NOTÍCIAS

Cientistas discutem uso de RNAi para potencializar produtos biológicos

Uma das ferramentas mais promissoras de modulação de expressão gênica pode colaborar para que produtos biológicos alcancem ainda mais seu potencial a campo. O tema foi debatido durante painel realizado nesta segunda-feira, 12 de agosto, no 16º Simpósio de Controle Biológico (Siconbiol), evento promovido pela Sociedade Entomológica do Brasil, Embrapa Soja e Universidade Estadual de Londrina. 

“Pela promessa que a tecnologia se tornou, é importante que pesquisadores da área de biológicos conheçam a estrutura de funcionamento da técnica de RNAi, assim poderão identificar possibilidade de uso e aplicação”, explica Henrique Marques-Souza, coordenador do grupo de pesquisa em tecnologias de silenciamento de genes da Unicamp. 

A pesquisadora da Embrapa Soja, Liliane Henning,  mediadora do painel, destacou o potencial da tecnologia, mostrando dois possíveis  caminhos para o uso da tecnologia: a construção de plantas transgênicas (que possuem alto custos de regulamentação em diferentes países) e o desenvolvimento de produtos à base de RNAi de uso tópico. “A técnica é extremamente promissora quando considerada a aplicação tópica, ou seja, o desenvolvimento de produtos cuja aplicação na planta faz com que ela absorva e gere a reação de proteção quanto ao objeto-alvo, que é a praga ou a doença”. 

A pesquisadora destacou que, na Embrapa Soja, em Londrina, PR, por exemplo, o Laboratório de Biotecnologia Vegetal atua com linhas de pesquisa de RNAi, visando  o controle da ferrugem asiática e do capim-amargoso. “É um longo processo entre as pesquisas desenvolvidas em laboratórios e a possibilidade de aplicação em escala comercial, mas o potencial de aplicação em soluções que trarão impacto para a agricultura brasileira é enorme”, revela.

Henrique Marques-Souza lembra que a tecnologia de RNAi ganhou a atenção do mundo quando os pesquisadores Andrew Fire e Craig Mello desvendaram o seu mecanismo e acabaram ganhando, em 2006, o prêmio Nobel por suas descobertas. Suas pesquisas identificaram o mecanismo que permite silenciar a atividade de genes específicos e controlar o fluxo de informação genética na célula.  “De maneira simplificada, podemos dizer que a técnica de RNAi funciona como o mecanismo do corpo que reage à presença de um vírus. É algo baseado na expressão de genes em qualquer organismo vivo e pode ser usada para silenciar ou fortalecer uma característica funcional”, explica. É um mecanismo que foi desenvolvido naturalmente nas células de plantas e animais durante o processo evolutivo, como forma de proteção. 

“Ao olharmos para os desafios e gargalos para o desenvolvimento de produtos biológicos, observamos que há muito a se ganhar ao se tomar vantagem da alta especificidade da técnica de RNAi para permitir que o agente de controle biológico atinja o seu potencial máximo no campo, por exemplo”. De acordo com Henrique, a especificidade que a técnica de RNAi alcança, permite a combinação de soluções que envolvem as técnicas de manejo integrado de pragas com produtos mais eficientes desenvolvidos via utilização de RNAi. 

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura