NOTÍCIAS

Colheita da safra de grãos de verão se aproxima do final no RS

Enquanto avança a colheita, seguem ocorrendo as solicitações de vistorias de Proagro nas lavouras que utilizam a política de crédito rural. – Foto: Emater/RS-Ascar

A colheita da soja se encaminha para o final da safra no Rio Grande do Sul e chega a 97% da área plantada, que totaliza 5.964.516 hectares. Enquanto avança a colheita, seguem ocorrendo as solicitações de vistorias de Proagro nas lavouras que utilizam a política de crédito rural. Até quarta-feira, 13 de maio, foram realizadas 9.808 vistorias de Proagro em lavouras de soja por técnicos da Emater/RS-Ascar. De acordo com o Informativo Conjuntural, elaborado e divulgado pela Emater/RS-Ascar na quinta-feira (14/05), em parceria com a Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), a totalidade de solicitações em culturas e hortigranjeiros chega a 17.099 vistorias. Os números vêm sendo contabilizados desde 01 de dezembro de 2019.

Nas regiões administrativas da Emater/RS-Ascar de Ijuí e Santa Maria, a colheita da soja está tecnicamente finalizada. Na de Ijuí, durante a semana foram colhidas as áreas de segundo cultivo, que têm baixa expressão na região e tiveram baixa produtividade, devido ao prolongamento da estiagem, ficando na média de 2.070 quilos de soja por hectare. Em geral, a safra foi marcada por perdas na produtividade que diferiram entre os municípios produtores, conforme a distribuição das chuvas ao longo do período de cultivo. Já na regional de Santa Rosa, 97% das áreas estão colhidas. A colheita avançou pouco nas lavouras da soja safrinha em função das chuvas ocorridas no período, que impediram a entrada de máquinas. O rendimento das áreas colhidas é de 1.930 quilos por hectare, evidenciando perda de 41% em relação à inicial.

Nas lavouras de milho, o retorno das precipitações amenizou de forma parcial os impactos da estiagem na cultura. A fase predominante é a da colheita, que alcança 89% das áreas. Na regional da Emater/RS-Ascar de Santa Rosa, 89% das lavouras de milho foram colhidas e a produtividade média é de 7.080 quilos por hectare, com 11% de perda em relação à expectativa inicial. Na de Frederico Westphalen, a colheita chega a 98% das lavouras, com grãos apresentando boa qualidade e rendimento médio de 6.840 quilos por hectare, 21% menor que o esperado inicialmente.

Na região administrativa da Emater/RS-Ascar de Pelotas, a colheita do milho silagem foi realizada em 89% da área e os técnicos da Emater/RS-Ascar observam que a silagem é de qualidade inferior e com rendimentos bastante baixos. As produtividades estão entre 6 e 9 mil quilos por hectare. Alguns negócios acontecem envolvendo a comercialização de silagem na lavoura, variando entre R$ 0,12 e R$ 0,15/kg. Já cotação da silagem posta via transporte a granel e a silagem ensacada tem chegado a R$ 0,18/kg. Na de Porto Alegre, 96% do milho destinado à silagem está colhido. Tem se observado redução significativa da produção de massa verde e de espigas de qualidade. Muitas áreas previstas para produção de grãos foram destinadas para silagem, seja por reduzirem o rendimento, seja por apresentarem problemas na fase de enchimento de grãos; há também perda constatada na qualidade da silagem. O rendimento esperado era de 35 toneladas por hectare, e atualmente tem chegado a 14 toneladas por hectare. O valor de comercialização é de R$ 289,00/ton.

Na regional da Emater/RS-Ascar de Frederico Westphalen, 34% da área de feijão 2ª safra cultivada já foi colhida. Das lavouras, 4% estão na fase de floração, 26% em enchimento de grãos e 36% em maturação. A semana transcorreu sem precipitações na região, mantendo o percentual de perdas de 38,5% em relação ao rendimento inicial de 1.800 quilos por hectare. Na de Ijuí, 40% das áreas cultivadas já foram colhidas; as lavouras vêm evoluindo rapidamente para o final do ciclo, e os cultivos irrigados estão em estádio de maturação. Nestas áreas, a produtividade e a qualidade do grão são avaliadas como boas. Nas áreas de sequeiro com baixo potencial e nas de maiores impactos da estiagem, a colheita é manual e o produto destinado para o autoconsumo e/ou venda dos excedentes.

No arroz irrigado foram colhidos 909.026 hectares cultivados no RS, ou seja, 97,03 % da área semeada. De acordo com levantamento da Divisão de Assistência Técnica e Extensão Rural (Dater) do Instituto Rio Grandense do Arroz (Irga), a Fronteira Oeste segue como a região mais próxima de concluir a colheita, com 99,5% e produtividade de 9.251 quilos por hectare, a maior entre as regionais gaúchas. Outro destaque é a Zona Sul, com 97,6%: 146.432 ha colhidos e 8.753 kg/ha. A produtividade média do Estado fechou nesta semana em 8.461 quilos por hectare, com 7.482.018 toneladas de grãos já colhidos. Conforme o Irga tem alertado, a previsão é que essa produtividade média ainda tenha redução até o final dos trabalhos, previsto para o próximo dia 31 de maio.

Olerícolas

A produção de hortaliças foi beneficiada no período por chuvas em algumas regiões, mas em outras, a situação da atividade ainda é dificultada pela deficiência hídrica. Na regional da Emater/RS-Ascar de Lajeado, o cenário produtivo continua inalterado, mesmo com pequenas precipitações ocorridas. De forma geral, a olericultura desenvolvida nos Vales do Taquari e Caí registra consolidação de perdas, redução da produção e da produtividade e atraso de plantios normais à época.

Na regional de Pelotas, prossegue a atividade de semeadura da cebola para produção de mudas destinadas ao plantio da safra futura; tal atividade deverá ser concluída no final do mês. A semeadura das variedades precoces já foi realizada em 60% da área necessária. A expectativa é repetir as áreas cultivadas na safra passada; o total previsto é de 2.785 hectares de cebola na região. Na regional de Caxias do Sul, as variedades de cebola precoces já se encontram semeadas e as mudas deverão servir para uma área de 150 hectares, que representa 10% do total a ser cultivado.

ver mais notícias
CADASTRO DE NEWS
  • Receba por e-mail as últimas notícias sobre agricultura