Manejo de cercospora em soja

  • Página 18 |
  • Jul 2021 |

Por que é fundamental identificar as espécies que atualmente causam a mancha púrpura da semente e o crestamento foliar de cercospora em soja no Brasil, assim como determinar a concentração efetiva dos fungicidas para que, ao longo do tempo, seja possível monitorar a alteração da sensibilidade dessas espécies de cercospora aos principais grupos químicos utilizados na cultura.


A mancha púrpura da semente (MPS) e o crestamento foliar de cercospora (CFC), são doenças que se encontram disseminadas nas principais regiões produtoras de soja no Brasil. O agente causal mais conhecido e relacionado a essas doenças é o fungo Cercospora kikuchii (Mats. & Tomoy.) Gardner. Contudo, estudos recentes demonstraram a existência de outras espécies associadas a essas doenças, sendo C. cf. flagellaris e C. cf. sigesbeckiae as espécies mais recorrentes (Soares et al., 2015; Sautua et al., 2020).

As estratégias de manejo para a MPS e o CFC incluem principalmente os controles genético (cultivares resistentes), cultural (rotação de cultura) e químico. O controle químico poder ser realizado através do uso de fungicidas no tratamento de sementes, sendo esse eficiente apenas nos estádios iniciais da cultura, conferindo proteção pelo efeito residual dos produtos (Godoy et al., 2014; Kimati et al., 2005) por isso deve ser complementado com aplicações na parte aérea da cultura.

Seja assinante e leia a matéria na íntegra

Edição Anterior
Próxima Edição
  • N 267

    Ago 2021

    Broca da cana e podridão vermelha

CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura