Quanto vale sua colhedora usada?

A mecanização da colheita proporcionou um aumento expressivo da produção de grãos e no rendimento de trabalho, trazendo diversos benefícios, entre estes, a redução de custos e a agilidade na execução do trabalho. Considerando os últimos 15 anos, foram vendidas aproximadamente 65.400 colhedoras para o mercado interno, com uma média de 4.360 máquinas anuais, segundo dados da Anfavea.


Quanto maior o número, tamanho e a complexidade das máquinas, mais importante se tornam o gerenciamento para uma melhor rentabilidade dos negócios.A colheita é uma das atividades mais importantes na agricultura devido ao seu alto valor agregado. Porém a aquisição de uma colhedora nova necessita de um elevado investimento, que muitas vezes o agricultor não tem como obter, assim, a compra de uma usada pode ser a solução.

Somente critérios técnicos poderão orientar para uma avaliação confiável, já que existem no mercado, muitas colhedoras usadase em diversos estados de conservação. Pode-se conseguir um bom valor de revenda se forem observados certos aspectos: revisão geral em cada máquina após a safra ou período de utilização; uso de peças originais, mecânicos treinados e ferramentas adequadas; uso de revendedor autorizado; utilização da manutenção preventiva ou preditiva; uso de máquina com boa engenharia; planejamento de consertos, reforma e revisão; uso de insumos de primeira linha (combustíveis, lubrificantes, peças, mão-de-obra).

Os custos referentes à mecanização das operações agrícolas, nas diferentes culturas, representam entre 10% e 30% dos custos totais de produção, demonstrando a importância da escolha do equipamento mais adequado para o processo produtivo.

Sempre que possível, deve-se escolher um equipamento usado que, mesmo no final de sua vida útil, apresente boas condições de revenda, esta escolha deve ter uma constante análise de mercado, pois somente critérios técnicos poderão orientar em uma avaliação confiável, já que existem no mercado, muitos equipamentos usados e em diversos estados de conservação.

DEPRECIAÇÃO

Todas as máquinas e equipamentos sofrem uma perda de valor e eficiência causada pelo passar do tempo através do desgaste ou pelo obsoletismo tecnológico, sendo conhecida pelo nome de depreciação. Diversas são as formas para se realizar o seu cálculo sendo que o método do valor de mercado, realizado através de uma pesquisa dos valores praticados, estima o valor do equipamento usado e é considerado o mais preciso.

Atualmente a popularização das páginas eletrônicas de revendedores de máquinas usadas favorece a pesquisa de valores praticados, podendo se estimar os valores, em relação ao ano de fabricação de diversos equipamentos. De maneira geral as páginas da internet trazem a marca, modelo, ano de fabricação, valor de revenda, estado da federação entre outras.

VALOR DE MERCADO DE COLHEDORAS

Para realizar a pesquisa de preços médios de veículos de passeio, utilitários, motos, caminhões e micro-ônibus são utilizados empresas ou fundações de pesquisas(Molicar, Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas – FIPE, Webmotors, entre outras), mas em nenhuma dessas empresas é possível verificar preços médios de colhedoras agrícolas.

Por exemplo, a tabela FIPE expressa preços médios de veículos efetivamente praticados no mercado com base nacional, havendo transações que ocorrem acima ou abaixo dos preços divulgados. Para a obtenção do valor médio de mercado são considerados preços de veículos das várias regiões do país e com diferentes características, sendo desconsiderados, para efeito de cálculo, aqueles preços excessivamente distantes da média servindo como uma referência para compra e para venda.

Sendo analisada a ausência de informações sobre o preço médio de colhedoras usadas, foi criada uma equipe de trabalho e uma metodologia para de uma forma isenta criar um método que calcule o preço médio e sirvam como referencia, refletindo o valor comercial mais próximo possível com a colhedora procurada.

Com isso este método de estimativa tem como objetivo auxiliar técnicos e produtores na pesquisa de valores de mercado das colhedoras, auxiliando na melhor escolha para a propriedade e necessidade do produtor.

A METODOLOGIA PARA ESTIMAR O VALOR DE MERCADO.

Os dados utilizados neste trabalho foram computados entre março e abril de 2011, setembro e dezembro de 2012, março e maio de 2013 e abril e maio de 2014, onde foi pesquisado paginas eletrônicas especializadas na revenda de colhedoras usadas, sendo elas: AgroLink, Agromaquinasusadas, MFRural, Real Tratores, Tratoresecolheitadeiras.

As variáveis respostas foram: marca (Case, John Deere, Massey Ferguson, New Holland e Valtra), modelo, ano de fabricação do equipamento, preço e estado da federação (AL, BA, DF, ES, GO, MA MG, MS, MT, PB, PE, PR, RS, SC, SE, SP e TO). Os dados foram coletados entre os anos de fabricação de 1990 a 2014 sendo tabulados em uma planilha eletrônica formando uma sequência de dados conforme a ordem das variáveis respostas.

Posteriormente foram feitas análises estatísticas: média amostral, intervalo de confiança da média de 95%, desvio padrão, análise de regressão exponencial.

Para validação foram encontradas3.022 colhedoras distribuídas conforme a Gráfico 1. O Gráfico 2 apresenta o comportamento da perda de valor médio em porcentagem encontrada entre os anos de 1990 e 2014.

Gráfico 1: Quantidade de colhedoras usadas à venda encontradas em cada ano.

Gráfico2 - Relação entre a idade da máquina e porcentagem em relação ao novo.

Gráfico 3- Relação entre a idade da máquina e porcentagem em relação a nova para o exemplo.

Para estimar o valor de mercado de uma colhedora usada se obtém o valor da máquina nova e se multiplica pelo coeficiente da porcentagem em relação ao novo de acordo com Gráfico 2. Se o equipamento não existir mais na linha de produção do fabricante, utiliza-se o valor do similar atual.

EXEMPLO DE CALCULO

No box ao lado é possível visualizar a metodologia utilizada para avaliar o valor atualizado de mercado de uma colhedora usada.

Este projeto tem como objetivo auxiliar na criação de um método técnico-cientifico de estimativa, isento, para o valor de mercado de colhedoras autopropelidas, assim auxiliando o técnico ou agricultor em uma negociação de seus equipamentos agrícolas, de forma semelhante praticado pela FIPE, MOLICAR e outros.

BOX 1 – EXEMPLO DE CÁLCULO DE DEPRECIAÇÃO DE COLHEDORA USADA

Para encontrar o valor atualizado da máquina usada, usaremos a máquina abaixo como exemplo:

Colhedora da marca Massey Ferguson, modelo MF 5650 ano de fabricação 2004.

Valor da nova/similar nova: R$ 488.000,00.

Idade da colhedora: 10 anos.

A partir do gráfico 3 é possível encontrar a relação entre ano de fabricação e porcentagem em relação a nova.

Perda de valor: 40% (traçado vermelho)

Estimativa do valor usado = Valor novo ou similar X % (decimal) em relação ao novo.

Estimativa do valor usado: R$ 488.000,00 X 0,40

Estimativa do valor usado= R$ 195.200,00

Este artigo foi publicado na edição 145 da revista Cultivar Máquinas. Clique aqui para ler a edição.

ver mais artigos

Adriano Soares da Silva; Renan Bernardy; Rihan Cardoso Centeno; Mauro Fernando Ferreira; Ângelo Vieira dos Reis

CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura