Sistemas de distribuição de fertilizantes em semeadoras

Existem diversos sistemas para distribuição de fertilizantes durante ou após o plantio. Os sistemas Fertisystem, Caracol Tradicional e Rotor Dentado são os sistemas mais utilizados para distribuição de adubo em linha das principais culturas. Já a lanço podemos considerar o rotor centrífugo e tipo pendular como mais usuais.

O Caracol Tradicional é um dosador com roscas sem-fim e conhecido por quebrar com facilidade as “pelotas" de adubo. No entanto, seu princípio de funcionamento consiste na liberação de adubo feito por uma rosca sem-fim, em pulsos, o que promove certa desuniformidade ao longo da linha.

O sistema Fertisystem é bastante utilizado em semeadoras, para soja, milho, arroz, trigo e algodão. Este sistema proporciona uma distribuição regular e uniforme de fertilizantes. Ele também evita excessos de fertilizante, o que pode resultar em “queima" de sementes ou a aplicação de doses menores que as necessárias, causando heterogeneidade de plantas e, por fim, da produtividade. O princípio de funcionamento proporciona a eliminação do efeito “ciclo da rosca sem-fim" e anula as grandes variações das dosagens em inclinações topográficas encontradas no sistema de plantio direto, resultando em uniformidade de distribuição na linha e dosagem constante na subida e descida.

Já os sistemas de rotores dentados foram os primeiros dosadores a surgir, são montados no fundo do depósito do adubo das semeadoras e são constituídos de um rotor dentado, horizontal, que gira sobre uma placa que contém o orifício de saída do adubo. A distribuição de adubos a lanço tem grande importância principalmente para adubação em cobertura de algumas culturas como milho e trigo. Além da utilização desta técnica para distribuição a taxa variável em agricultura de precisão.

Os equipamentos a lanço com distribuidores de rotor centrífugo são muito utilizados no Brasil no contexto da produção de grãos, devido ao fato de estarem normalmente associados à grande capacidade de carga e boa autonomia na distribuição de adubos em cobertura, além das consideráveis larguras de trabalho (pode chegar a 20m). Consiste no lançamento radial do adubo, utilizando-se um ou dois discos horizontais. O distribuidor tipo pendular é aquele que possui um tubo horizontal, ligado a um mecanismo excêntrico que descreve um movimento de um pêndulo.

O acionamento dos órgãos de alimentação e distribuição é assegurado pela tomada de potência do trator, tendo na sua base um agitador que evita a compactação do adubo, impedindo assim a formação de torrões, e assegura uma alimentação regular e contínua dos órgãos de alimentação.

SISTEMAS MAIS UTILIZADOS

DISTRIBUIÇÃO DE SEMENTES

Os dosadores de sementes são responsáveis pela densidade e distribuição de semeadura linha. Baixas produtividades em culturas comerciais ocorrem quando há população de plantas fora da recomendada para a cultura. Baixas populações resultam em produtividades reduzidas e aumento de espaços entre plantas. Por outro lado, densidades acima da ideal ocasionam plantas estioladas, de maior altura e com caules delgados, que facilitam seu acamamento e quebra.

Os mecanismos distribuidores de sementes graúdas mais usados são os discos horizontais alveolados e o sistema pneumático “vácuo". O tipo de dosador utilizado, além de afetar a distribuição de sementes, pode interferir na qualidade de semeadura, em função de danos mecânicos ocasionados às sementes.

Na maioria das semeadoras de precisão brasileiras, a dosagem de sementes é realizada por discos horizontais alveolados, que têm a função de capturar, individualizar, dosar e liberar as sementes. Quando o disco gira, os alvéolos nele contidos captam as sementes e as conduzem até a abertura de saída.

O sistema pneumático utiliza vácuo ou pressão para a dosagem de sementes. A pressurização, ou vácuo, é produzida por turbina própria da semeadora, acionada pela tomada de força do trator. No sistema de pressão, um disco vertical gira aprisionando a semente de um reservatório localizado em sua base. A pressão do ar mantém as sementes presas em orifícios e um dispositivo com corte de pressão é responsável pela liberação de sementes para o solo.

Para a distribuição de sementes miúdas o sistema de rotor acanalado é o mais utilizado. O rotor acanalado é um dosador com reentrância na sua periferia, que gira dentro de uma moega e leva as sementes ao tubo condutor e, daí, ao solo. Este dosador é mais indicado para sementes pequenas e altas densidades de plantio, como o arroz e o trigo.

DIFERENÇA PARA GRÃOS GRAÚDOS E MIÚDOS

Quanto aos sistemas dosadores de sementes existem diferenças entre sementes graúdas (soja e milho) e sementes miúdas (trigo, aveia e arroz). Os mecanismos dosadores de sementes graúdas consistem em individualizar as sementes contidas no reservatório, sem danificá-las, distribuindo-as de maneira uniforme na linha com o máximo de precisão. Para as sementes miúdas, os sistemas dosadores não individualizam as sementes e fazem assim uma semeadura contínua.

SISTEMA É EFICIENTE

Para verificar a eficiência dos sistemas de distribuição de fertilizante é importante observar a distribuição transversal, esta avaliação consiste em determinar a quantidade de fertilizante que é conduzido do depósito até os dutos condutores pelo sistema de distribuição.

Já para a distribuição de semente é importante avaliar a transversal para semeadouras com o sistema de rotor acanalado. Para sistemas pneumáticos e discos alveolados são importantes as avaliações da regularidade de distribuição longitudinal e da profundidade das sementes.

Fatores importantes devem ser observados na semeadura, como quantidade de sementes expostas, profundidade de semeadura, corte de palha e manutenção da cobertura do solo. No caso de encontrar problemas com estas variáveis uma regulagem no implemento se faz necessária para evitar problemas na formação do estande de plantas e emergência desuniforme. A velocidade de deslocamento da semeadora também é fator importante para o sucesso da semeadura, recomenda-se entre 3 e 4km/hora para grãos graúdos e de 6 a 8km/hora para grãos miúdos.

REGULAGENS DE CADA SISTEMA

Para os dosadores Fertisystem e caracol tradicional a regulagem na quantidade de adubo a aplicar é feita através da troca de engrenagens para variar a velocidade da rosca sem-fim. Para o sistema rotor dentado deve-se alterar a abertura das comportas ou variar, com a mudança de engrenagens, a velocidade de giro do dosador.

Quanto à regulagem nos dosadores distribuidores de sementes, a do dosador de disco alveolado é feita através da variação da velocidade de rotação do disco por meio da troca de engrenagens.

Para regular a vazão de sementes no sistema pneumático deve-se substituir o disco por outro com número de células diferente, ou alterar a sua velocidade de rotação, com a mudança de engrenagens. No rotor acanalado para regular a vazão de sementes, deve-se deslocar o rotor lateralmente ou variar a sua velocidade de rotação, por meio de engrenagem.

Nas semeadoras há tabelas que indicam a relação entre as engrenagens para dosar a quantidade de semente e fertilizante. A precisão para sementes é muito boa, porém, para fertilizante há necessidade de conferência, pois a variação de características físicas dos fertilizantes pode alterar a distribuição

RECOMENDAÇÕES PARA CADA SISTEMA

No momento da escolha do sistema de distribuição de adubo e sementes, muitos produtores utilizam fatores relacionados à preferência pessoal, pois poucos trabalhos foram desenvolvidos pela pesquisa para auxiliar nesta escolha. Problemas relacionados às características de solo, umidade absorvida pelo fertilizante, tamanho de sementes e regulagem das semeadoras dificultam trabalhos do gênero.

No IFRS, Campus Ibirubá foram realizados trabalhos na avaliação dos sistemas de distribuição de fertilizante Fertisystem e caracol tradicional para culturas de inverno. Quanto aos sistemas, o dosador Fertisystem apresentou maior homogeneidade na distribuição de adubo que o caracol tradicional. Com relação à velocidade de deslocamento (7 e 11km/h), não foi observada diferença na quantidade de adubo aplicada com as diferentes velocidades testadas.

Nas avaliações realizadas com os sistemas de distribuição de sementes rotor acanalado para culturas de inverno e discos alveolados para culturas de verão ambos os sistemas utilizados, desde que regulados de maneira correta, apresentaram bom desempenho.

QUAL O CUSTO DE CADA SISTEMA?

Com relação ao custo dos sistemas de distribuição de fertilizante em linha, o sistema Fertisystem é cerca de 20% mais caro que o sistema caracol tradicional e cerca de 55% mais caro que o sistema de rotor dentado.

Quanto ao custo dos sistemas de distribuição de sementes, os sistemas de discos alveolados e de rotor acanalado vêm instalados na máquina. Quanto ao sistema pneumático o custo é em torno de R$ 1.500,00 maior por linha que o disco alveolado. Fator relacionado com a alta tecnologia empregada no sistema pneumático.

Este artigo foi publicado na edição 139 da revista Cultivar Máquinas. Clique aqui para ler a edição.

ver mais artigos

Marcos Paulo Ludwig; Darlan de Maria Eickstedt

IFRS, Campus Ibirubá

CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura