NOTÍCIAS

Chuva pode afetar colheita da soja na maior parte do BR

  • 16/02/2018 |
  • Marco Antônio Santos

Áreas de instabilidade atuam sobre as faixas central e norte do país nesta sexta-feira. Com isso, há previsão de que ao longo do dia venham ocorrer pancadas de chuva sobre diversas localidades do Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Rondônia e em boa parte do Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia. Por um lado, essas chuvas mantêm os solos com bons níveis de umidade, favorecendo o desenvolvimento das lavouras, mas por outro atrapalha e pode causar danos aos produtores, uma vez que prejudicam a qualidade da colheita da soja e elevam os índices de umidade dos grãos, o que afeta diretamente no rendimento das lavouras. Consequentemente, isso se reflete também no bolso dos produtores, já que estão ocorrendo muitos descontos por conta de soja muito úmida, principalmente nas regiões centro-norte de Mato Grosso.

Tendência

A tendência para este final de semana e quase toda a semana que vem é de manutenção desse padrão meteorológico, ou seja, chuvas quase todos os dias sobre as regiões produtoras do Centro-Oeste, Sudeste e do Maranhão, Piauí, Tocantins e Bahia, incluindo as regiões produtoras do Pará e de Rondônia. Como as chuvas virão mais na forma de pancadas, as condições se manterão favoráveis tanto a realização da colheita, quanto ao plantio e realização dos tratos culturais.

Somente na virada do mês é que há grandes chances de ocorrer um novo período de invernada, muito semelhante ao que aconteceu no final de janeiro e inicio de fevereiro deste ano. Portanto, todo o cuidado é pouco na hora de dessecar e planejar a colheita, pois caso se confirme essa invernada, que deverá ter duração de quatro a cinco dias, ela poderá afetar diretamente a finalização do plantio do milho segunda safra.

No Sul do Brasil, a semana termina com previsão de tempo aberto e sem chuva em grande parte das regiões produtoras do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e parte do Paraná e do sul do Mato Grosso do Sul. Contudo, no Paraná e em Mato Grosso do Sul, há previsão de que já nesse final de semana venham ocorrer pancadas mais generalizadas, mas nada que venha trazer prejuízos às lavouras e/ou a realização da colheita e posterior plantio. Já na semana que vem, a tendência é de novo de eventuais pancadas de chuvas irregulares, o que será muito bom para o pleno andamento da colheita.

No Rio Grande do Sul, a tendência é de tempo aberto e sem previsões para chuva, que só devem retornar ao estado em meados da semana que vem. Mesmo assim, não haverá prejuízos às lavouras, uma vez que foram registrados bons volumes de chuvasnesse começo de semana. Com exceção apenas para a região da fronteira sul e faixa litorânea que ainda mantêm um padrão de tempo firme e sem chuvas há mais de 20 dias, reduzindo drasticamente os níveis de umidade do solo e causando perdas significativas no potencial produtivo das lavouras. Só há previsão de retorno das chuvas sobre essas localidades gaúchas no final da semana que vem.

Argentina

Na Argentina, este final de semana será o grande divisor de águas. Há previsão de chuva entre o domingo e a terça-feira sobre grande parte das regiões produtoras de soja e milho. Os volumes não deverão ser altos, mas se realmente vierem ocorrer, já serão suficientes para estancar as perdas. Como há expectativa de chuva também para o próximo final de semana, as condições irão se normalizar em toda a Argentina e, com isso, não deve haver mais perdas. Entretanto, caso as chuvas que estão sendo previstas não ocorrerem, ou mesmo serem bem irregulares e de baixa intensidade, a situação das lavouras de soja poderão ficar bem complicadas, pois os níveis de umidade do solo estão no limite.


ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura