Sinal de alerta para o trigo gaúcho

As previsões climáticas para a safra tritícola gaúcha em 2009 sofreram modificações desde o momento da semeadura do cereal. Prognósticos de ano “neutro” em termos de El niño/La niña evoluíram para um ano característico do fenômeno El niño (National Weather Service, 2009), de intensidade moderada, o que implica em maior probabilidade de precipitação acima das médias históricas durante o ciclo da cultura, especialmente durante a primavera.

De fato, conforme os dados do Centro Nacional de Pesquisa de Trigo – Embrapa Trigo, nos meses de maio, julho, agosto e setembro de 2009, o percentual de precipitação acima das normais históricas para o município de Passo Fundo foram, respectivamente, de 40,9%, 44,7%, 62,2% e 135,9% (Tabela 1).

Como se não bastasse o índice de precipitação absoluto observado neste período, o número de dias com chuvas foi muito significativo em agosto e setembro. Dos 31 dias do mês de agosto, em 15 deles houve precipitação; já em setembro, dos 28 dias considerados até o momento, em 16 deles choveu. Esta situação pode ser extrapolada para quase todas as regiões do Rio Grande do Sul. Assim, os triticultores tem enfrentado problemas para realizar o controle em parte aérea das doenças foliares (principalmente ferrugem e manchas) e aplicações preventivas para doenças de espiga (giberela), implicando em risco de comprometimento do potencial de rendimento de grãos. Esta análise passa a ser muito significativa ao se considerar que praticamente 28% das lavouras do estado encontram-se em desenvolvimento vegetativo e 47% em fase de espigamento/floração (Tabela 2) momentos demandantes do controle químico para proteção da área fotossíntética das plantas.

Outro aspecto a ser considerado com relação a safra de trigo atual diz respeito ao manejo do nitrogênio. Várias lavouras têm apresentado sintomas de deficiência deste macronutriente, tendo em vista a lixiviação ocorrida pela intensidade observada de precipitação, principalmente nos meses de julho, agosto e setembro. Para lavouras que encontram-se, ainda, em estágio indicado para adubação de cobertura (afilhamento e início de elongação), sugere-se o monitoramento e, se necessário, reposição do N, sob pena de redução do potencial produtivo.

O início da colheita da safra gaúcha terá início no mês de outubro. Sob o efeito do evento El niño, sugere-se que os produtores em conjunto com a assistência técnica fiquem atentos às condições das lavouras no momento da colheita, já que existem cultivares mais tolerantes e outras mais sensíveis à germinação em pré-colheita (Pré-harvest sprouting). Estas informações estão disponíveis no documento elaborado pela Comissão Brasileira de Pesquisa de Trigo e Triticale, por ocasião da reunião dessa comissão em Veranópolis, em julho do ano corrente e denominado de Indicações Técnicas para a safra 2009: Trigo e Triticale (disponível em www.cnpt.embrapa.br).

Os preços para o cereal no RS permanecem estagnados na faixa de 21 a 22 reais/saca, mesmo com indicativos recentes de quebra na safra brasileira do cereal em virtude da redução nas expectativas de colheita no Paraná. De maneira geral a comercialização do grão está lenta, reflexo da aquisição pontual de lotes do cereal pela indústria, suficiente para abastecer suas necessidades imediatas, o que deve se manter, pelo menos por enquanto.

Eduardo Caierão
Pesquisador da Embrapa Trigo
http://www.cnpt.embrapa.br/

Confira esse artigo, com as tabelas, no link abaixo:

/arquivos/trigors.pdf

Artigo originalmente publicado no site http://www.cnpt.embrapa.br/obs_trigo/safra/acompanhamento_rs.htm ver mais artigos
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura