NOTÍCIAS

Avança plantio do milho no Rio Grande do Sul

  • 03/11/2011 |
  • Júlio Fiori
O plantio do milho está praticamente concluído nas grandes áreas das principais regiões produtoras, na parte norte do estado do Rio Grande do Sul, chegando a 68% do total estimado para esta safra. Com isso, a atual safra está 10 pontos percentuais à frente da média verificada nos últimos cinco anos. O desenvolvimento vegetativo das plantas é considerado muito bom pelos técnicos da Emater/RS-Ascar, devido às boas condições meteorológicas das últimas semanas, levando a um aumento na expectativa de produtividade, por parte dos produtores. A maioria das lavouras em desenvolvimento mais adiantado apresenta um excelente padrão de crescimento.

Mesmo com as pequenas interrupções causadas pelas chuvas, a colheita do trigo segue em ritmo considerado normal, segundo os técnicos da Emater/RS-Ascar e produtores, alcançando 35% da área plantada nesta safra. A qualidade do produto retirado das lavouras neste primeiro terço é considerada boa - pH acima de 79 -, assim como os rendimentos obtidos até o momento, que, em muitos casos, ficam próximos aos 3.000 kg/ha. As lavouras que ainda se encontram em fase de formação de grão – 29% do total - também apresentam sanidade e potencial produtivo muito bom, beneficiadas pelas condições de tempo seco.

Apesar da boa qualidade do cereal colocada no mercado pelo produtor, o preço da saca de 60 kg de trigo segue abaixo da média dos últimos anos, o que traz insatisfação e prejuízo para o agricultor. Nesta última semana, a cotação do produto teve uma queda de 0,45% no preço médio estadual, ficando em R$ 24,18.

O plantio da soja avançou 12 pontos em relação à semana passada, alcançando 20% do total a ser semeado no Estado. Esse percentual coloca a atual safra no mesmo patamar verificado no ano anterior. Em muitas áreas, os produtores colhem o trigo e plantam a soja na sequência, favorecendo as condições de conservação do solo, além de acelerar o processo de implantação da safra como um todo. O bom momento pelo qual passa a cultura, principalmente em termos de cotação do produto, também tem feito com que os produtores se animem na aplicação dos insumos. As informações são de que, em vários casos, o uso de fertilizantes, este ano, poderá ser maior do que nos últimos anos, atingindo média superior a 220 kg/ha.

Na região serrana, está tecnicamente concluída a colheita da safra de citros, com os pomares apresentando boa produtividade e qualidade dos frutos. Já as cotações se mantiveram, na maior parte do período, em valores pouco atraentes. O preço médio da bergamota da variedade Montenegrina, na propriedade, é de R$ 2,30/kg e, para a laranja variedade Valência, de R$ 0,45/kg.

Com a entrada da primavera, as espécies forrageiras dos campos nativos restabelecem o ritmo de seu desenvolvimento vegetativo, que foi retardado durante o inverno. Até mesmo as gramíneas anuais cultivadas de inverno, como a aveia e o azevém, que se encontram em final de ciclo, ainda apresentam condições que permitem seu aproveitamento pelos animais. Na maioria das propriedades que se dedicam a exploração pecuária, continuam os trabalhos de implantação das pastagens perenes e anuais de verão, como Tifton, sorgo forrageiro, capim-sudão milheto, aveia de verão, entre outras. Os produtores de leite intensificam a implantação de lavouras de milho para a produção de silagem, sendo que, nas regiões de temperaturas mais elevadas do Estado, os agricultores realizam tratos culturais, como controle de ervas espontâneas e, especialmente, adubação nitrogenada de cobertura.
ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura