Controle eficaz

  • Página 38 |
  • Fev 2019 |
  • André Barros Matos, Irga

Cultivado há mais de 100 anos no Rio Grande do Sul, o arroz está em constante processo de evolução de produtividade e manejo. Enfrentar desafios atuais como o controle de plantas daninhas e o fantasma da resistência a herbicidas exige planejamento e esforço conjunto entre pesquisa/extensão rural e produtores.

As plantas daninhas sempre fizeram parte do cenário da lavoura arrozeira ao longo dos seus mais de 100 anos de presença no Rio Grande do Sul. Porém, com o passar dos anos o cultivo foi sendo, cada vez mais, intensificado e as plantas daninhas antes facilmente controladas pela lâmina de água ou por métodos manuais de controle, como capina e catação, começaram a se tornar mais persistentes no ambiente de cultivo, causando prejuízos à cultura. Com o advento da revolução verde, surgiram alternativas químicas para o controle destas plantas, que somadas ao avanço do melhoramento genético e à adubação mineral alavancaram a produção do cereal no Sul do Brasil e consolidaram a cultura do arroz como principal atividade econômica da Metade Sul do Rio Grande do Sul no que se refere às atividades agrícolas. 

Seja assinante e leia a matéria na íntegra

Matérias da Edição:
  1. Página 12

    Vetor de doenças

  2. Página 15

    Safrinha maiúscula

  3. Página 20

    Gigantes da soja

  4. Página 24

    Arranjo lucrativo

  5. Página 28

    Na hora certa

  6. Página 40

    Mudas irrigadas

Edição Anterior
  • N 236

    Jan 2019

    Especial 2018: Manejo vencedor

Próxima Edição