Agentes aliados

  • Página 14 |
  • Set 2019 |
  • Caroline Gulart, Paulo Sergio dos Santos e Cristiano Bellé, Instituto Phytus

Cada vez mais difundidas, as ferramentas biológicas podem oferecer benefícios no manejo integrado de fungos e de nematoides fitopatogênicos. Associadas a outras estratégias compatíveis, possibilitam combinar diferentes modos e mecanismos de ação, para aumentar a eficácia e a consistência de controle.

Os problemas de estabelecimento de plantas em lavouras de soja têm sido algo recorrente safra após safra, em várias regiões do Brasil. Muitos desses entraves têm origem na ocorrência de podridão de sementes, morte de plântulas e podridões radiculares, causadas por fungos de solo ou veiculadas pelas sementes de baixa qualidade. O impacto disso é a redução de estande e de vigor de plantas, que afeta negativamente a produtividade das lavouras. Em vários dos casos, foi necessário o replantio das lavouras, o que não é conveniente ao produtor e impacta no aumento de custos de produção. Além disso, muitos produtores, por não conseguirem entrar nas áreas, tiveram atraso da época ideal para semeadura, com penalizações no potencial produtivo das lavouras. 

Seja assinante e leia a matéria na íntegra

Matérias da Edição:
  1. Página 18

    Custo de tratar

  2. Página 22

    Eficácia otimizada

  3. Página 30

    Alvos agrícolas

  4. Página 32

    Como controlar

  5. Página 38

    Alvo monitorado

  6. Página 41

    Futuro semeado

  7. Página 42

    Mofo disseminado

Edição Anterior
  • N 243

    Ago 2019

    Teste de fogo para fungicidas

Próxima Edição
  • N 245

    Out 2019

    Soma de esforços contra doenças em soja

CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura