos explicar. É que ela caminha sobre a planta (no solo também) arqueando o corpo, pois ela aproxima a parte de trás da parte da frente do corpo, fazendo o arco, depois avança a parte da frente, e assim por diante. Bem, até aí entendi, você dirá, mas porque falsa? Ah, por que existem as verdadeiras medideiras, que são lagartas da família Geometridae, que possuem um jeito de se movimentar muito semelhante, e que são chamadas de verdadeiras medideiras. Se você observar atentamente, em especial perto do fim do ciclo da soja, vai encontrar muitas destas verdadeiras medideiras, que são normalmente verdes (podem ter outras cores), magrinhas, - até porque comem pouco - andando sobre a soja.

Hábitos de uma lagarta

Bem, vamos conhecer mais sobre esta lagarta, que foi muito mais estudada nos Estados Unidos do que no Brasil. Como a gente não sabe bem quem surgiu primeiro, a galinha ou o ovo, digo a mariposa ou o ovo, comecemos por esse. Os ovos são postos pela mariposa, no período da noite, são esbranquiçados, translúcidos e brilhantes. E difíceis de ver, porque são pequenos. Mas quem procurar bem com a ajuda de uma lupa, vai enxergar na superfície do ovo muitas linhas, que são ligadas por estrias transversais.

Passados uns 3 dias, as larvinhas saem do ovo, e são conhecidas entre os agricultores como "fios", por serem alongadas e magrinhas. Possuem uma cor verde claro, e já se movimentam medindo palmos.

Todas as lagartas crescem mudando de pele, ou seja, trocando de instar ou estádio. A falsa medideira passa, normalmente por 6 mudas de pele, durante o período de lagarta, embora um estudo feito em São Paulo tenha encontrado um sétimo estádio. Mas, nesse caso específico, pouco mais de um terço das lagartas tiveram esse estádio adicional.

Diferentes cientistas encontraram diferentes resultados, para a duração de cada um deles. Isto porque, a biologia da lagarta varia em função do tipo de planta da qual está se alimentando, da qualidade desse alimento, da temperatura, da umidade, da quantidade de luz do dia, entre outros. Então é difícil afirmar quanto tempo dura entre cada muda, porque depende das condições locais.

A partir da terceira muda, embora a cor continue verde claro, aparecem listras ao longo do corpo de cor branca, uma de cada lado do corpo, e diversas listras mais estreitas no dorso da lagarta, podendo também aparecer pontuações escuras no corpo. A cabeça é verde brilhante, podendo ficar mais escura no final do ciclo da lagarta. Aquela movimentação tipo mede palmo é conseqüência da presença de dois pares de patas abdominais, mais o par terminal. O corpo é segmentado, e o corpo tende a aumentar de tamanho na parte posterior do da lagarta.

E o tamanho das lagartas? Logo que saem do ovo, medem 5mm, passam para 9mm na próxima muda de pele. No terceiro estádio já medem 15mm, passando a 20 no quarto e 30 no quinto. No final da fase de lagarta, ela mede cerca de 35mm.

E quando completa a fase de lagarta, o que acontece? Ela começa a diminuir de tamanho, engrossar o corpo e ficar mais clara. Ela passa 1 ou 2 dias tecendo uma teia, presa por todos os lados às folhas de soja,e se "prende" dentro da teia. Se você olhar através da teia, vai ver uma pupa, ou crisálida - que é a fase intermediária entre a lagarta e a mariposa- com cerca de 15mm de comprimento, de cor verde clara.

Acabou? Não. Depois de uma semana de descanso nesta fase, a pupa se transforma em mariposa. É agora que vamos fechar o ciclo. As mariposas tem cor marrom brilhante, com duas manchas circulares prateadas no primeiro par de asas. Logo após a emergência, machos e fêmeas se acasalam. As fêmeas podem acasalar-se até quatro vezes, e com machos diferentes. Entre 3 e 4 dias depois da fecundação, a fêmea põe os ovos, que podem superar 600 ovos, durante a semana em que ela passa ovipositando. No total a mariposa pode viver até 2 semanas.

Danos na lavoura

Bem, agora que eu já entendo tudo da lagarta, o que é mesmo que ela pode aprontar na minha lavoura? Ela come as folhas de soja. Você com certeza já viu folhas de soja que mais parecem o trabalho de crochê da vovó? Em que o tecido das folhas foi comido, mas as nervuras, até as pequenas, ficaram intactas, lembrando uma grade? Pois é, muito provavelmente esse dano é da lagarta falsa medideira. Embora sua população na lavoura, normalmente, seja inferior à da lagarta da soja, a sua capacidade de consumo de folhas é maior. Existem pesquisadores que já demonstraram que a falsa medideira pode comer até 200cm2 de folhas de soja.

Mas, na prática, para efeito de cálculo de danos de lagartas às lavouras, tanto a lagarta da soja, quanto a falsa medideira podem ser contadas juntas. E só efetuar o controle quando se encontrar mais de 40 lagartas maiores que 1,5cm por pano de batida, na média das diversas amostras da lavoura. Ou, então se o desfolhamento estiver passando dos 30% antes do florescimento, e 15% depois do florescimento.

Agora, se for preciso controlar tome um cuidado: a lagarta da soja morre muito mais fácil que a falsa medideira. Não é todo o inseticida que mata a lagarta da soja, e que também mate a falsa medideira, e, quando isso ocorre, as doses para controle da falsa medideira são maiores. Assim, se na sua lavoura você tiver entre 20-25% da população de lagartas constituída por falsa medideira, trate tudo como se fosse lagarta da soja. Acima disso, é melhor discutir com o seu agrônomo a melhor alternativa. Para dizer a verdade, se você quer mesmo conduzir a lavoura como manda o figurino, e melhorar a produtividade, a qualidade e a rentabilidade da lavoura, consulte o seu agrônomo com muita freqüência.

Décio Luiz Gazzoni
Embrapa Soja

* Este artigo foi publicado na edição número 11 da revista Cultivar Grandes Culturas, de dezembro de 1999. ver mais artigos
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura