Test Drive Trator Agrale 7215

Maior modelo fabricado pela Agrale, o 7215 é um trator potente, que alia simplicidade de operação e facilidade nas manutenções periódicas. Test Drive exclusivo da Cultivar Máquinas mostra as principais características deste modelo.

Já estávamos sentindo falta em realizar um teste para a revista Cultivar Máquinas e, principalmente, trazer novidades aos leitores. Depois de alguma incerteza quanto ao local de teste, decidimos por conhecer este novo modelo da Agrale em terras da região Sul do estado do Rio Grande do Sul, a menos de 20 quilômetros da fronteira do Brasil com o Uruguai. Foi interessante ver o esforço deste fabricante em oferecer modelos maiores e adaptados a um grande número de situações da agricultura brasileira. Tradicionalmente conhecida como fabricante de pequenos tratores, a Agrale, em uma das suas unidades em Caxias do Sul (RS), inicia a montagem de um modelo de mais de 200cv no motor. É o maior trator fabricado pela Agrale atualmente e novos planos podem estar sendo traçados para aumentar a linha de tratores de grande porte, mantendo aquelas características que a Agrale escolheu para este segmento.

Esta tentativa de abranger um novo público, que é o agricultor empresário de médio e grande porte, entrando de vez na oferta de produtos para a agricultura empresarial, deve ser comemorada. Para seguir este caminho se nota, até pelo concessionário da marca que visitamos em Arroio Grande, que foi necessário fortalecer a rede e profissionalizar ainda mais a área de vendas e marketing da empresa gaúcha.

Como dissemos, o modelo 7215 é uma proposta de seguir crescendo em potência de motor, mas mantendo as características da marca que são a economia, a robustez e a simplicidade de operação. O mercado potencial deste trator, nesta faixa de potência e características, é enorme e pode atender desde a média/grande propriedade das culturas do arroz irrigado no Rio Grande do Sul, até a cana-de-açúcar no Sudeste e a produção de grãos e fibras no Centro-Oeste brasileiro.

Já há casos de frotistas e grandes agricultores que aderiram à marca, com importantes aquisições. Desde o seu lançamento este modelo abriu mercado no Centro-Oeste e, em apenas um caso, um mesmo agricultor de Primavera do Leste (MT) adquiriu 22 tratores da Agrale para a sua frota.

Embora este modelo esteja em plena comercialização e o trator que testamos era do cliente, ele foi apresentado para a rede de concessionários em um evento realizado na metade de 2015, e para o público em geral o lançamento ocorreu na Expointer de 2015. A grande novidade que constatamos, além da grande potência do motor, foi o fato de que este modelo já vem preparado para receber o sistema de agricultura de precisão, com potencialidades para piloto automático, principalmente.

Uma prova desta mudança no posicionamento de mercado da Agrale e de seus concessionários é que este modelo, segundo informações da equipe da Agrale que nos acompanhou, foi gerado a partir de demanda comercial surgida entre os revendedores da marca.

Novo sistema de iluminação externa conta com 8 faróis dianteiros e 4 traseiros

Para acompanhar as equipes do Núcleo de Ensaios de Máquinas Agrícolas e da Revista Cultivar Máquinas no teste e disponibilizar os meios e as informações necessárias para o conhecimento do produto, a Agrale designou uma forte equipe técnica, formada por Fábio Melotto, que é analista de Marketing Agrale e está no Departamento de Marketing há quatro anos, o técnico Cezar Sassi, que é demonstrador técnico e está há 33 anos na empresa, e também o senhor José Antônio Cabrera, que é assistente comercial, ligado ao Departamento Comercial Agrale há seis anos.

MOTORIZAÇÃO

O trator testado vem equipado com um motor marca MWM, modelo Maxx Force 6.0A, sobrealimentado por turbo compressor com intercooler. Possui seis cilindros verticais com volume interno deslocado de 6.000cm³. A injeção do combustível é de forma direta na câmara de combustão e realizada por uma bomba injetora em linha, marca Bosch.

A potência máxima declarada pelo fabricante do motor é de 158,1kW (215cv) a uma rotação de 2.300rpm e o torque máximo é de 730Nm a 1.500rpm do motor. O sistema de filtragem de ar é do tipo convencional, composto por dois elementos de papel posicionados sobre o motor, um primário e outro secundário. Para arrefecimento da temperatura do motor foram disponibilizados três radiadores, posicionados na parte frontal: o da água, o condensador do condicionador de ar e o do óleo do sistema hidráulico, além do radiador do intercooler, posicionados de forma a aproveitar o deslocamento de ar proporcionado pela grade frontal do trator.

Para proporcionar autonomia no trabalho e atender o que se espera de um trator deste porte, o fabricante colocou dois tanques de combustível em material metálico, um de cada lado do posto de condução, com comunicação entre eles e com uma capacidade total de 460 litros. O abastecimento de combustível é feito pelo lado direito do trator, contrário à entrada do operador.

O cárter possui capacidade para 13,5 litros de óleo lubrificante, da especificação 15W40. A agrale utiliza óleo da marca Agralub, exclusiva da empresa e indica a sua utilização em todas as trocas.

O motor está envolvido por proteções removíveis laterais das partes móveis e por um capô basculante de grande abertura. Este mecanismo é um item bastante importante na manutenção, pois permite realizar com facilidade a manutenção periódica e possíveis intervenções corretivas no motor. Nota-se o esforço da Agrale em dar um novo visual, moderno ao modelo, prevendo quatro faróis redondos no capô e luzes de trabalho no alto da cabine.

Outro ponto importante a ser destacado é o posicionamento do cano de escapamento, que está colocado atrás de uma das colunas da cabine, não interferindo na visibilidade do operador. O sistema de arrefecimento de calor utiliza líquido de arrefecimento no radiador na quantidade de 25 litros.

Com relação às normas de emissões de poluentes, o motor do trator testado ainda não possui sistema de controle, mas foi relatado que o fornecedor do motor já está trabalhando para o monitoramento de emissões de poluentes, atendendo as normativas brasileiras, que entrarão em vigor a partir de janeiro de 2017.

TRANSMISSÃO E SISTEMA HIDRÁULICO

A transmissão de potência do motor para os demais elementos é mecânica e totalmente sincronizada, com 12 velocidades à frente e quatro à ré, que disponibiliza uma ampla gama de velocidades entre 3,5km/h e 29km/h.


Continue lendo...

ver mais artigos

José Fernando Schlosser, Marcelo Silveira de Farias, Juan Paulo Barbieri

Nema - UFSM

CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura